FOCONEWS - Jornal Online

Notícias do Estado

Governo do Estado reduz repasses e Metrô atrasa pagamentos
Data: 07/12/2018

Governo estadual promete regularizar a situação antes de a gestão João Doria (PSDB) assumir, em janeiro. As faturas vencidas somaram R$ 74,3 milhões

A gestão Márcio França (PSB) reduziu os repasses do governo do Estado para o Metrô de São Paulo e, com menos verba do que o previsto, a empresa atrasou pagamentos de obras nos meses de outubro e novembro. O governo estadual promete regularizar a situação antes de a gestão João Doria (PSDB) assumir, em janeiro e afirma que nenhuma obra parou. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo apurou, em dois meses, as faturas vencidas somaram R$ 74,3 milhões. A gestão França não confirmou o valor, mas informou na quarta-feira (5) que parte dos recursos, R$ 47 milhões, estava sendo liberada. Neste ano, a previsão no orçamento era de que os repasses para investimentos do Metrô, especialmente a compra de material rodante (trens) e obras de expansão de linhas, somassem R$ 2,3 bilhões. Entretanto, os dados financeiros da estatal mostram que, até novembro, apenas R$ 1,5 bilhão dessa verba foi de fato repassada ou 65% do total previsto. No ano passado, o total liberado, R$ 3,3 bilhões, chegou a superar a previsão original, que era de R$ 2,9 bilhões. Uma das empreitadas em andamento, com amplo histórico de atrasos é a Linha 17-Ouro, o monotrilho que passa na Avenida Jornalista Roberto Marinho, na zona sul. A maior parte da obra é feita por um consórcio liderado pela empreiteira Tiisa, que está na lista de empresas com quem o Metrô tem dívida. Sem falar em valores, a empreiteira confirmou o atraso em dois contratos. "Os pagamentos respectivos foram efetuados em valor inferior à metade das faturas em questão", informou a empresa. Só com a Tiisa, a dívida seria de R$ 18 milhões, embora não haja confirmação oficial. A reportagem do Estado conversou com representantes de outros três grandes fornecedores de materiais e serviços do Metrô. Todos citaram atrasos, mas disseram que não comentariam o assunto por questões contratuais. A Camargo Corrêa, que também participa da Linha 17, enviou nota, informando apenas que "as obras estão sendo executadas normalmente". Conforme a Lei de Responsabilidade Fiscal, obras já liquidadas (serviços concluídos) têm de ser pagas no mesmo exercício fiscal. Caso contrário, ficam os chamados "restos a pagar", o que é vedado pela legislação. Segundo o professor de Direito Adib Kassouf Sad, que foi presidente da Comissão de Direito Administrativo da OAB-SP (Ordem dos Advogados do Brasil, seção São Paulo), deixar "restos a pagar" pode constituir ato de improbidade administrativa. "Depende se foi comprovado que houve dolo (intenção) do gestor em deixar essa dívida." Acerto futuro O governo estadual informou, por nota, que honrará os compromissos. "Prova disso foi a liberação, nesta quarta-feira, de R$ 47 milhões para o Metrô, como previsto", diz a nota do governo, que destacou que nenhuma obra chegou a ser paralisada. A equipe de transição de Doria não comentou o assunto. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. Copyright © 2018 Estadão. Todos os direitos reservados

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/governo-do-estado-reduz-repasses-e-metro-atrasa-pagamentos-07122018

Operação cumpre 266 mandados de prisão contra facções em 15 Estados
Data: 04/12/2018

Ação de âmbito nacional é articulada pelo Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas (GNCOC), que reúne os Gaecos de todo o país

Uma megaoperação policial ocorre na manhã desta terça-feira (4) em 14 Estados e no Distrito Federal para prender 266 suspeitos de envolvimento com facções criminosas e o tráfico de drogas. As operações ocorrem nos Estados do Acre, Alagoas, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Roraima, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins, além do DF. A operação é capitaneada pelo GNCOC (Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas), que reúne todos os Gaecos do país — órgão dos MPs responsável pelo combate ao crime organizado. Segundo informações do Ministério Público Estadual de Alagoas, dezenas de promotores de justiça e forças policiais cumprem os 266 mandados de prisão contra supostos integrantes de seis facções: PCC (Primeiro Comando da Capital, de origem paulista); CV (Comando Vermelho), TCP (Terceiro Comando Puro) e ADA (Amigo dos Amigos), todas cariocas; PCV (Primeiro Comando de Vitória, capixaba); e a paraibana Okaida RB, uma dissidência da Okaida. Além das ordens de prisão, são cumpridos 203 mandados de busca e apreensão. No Tocantins, a Casa de Prisão Provisória de Palmas passa por inspeção para busca de armas, drogas, explosivos, celulares e listas cadastrais das facções. "O Ministério Público brasileiro, por meio do GNCOC e dos Gaecos, vem adotando medidas eficientes no desmantelamento e prisão dos principais líderes das facções criminosas presentes em território nacional. É uma luta baseada na inteligência e com foco na desestruturação desses organismos criminosos violentos. Vamos vencer, tenho certeza disso", afirma Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, procurador-geral de justiça de Alagoas e coordenador do GNCOC.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/cidades/operacao-cumpre-266-mandados-de-prisao-contra-faccoes-em-15-estados-04122018

Jornal da Record revelou falcatruas no Rio de Janeiro em 2015
Data: 29/11/2018

Série de reportagens "O Rio de Janeiro na Lama", do Jornal da Record, tratou de suspeitas em contratos de obras públicas e caos nos serviços

Há três anos, o Jornal da Record levou ao ar a série de reportagens "O Rio de Janeiro na Lama", que tratou do caos nos serviços públicos do Estado, principalmente nas áreas de saúde e segurança, além de revelar suspeitas em contratos de obras públicas para as Olimpíadas do Rio. Uma das denúncias da série foi a de que a família de Jorge Picciani, então presidente da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), era sócia de uma empresa que fornecia brita para as obras do Parque Olímpico, na zona oeste do Rio de Janeiro. Em declaração feita na época, o governador Luiz Fernando Pezão afirmou que desconhecia a relação empresarial e disse que não era sua responsabilidade apurar as denúncias. "Eu sei da minha vida", declarou. Picciani está preso desde novembro de 2017, acusado de receber propina de empresários do setor de transporte. Atualmente ele cumpre prisão domiciliar. Já o governador Pezão foi preso nesta quinta-feira, acusado de receber propina em superfaturamento de contratos. Assista a seguir aos cinco episódios da série. "O Rio de Janeiro na Lama" A primeira reportagem da série mostrou como os políticos fluminenses e seus aliados viram seus negócios prosperarem mesmo em meio a crise fiscal e financeira do Estado, que se viu obrigado a cortar o pagamento de salários e benefícios dos funcionários públicos. Na segunda reportagem, o JR mostrou como as obras para as Olimpíadas do Rio de Janeiro destruíram uma comunidade de pescadores de meio século, a Vila Autódromo, e favoreceu empresas envolvidas nas obras do Parque Olímpico, que receberam o terreno de uma área pública de mais de 1 milhão de m². A terceira reportagem da série revelou a situação caótica dos sistema de saúde do Rio, com corredores de hospitais lotados, falta de pagamento de salários, falta de higiene e cirurgias e internações suspensas. Na quarta reportagem, a série tratou do agravamento da violência na cidade, com destaque para as mortes por bala perdida, mesmo com os investimentos realizados na instalação das Unidades de Polícia Pacificadora e a promessa de Sergio Cabral de acabar com o poder do tráfico de drogas. Na quinta e última reportagem da série, o Jornal da Record revelou os artifícios utilizados pelo ex-governador Sergio Cabral para manter seu grupo político e econômico no poder por três eleições seguidas.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/jornal-da-record-revelou-falcatruas-no-rio-de-janeiro-em-2015-29112018

PF cumpre 90 mandados em quatro Estados em nova fase da Lava Jato
Data: 23/11/2018

Agentes buscam prender 22 pessoas em ação que investiga o superfaturamento de obra da nova sede da Petrobras em Salvador (BA)

A PF (Polícia Federal) iniciou a operação Sem Fundos na manhã desta sexta-feira (23), a 56ª fase da operação Lava Jato. As autoridades cumprem 68 mandados de busca e apreensão, oito mandados de prisão preventiva e 14 mandados de prisão temporária, que totalizam 90 mandados, nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Bahia. A ação investiga o suposto superfaturamento na construção de edificações destinados à instalação da nova sede da Petrobras em Salvador (BA), chamada de Torre Pituba, entre 2009 e 2016. Segundo a PF, "os contratos de gerenciamento da construção, de elaboração de projetos de arquitetura e de engenharia foram superfaturados e direcionados para viabilizar o pagamento de vantagens indevidas para agentes públicos da Petrobras e dirigentes da Petros, além de terceiros". A Petros se comprometeu em realizar a obra, enquanto a Petrobras alugaria o prédio pelo período de 30 anos. O valor da construção ficou acima do esperado, assim como o aluguel que seria pago no local. Parte dos recursos seriam direcionados para pagamento de propina. Segundo o MPF (Ministério Público Federal), os integrantes da Petrobras e da Petros passaram a realizar as fraudes em troca de propina, "inclusive para o Partido dos Trabalhadores (PT)". As investigações apontam o envolvimento de uma empresa ligada a outras duas empreiteiras já envolvidas na Lava Jato. As autoridades investigam os crimes de corrupção ativa e passiva, gestão fraudulenta de fundo de pensão, lavagem de dinheiro e organização criminosa. As penas somadas podem chegar a 50 anos de prisão e multa. Os presos serão encaminhados para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR). A operação foi batizada como "Sem Fundos" em referência à perda do Fundo de Pensão da Petrobras, assim como ao fato de os crimes investigados parecerem revelar um “saco sem fundos”.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/pf-cumpre-90-mandados-em-quatro-estados-em-nova-fase-da-lava-jato-23112018

Estudante poderá escolher área avaliada no segundo dia do Enem
Data: 21/11/2018

Exame não muda em 2019, as novas regras estão previstas para 2021. Modelo foi apresentado na terça-feira (20) pelo ministro da Educação, Rossieli Soares

Os estudantes inscritos no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) poderão escolher qual avaliação farão no segundo dia do teste. No primeiro dia, será cobrado o conteúdo comum ensinado a todos os estudantes do país. O novo modelo foi apresentado na terça-feira (20) pelo ministro da Educação, Rossieli Soares. O exame, no entanto, não será mudado no ano que vem, o que deve ocorrer em 2021. As mudanças são necessárias para adequar o Enem ao novo ensino médio, cuja lei foi aprovada em 2017. Pela nova lei, os estudantes passarão por uma formação comum a todo o país, definida pela chamada BNCC (Base Nacional Comum Curricular), que ainda está em discussão no CNE (Conselho Nacional de Educação), e por uma formação específica, que poderá ser em linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas ou ensino técnico. O Enem seguirá o mesmo modelo. No primeiro dia, será cobrada a BNCC e, no segundo, o estudante será avaliado de acordo com o itinerário escolhido. “O Enem tem que ser reflexo do ensino médio que a gente deseja. Se vai ter flexibilidade, o itinerário não é só aprofundamento, são caminhos diferenciados, tem que fazer avaliação desses itinerários”, disse Rossieli Soares. As mudanças no Enem estão previstas nas novas Diretrizes Curriculares Nacionais do ensino médio, homologadas nesta terça-feira pelo ministro. Para entrar em prática, no entanto, é preciso que a BNCC seja aprovada pelo CNE. O MEC (Ministério da Educação) pretende ver a Base Nacional Curricular aprovada ainda este ano, mas isso depender da agenda do CNE. Questionado sobre a possibilidadede as mudanças previstas no Enem não serem implementadas no próximo governo, o ministro Rossieli Soares disse que, para isso, o novo presidente teria que mudar as normas vigentes. “Cabe ao novo governo avaliar e implementar as políticas, mas o que é normal é que deve ser cumprido, a não ser que ele mexa na norma. As diretrizes são normas que estarão vigentes para o Brasil, então, deverão ser seguidas em todo o Brasil”, afirmou o ministro. Ele ressaltou que muito da implementação do novo ensino médio caberá ao novo governo, que terá que cuidar da escolha dos livros didáticos, da formação de professores e de novas avaliações da etapa. “A construção da matriz de avaliação, a construção real do Enem e do novo Enem caberá ao novo governo, que deverá, nos primeiros anos fazer um série de construções.” Até o fim do ano, o governo deve definir os referenciais que serão usados pelas as escolas e as redes de ensino na oferta dos itinerários formativos. Pelas novas diretrizes, os itinerários deverão estar organizados, cada um deles seguindo os seguintes requisitos: investigação científica, processos criativos, mediação e intervenção sociocultural e empreendedorismo. Cada município deverá ofertar pelo menos dois itinerários em áreas distintas para que os estudantes possam escolher.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/educacao/estudante-podera-escolher-area-avaliada-no-segundo-dia-do-enem-21112018

Polícias fazem megaoperação de combate ao tráfico em escolas
Data: 14/11/2018

Operação 'Anjos da Lei' cumpre ordens de prisão e mandados de busca e apreensão, apuração de denúncias e prisões em flagrante em 26 Estados e DF

As Polícias Civis de todos os 26 Estados e do Distrito Federal realizaram nesta terça-feira (13) uma mega-operação no combate ao tráfico de drogas em escolas públicas e particulares e também em seus entornos. Denominada de 'Anjos da Lei', a operação cumpre ordens de prisão e mandados de busca e apreensão, além de realizar ações de rua com apuração de denúncias e eventuais prisões em flagrante. No primeiro balanço, divulgado às 9h, foram cumpridos 131 mandados: 51 de prisão e 80 de busca e apreensão. Os agentes também efetuaram 166 prisões (29 foragidos capturados, 74 presos em flagrante, 42 presos por mandado e 21 adolescentes detidos). Mais de oito mil policiais foram disponibilizados para o trabalho nos arredores e dentro de 52 escolas, entre públicas e particulares. Os agentes também apreenderam 16 armas, 715,36 g de maconha, 321,94 g de cocaína, 678,31 g de crack, 4 unidades de ecstasy, sete veículos, a quantia de R$8.415,00, 14 eletrônicos e 24 celulares. A maior apreensão realizada até o momento foi feita em Santos, município do litoral paulista, onde foi retido 17kg de droga, enterrados em uma residência próxima a escola 24 de fevereiro. Uma pessoa foi presa. A segunda maior se deu também no Estado de São Paulo. A polícia prendeu uma pessoa na favela Jair São Camilo e, durante cumprimento da ordem, localizaram 4 mil pinos de crack. O local é próximo a duas escolas. “Infelizmente, o tráfico ronda nossas escolas e estudantes”, disse o ministro de Segurança Pública, Raul Jungmann. A operação continua até o fim do dia, qaundo será divulgado um novo balanço e, amanhã, um compilado final. Questionado sobre o perfil dos traficantes, o ministro apenas argumentou que não importa a escala em que o suspeito está no tráfico, mas sim o quanto ele atrapalha o desenvolvimento de crianças e adolescentes que, em grande parte, são vulneráveis. Disse, também, que as polícias estão realizando um trabalho de acompanhamento da investigação. “É uma ação que se fez hoje, mas que irá continuar investigando e, eventualmente, prendendo e apreendendo”. Na operação, as polícias fazem o uso de recursos tecnológicos disponíveis nas instituições que proporcionam agilidade tanto para o serviço de inteligência policial, quanto de investigação criminal, com a finalidade de efetuar as prisões, segundo o coordenador da Anjos da Lei e delegado geral do Rio Grande do Sul, Emerson Wendt. O nome Operac?a?o Anjos da Lei e? refere?ncia ao filme de policiais que se infiltram em instituic?ões de ensino e, tambe?m, a? protec?a?o a?s crianc?as que sa?o anjos que merecem ser protegidos pela Lei. Operação - SUSP A Anjos da Lei é a quarta operação coordenada pelo SUSP (Sistema Único de Segurança Pública). Confira quais são as anteriores: - Luz da Infância: ocorreu no dia 17 de maio. Na ocasião, participaram 24 Estados e Distrito Federal. Policiais cumpriram 579 mandados de busca e apreensão de arquivos com conteúdos relacionados a crimes de exploração sexual contra crianças e adolescentes. - Cronos: ocorreu no dia 24 de agosto. O foco da ação eram os homicídios e feminicídios, tanto tentados quanto consumidos. Mais de mil pessoas foram presas em uma operação que contou com mais de seis mil policiais civis. - Midas: ocorreu no dia 26 de setembro. Policias civis de 25 Estados e do Distrito Federal prenderam 333 acusados por roubos, assassinatos e tráfico de drogas. Nas ruas, 3.745 policiais. Apenas o Amazonas não foi alcançado pela Midas por "questões operacionais".

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/policias-fazem-megaoperacao-de-combate-ao-trafico-em-escolas-13112018

PF faz operação e prende deputados estaduais no Rio de Janeiro
Data: 08/11/2018

Foram expedidos 22 mandados de prisão e busca e apreensão que estão sendo cumpridos em 40 endereços na manhã desta quinta-feira

Policiais federais cumprem mandados de prisão contra políticos no Rio de Janeiro na manhã desta quinta-feira (8). Entre os alvos, estão deputados estaduais, o presidente do Detran/RJ e um secretário do governo de Luiz Fernando Pezão (MDB). A ação, batizada de Furna da Onça, é um desdobramento da operação Cadeia Velha, que prendeu há um ano o então presidente da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), Jorge Picciani, e os deputados Paulo Melo e Edson Albertassi, todos do MDB. Os agentes da PF cumprem 19 mandados de prisão temporária, três de prisão preventiva e 47 mandados de busca e apreensão, expedidos pelo TRF2 (Tribunal Regional Federal da 2ª Região) — após decisão unânime de cinco desembargadores. A Alerj foi um dos locais onde os policiais estiveram nesta manhã. O MPF (Ministério Público Federal) divulgou os nomes dos alvos de mandados de prisão. São eles: • André Correa, deputado estadual (DEM) • Chiquinho da Mangueira, deputado estadual (PSC) • Coronel Jairo, deputado estadual (MDB) • Luiz Martins, deputado estadual (PDT) • Marcelo Simão, deputado estadual (PP), • Marcos Abahão, deputado estadual (Avante) • Marcos Vinícius "Neskau", deputado estadual (PTB) • Affonso Monnerat, secretário de Governo • Leonardo Silva Jacob, presidente do Detran/RJ • Vinícius Farah, ex-presidente do Detran/RJ e deputado federal eleito pelo MDB Além desses, também foram expedidos mandados contra Jorge Picciani, que se encontra em prisão domiciliar, Albertassi e Paulo Melo. A investigação apura um esquema de corrupção envolvendo compra de votos de parlamentares com dinheiro de propina e distribuição de cargos públicos e mão de obra terceirizada em órgãos da administração estadual. De acordo com a Polícia Federal, o grupo criminoso era chefiado pelo ex-governador Sérgio Cabral, que está preso. A propina era paga para garantir que interesses de políticos participantes do esquema fossem atendidos no Legislativo estadual. O mensalinho era pago por meio de superfaturamento de contratos estaduais e federais. Ainda segundo a PF, os parlamentares também eram beneficiados com a distribuição de cargos em órgãos públicos do Estado, com o alocamento de mão de obra comissionada ou terceirizada. Cadeia Velha: MPF pede condenação de Picciani, Melo e Albertassi O nome da operação, Furna da Onça, faz referência à sala usada pelos deputados para discutir como votariam antes das sessões, momento descrito por eles como a hora de a "onça beber água". O R7 não localizou até o momento as defesas dos citados na reportagem. A Alerj apenas informou que "funcionará hoje normalmente, com sessão plenária às 15h". Já o governo do Rio de Janeiro disse que "desconhece os fatos e não teve acesso aos autos do processo". O Detran respondeu por meio de nota que "está à disposição das autoridades para qualquer esclarecimento".

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/pf-faz-operacao-e-prende-deputados-estaduais-no-rio-de-janeiro-08112018

Eleitores de 7 cidades de SP têm até dezembro para cadastrar biometria
Data: 05/11/2018

Cadastramento é obrigatório nos municípios de Salmourão, Redenção da Serra, Dracena, Ouro Verde, Cajobi, Embaúba e Rinópolis

Recomeça nesta segunda-feira (5) o cadastramento biométrico para os eleitores das cidades paulistas de Salmourão, Redenção da Serra, Dracena, Ouro Verde, Cajobi, Embaúba e Rinópolis. O prazo limite para a regularização junto à Justiça Eleitoral é o dia 19 de dezembro. De acordo com o TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo), o cadastro das digitais passará a ser obrigatório para os 67.734 eleitores das cidades. Quem não realizar o procedimento corre o risco de ter o título de eleitor cancelado e sofrer outras sanções. Veja tudo o que você precisa saber sobre a biometria Caso tenha o título cancelado, o eleitor fica impossibilitado de se inscrever em concursos públicos, tirar passaporte ou CPF, renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficiais e obter empréstimos em bancos estatais. O atendimento para cadastrar a biometria é realizado por agendamento realizado no site do TRE-SP. Após confirmar a data, o cidadão deve comparecer ao cartório eleitoral com documento oficial de identificação e comprovante de residência. Na cabine de coleta das impressões digitais, o eleitor também é fotografado e tem suas informações confirmadas para evitar irregularidades.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/eleitores-de-7-cidades-de-sp-tem-ate-dezembro-para-cadastrar-biometria-05112018

Chacina em Belém do Pará deixa oito mortos nesta segunda
Data: 30/10/2018

Os assassinatos ocorreram em diferentes pontos do bairro da capital do Pará. Policiais civis fazem policiamento em busca de informações sobre suspeitos

Oito pessoas morreram em uma chacina no bairro de Tapanã, em Belém (PA), na tarde desta segunda-feira (29), informou a Segup (Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social). O caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios da Polícia Civil. O órgão disse que 11 pessoas foram baleadas e cinco delas morreram no local do crime. Seis foram encaminhadas à Unidade de Pronto Atendimento do Tapanã, onde três não resistiram aos ferimentos. Outras três vítimas permanecem internadas. Os assassinatos ocorreram em diferentes pontos do bairro da capital do Pará. Segundo a Secretaria, policiais civis fazem policiamento na região em busca de informações sobre suspeitos. Copyright © 2018 Estadão. Todos os direitos reservados

Link Notícia: https://noticias.r7.com/cidades/chacina-em-belem-do-para-deixa-oito-mortos-nesta-segunda-30102018

Aplicativo vira botão de pânico contra violência doméstica em SP
Data: 24/10/2018

Programa Guardiã Maria da Penha garante acionamento da guarda civil em situações de emergência e pedidos de socorro

Criado para atender mulheres vítimas de violência doméstica, o programa Guardiã Maria da Penha - parceria entre a Guarda Civil Metropolitana e o Ministério Público de São Paulo - será ampliado. Começa a funcionar nesta quarta-feira (24) um aplicativo com função de botão do pânico. Pelo aplicativo, a equipe vai até a casa da vítima, apresenta-se e passa as orientações. Após o primeiro contato e a inclusão no programa, há rondas nos locais onde a mulher se sente ameaçada. "Eu encorajo todas as mulheres a tomarem a mesma iniciativa que tomei. Não somos obrigadas a viver sendo espancadas e não devemos ter medo de denunciar", afirma Susana, uma dona de casa de 49 anos que enfrentou problemas de violência com o marido e o filho e pediu medida protetiva. "Acredito que vou ficar mais protegida com o aplicativo. Só um clique e a ajuda vem imediatamente." O Guardiã atende hoje 170 mulheres da região central de São Paulo. E será ampliado para as regiões norte e sul da capital no dia 1º de novembro. Desde 2014, a iniciativa já realizou 42.814 visitas e atendeu 1.888 mulheres. Na prática, o MP (Ministério Público) encaminha os casos de medidas protetivas para a GCM (Guarda Civil Metropolitana), com classificação de risco verde, amarela ou vermelha, pela gravidade. Até esta terça-feira (23), caso estivesse em situação de emergência e precisasse pedir o socorro de guardas-civis, a única opção da vítima seria telefonar para o 153. Hoje o aplicativo é mais uma possibilidade de acionamento. Em Sorocaba, no interior paulista, um aplicativo de botão do pânico funciona desde fevereiro - e já teve 50 acionamentos. Em outras cidades de São Paulo, as vítimas podem recorrer ainda ao aplicativo Juntas (PLP 2.0) que "pede socorro a pessoas cadastradas". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. Copyright © 2018 Estadão. Todos os direitos reservados

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/aplicativo-vira-botao-de-panico-contra-violencia-domestica-em-sp-24102018

PF cumpre quase 300 mandados no RJ em ações de combate ao tráfico
Data: 16/10/2018

Operações contam com participação de mais de 600 policiais federais e militares; esquema investigado envolveria policiais militares e traficantes

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (16), no sul do Rio de Janeiro, as Operações Síderos e Confinados de combate ao tráfico de drogas. Os agentes cumprem 191 mandados de busca e apreensão e 100 mandados de prisão preventiva expedidos pela 2ª Vara Criminal em Volta Redonda. As ações contam com 310 policiais federais, 38 agentes da Coordenadoria de Segurança e Inteligência do MPRJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) e cerca de 300 policiais militares. As investigações tiveram início após a fase final da Operação Camará, no segundo semestre de 2017. Os dados coletados indicaram a existência de ramificações da quadrilha investigada nos municípios de Volta Redonda, Itatiaia e Resende, também no sul fluminense, e na capital. Segundo o inquérito, os suspeitos remetiam valores da chamada "caixinha" para Resende, onde é baseada a liderança sul fluminense de um grupo criminoso que opera vinculado a uma facção criminosa de tráfico de drogas e de armas no Estado do Rio de Janeiro. Em Resende, a quadrilha atuava nas localidades Divisa, Belmonte, Jardim Belmonte, Retiro, Água Limpa e Siderlândia. Além disso, o grupo enviava carregamentos de drogas e armas para a capital do Estado. Policiais militares envolvidos De acordo com o MPRJ, o esquema envolveria 32 policiais militares do 28º BPM (Volta Redonda), acusados de receber propina em troca da permissão ao comércio de drogas nas três cidades. "Ao longo das investigações, que resultaram em apreensões de armas e drogas, interceptações telefônicas revelaram que os grupos de traficantes desempenham suas ações ilícitas graças à conivência de policiais lotados no 28º BPM que, em contrapartida, recebem dinheiro fruto de comércio que, na verdade, deveriam coibir", escreveu o MPRJ. Em um trecho da denúncia, policiais teriam questionado os traficantes sobre o comércio de drogas na região, apreendendo a carga de entorpecentes. No entanto, na sequência, os próprios policiais teriam devolvido o material apreendido, após o pagamento de R$ 1.500 aos próprios PMs. A denúncia aponta ainda um episódio em que um traficante lamenta pela carga apreendida que transportava. Neste caso, o policial cobrou R$ 5.000 para liberação do material. Em outro episódio, o valor pago a um policial militar para o resgate das drogas foi de R$ 500. Também há relatos sobre o pagamento de propina quinzenalmente para os policiais. Além da venda de drogas, sem repressão, a ação combinada entre policiais corruptos e traficantes teria resultado em outros desdobramentos, como a indicação para voto em político de interesse do tráfico e homicídios. As provas obtidas pela PF foram robustecidas com apreensões de drogas, armas e munições nos últimos meses. A polícia apontou também o uso de menores para atuar no tráfico de drogas. Os presos responderão, na medida de suas participações, sobretudo pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico. No decorrer da investigação, foram elucidados ainda dois homicídios, em Resende e em Volta Redonda, praticados por membros da organização criminosa. *Estagiária do R7, sob supervisão de Diego Junqueira

Link Notícia: https://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/pf-cumpre-quase-300-mandados-no-rj-em-acoes-de-combate-ao-trafico-16102018

Erramos: Douglas Belchior não foi eleito deputado federal em SP
Data: 08/10/2018

Candidato a deputado federal pelo PSOL de São Paulo não atingiu o quociente eleitoral necessário para que Belchior fosse eleito para Câmara

Diferentemente do noticiado pelo R7 às 23h50 de domingo (7), o candidato do PSOL à Câmara dos Deputados por São Paulo Douglas Belchior não foi eleito. O candidato recebeu 46.026 votos (0,22% dos votos válidos). Ao final da contagem das urnas, houve uma alteração no quociente eleitoral e Belchior não conseguiu garantir uma cadeira na Câmara. Em sua rede social, Belchior comentou a mudança do quociente: "Não fomos eleitos. Estamos orgulhosos e muito agradecidos pelos 46.026 votos de confiança recebidos nesta eleição. Construímos uma campanha linda e potente. Mesmo com poucos recursos e nenhum apoio institucional, a resposta foi linda nas urnas. Ainda na noite deste domingo, 07/10, o TSE, diversos sites de notícias e o próprio Psol confirmaram nossa eleição em uma quarta vaga do partido para o Congresso Nacional. E comemoramos! Ocorre que, ao bater 100% da contagem de votos, houve uma alteração do coeficiente eleitoral, o que acabou por retirar esta quarta vaga. A oficialização das informações deverá ser publicada nas próximas horas. É muito difícil que esse resultado se altere. Seguimos! Ainda assim, é preciso comemorar! Além de nossa expressiva votação, é preciso celebrar a histórica eleição de uma mulher preta trans, nossa irmã Erica Malunguinho, para deputada estadual. Ao lado de Áurea Carolina 5018 e Talíria Petrone 5077, eleitas para o Congresso Nacional. Motivos de muito orgulho e felicidade. Seguimos em nossa luta cotidiana, como há muitos anos, nas ruas, nas urnas e agora, principalmente, contra o fascismo. Venceremos!" Veja a lista com os deputados federais eleitos por São Paulo

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/erramos-douglas-belchior-nao-foi-eleito-deputado-federal-em-sp-08102018

Medo de cair em calçada ruim preocupa 43% dos idosos brasileiros
Data: 05/10/2018

Pesquisa realizada mostra preocupação de pessoas com mais de 50 anos em sofrer acidentes por conta do mau estado das calcadas pelo país

Sair de casa para uma simples caminhada na vizinhança tem se tornando um desafio para os idosos no Brasil. Segundo uma pesquisa da Fundação Oswaldo Cruz de Minas Gerais, 43% das pessoas com mais de 50 anos afirmam ter medo de cair na rua por causa de defeitos nas calçadas. Madalena Cavalcante, de 50 anos, é uma destas pessoas. Ela trabalha como doméstica no bairro do Ipiranga, na zona sul de São Paulo e reclama das condições das calçadas do bairro onde trabalha e mora. "São degraus, buracos, é difícil caminhar com segurança, tem que ficar muito atento", afirmou. "Tem ruas que não gosto nem de passar, pois é perigoso, as vezes você tem até que passar pelo meio da rua. Você faz isto para não cair, e acaba correndo risco de ser atropelada", diz Madalena. Quando foi abordada pela reportagem do R7, a doméstica passeava com os cachorros de seus patrões e enfatizou que durante o passeio "o cuidado tem que ser redobrado". Não existe uma legislação nacional para que se crie normas para calçadas brasileiras. Atualmente, o Estatuto das Cidades define que a responsabilidade é de cada prefeitura. Na cidade de São Paulo, a Lei 15.442/2011 estipula que a responsabilidade sobre a conservação da calçada pertence ao proprietário do imóvel — calçadas em mau estado de conservação ou fora de padrões podem ser punidas com multas que podem chegar a R$300 por metro quadrado. Para a arquiteta e gerontologa Adriana Romeiro de Almeida Prado, a pesquisa traz um cenário preocupante pois "em 2030 os idosos serão em número maior do que jovens e crianças" e é fundamental que o idoso possa estar inserido na sociedade e possa participar dela com liberdade. "Devemos lembrar também que não é só o idoso que utiliza a calçada, todos nós usamos e deveria haver um esforço do poder público para garantir calçadas mais uniformes. Podia ser feito até uma campanha por um caminhar mais saúdavel", diz a especialista. Quedas e tombos A aposentada Maria Luiza, de 63 anos, sofreu uma queda na mesma região há cerca de dez dias. O desabafo veio nas redes sociais, acompanhado de fotos dos ferimentos. “Indo pela calçada, meti o pé num buraco e olha o que aconteceu. Não quebrei por sorte!", escreveu Maria Luiza. Segundo a professora Maria Fernanda Lima Costa, uma das coordenadoras da pesquisa, os resultados impressionaram. “Não esperávamos resultados tão desfavoráveis", afirmou. Costa enfatizou ainda que 85% da população idosa vive em áreas urbanas e que o cuidado com as calçadas deve se tornar uma preocupação mais frequente do Poder Público. "A cidade precisa garantir condições adequadas para essa população, o Brasil está devendo isso", disse a pesquisadora. O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, afirmou nesta segunda (1º), dia em que foi apresentado os resultados da pesquisa, reconheceu o problema. "Sabemos que isso é realidade, as calçadas são inadequadas. É necessário o diagnóstico para que todos nós possamos tomar as medidas." O estudo foi conduzido em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais e ouviu 10 mil pessoas com mais de 50 anos em 70 municípios de todas as regiões do país, inclusive as principais capitais.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/medo-de-cair-em-calcada-ruim-preocupa-43-dos-idosos-brasileiros-05102018

Chacina em bairro da zona norte de São Paulo deixa três mortos
Data: 01/10/2018

Área foi periciada e diversas cápsulas deflagradas foram apreendidas. A ocorrência foi registrada como homicídio no 73º DP (Jaçanã)

Três homens morreram após serem baleados na rua Professor Pereira Reis, no bairro Jaçanã, zona norte de São Paulo. A chacina ocorreu por volta de 19h do último sábado (29) e é o oitavo ataque somente neste ano. De acordo com informações do boletim de ocorrência, policiais militares foram acionados para atenderem uma ocorrência de disparo de arma de fogo e, no local, encontraram as vítimas com sinais de violência. O resgate e o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foram acionados e constataram as mortes de Jeferson Martinez Gimenez, 35, Eder Franco de Lima, 34, e Carlos Alberto de Queiroz, 39, ainda no local dos fatos. Desconhecidos que ocupavam um carro modelo Honda Fit desembarcaram no local e atiraram contra as vítimas, segundo populares. Os suspeitos fugiram em seguida. A área foi periciada e diversas cápsulas deflagradas foram apreendidas. A ocorrência foi registrada como homicídio no 73º DP (Jaçanã) e foi solicitado o assessoramento do DHPP (Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa). Histórico dos ataques Este é o 8º ataque na capital e região metropolitana em 2018, que totalizam 27 mortes. — O último caso ocorreu em 16 de abril, no bairro Montanhão, em São Bernardo do Campo: quatro jovens foram executados a tiros na cabeça enquanto estavam ajoelhados frente a uma lanchonete. Segundo as investigações do caso, as vítimas tinham envolvimento com drogas. — No dia 26 de março, três homens foram encontrados mortos amordaçados e amarrados dentro de uma loja de locação de ferramentas na rua do Grito, no Ipiranga, na zona sul de São Paulo. A principal hipótese para os assassinatos é de vingança pessoal, uma vez que o dono da loja vinha recebendo ameaças de um cliente que teve o nome protestado por uma dívida. — Três homens foram executados na madrugada do dia 28 de fevereiro, no Jardim América, em Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo. O local do crime é uma praça, que fixa próxima a uma escola, onde foram encontrados dois dos três mortos. Do outro lado da praça, a uma distância de 50 metros, estava o outro corpo. — Dias antes, três pessoas morreram em um ataque na praça Jequié, no Jardim Maracanã, na zona norte da capital paulista, no dia 10 de fevereiro. Os três homens, Deivid Vinicius Barros, Luiz Gustavo de Oliveira e Leonardo Garcia Svessia, todos com 20 anos, estavam na praça quando um carro de cor preta parou e atirou contra eles. — Uma chacina deixou três mortos em Guarulhos, no dia 11 de janeiro. O caso aconteceu na rua Pernambuco, no bairro Mato da Cobras. As vítimas foram alvejadas com disparos de arma de fogo na cabeça em frente a um bar. — A primeira chacina do ano ocorreu no dia 7 de janeiro, quando quatro jovens morreram após um ataque a tiros na Vila Miriam, região de Pirituba, na zona norte de São Paulo. Duas vítimas morreram no local e outras duas chegaram a ser socorridas, mas não resistiram. Segundo a Polícia Militar, um carro passou no local com um homem atirando contra as pessoas que estavam na rua.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/chacina-em-bairro-da-zona-norte-de-sao-paulo-deixa-tres-mortos-01102018

Rio já tem o maior nº de militares do Exército mortos em intervenções
Data: 28/09/2018

Desde 1992 o Rio de Janeiro já registrou ao menos quatro militares mortos em operações da Garantia da Lei e da Ordem — três apenas neste ano

Militares fazem incursão em comunidade no Rio de Janeiro Reuters Após sete meses da intervenção federal no Rio De Janeiro, o Estado é o único do país em que ocorreram morte de militares durante ações de GLO (Garantia da Lei e da Ordem) realizadas pelas Forças Armadas desde 1992. Já são quatro militares que morreram em ação neste período de 26 anos em que a cidade recebeu 18 operações de GLO —em eventos ou ações de segurança pública. Três destas mortes ocorreram este ano e foram resultantes do primeiro confronto direto de militares do Exército contra suspeitos de integrarem facções criminosas. Outros 56 agentes de segurança e 103 civis foram mortos durante a intervenção federal realizada neste ano no Rio de Janeiro, segundo o Observátorio da Intervenção. Foi também a primeira vez em que foram registradas mortes simultâneas de militares das Forças Armadas em um mesmo dia nos últimos 45 anos, decorrentes de confrontos em território nacional. Segundo um levantamento feito a pedido do R7 pelo mestre em Ciências Políticas da UFScar (Universidade Federal de São Carlos) e especialista em Política Militar João Roberto Martins Filho, desde 1973 não morriam simultaneamente militares do Exército durante uma operação em solo brasileiro — o último registro é da morte de seis militares em 25 de dezembro de 1973, durante uma ação na Guerrilha do Araguaia. Estas duas mortes aconteceram no dia 20 de agosto deste ano. O cabo Fabiano de Oliveira Santos, de 36 anos, morreu após ser atingido no ombro por um disparo no Complexo do Alemão, já o soldado João Viktor da Silva foi baleado durante patrulhamento no Complexo de Comunidades da Penha, também na zona norte do Rio, ambos em ações das Forças Armadas em função da intervenção federal. A terceira morte foi a do soldado Marcus Vinícius Viana Ribeiro, baleado na mesma operação em que morreram o cabo Fabiano e o soldado João Viktor. Ele foi socorrido com vida, mas morreu no hospital dois dias depois, em 22 de agosto. Já a quarta vítima de ações de GLO foi um cabo do Exército baleado durante uma ação de GLO realizada em 2014. Michel Mikami, 21 anos, foi baleado na cabeça durante um confronto na comunidade da Maré, na zona norte do Rio. Militares ouvidos pelo R7 consideram as mortes incomuns, mas um risco iminentes nessas operações. Já o professor de relações internacionais da Unesp (Universidade Estadual Paulista) e doutor em ciências sociais Alexandre Fuccille, a banalização do uso militar das Forças Armadas em um ambiente urbano e compatriota é "ineficiente e um risco, tanto para a população quanto para o soldado". " [Com] essas questões de [as Forças Armadas] terem sido empregadas de forma cada vez mais banal, a criminalidade passa a saber os limites de até onde as forças militares podem operar. Fundamentalmente o preparo militar é para a guerra, para o aniquilamento, não é para segurança pública, que é, em tese, encontrar evidências, deter, recolher provas materiais e levar ao tribunal", disse Fuccille. PublicidadeFechar anúncio Alexandre pondera, no entanto, que as Forças Armadas aprenderam muitas técnicas em conduzir ações de segurança em missões internacionais como a do Haiti, mas ressaltou que a função dos militares é deturpada pelos governantes. "Isto veio acontecendo em todos os governos desde FHC, e os próprios militares são contra", afirmou. O comandante do Exército, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, já criticou o uso das Forças Armadas em ações para garantir a manutenção da lei e da ordem em cidades. Dias antes o então Ministro da Defesa, Raul Jungmann, também havia criticado o uso excessivo das Forças Armadas em ações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO). “Não gostamos de participar das chamadas Operações de Garantia da Lei e da Ordem”, disse o general Villas Bôas durante um evento em Brasília no ano passado. Exército lamenta as mortes As mortes dos três militares do Exército ocorridas durante as operações no Rio de Janeiro em agosto deste ano foram lembradas pelo Comando do Exército e pela Presidência da República em uma cerimônia em que eles foram homenageados, durante uma formatura de novos cadetes em Brasília no dia 25 de agosto, poucos dias após suas mortes. "Hoje, uma nação agradecida honra a memória dos militares que pereceram no desempenho de sua missão. […] Seu sacrifício não será em vão: cumpriremos a tarefa imperiosa de recompor a ordem pública no Rio de Janeiro”, declarou o presidente Michel Temer na época. “Suas mortes tiveram repercussão restrita, que nem de longe atingiram a indignação ou a consternação condizentes com os heróis que honraram seus compromissos de defender a pátria e proteger a sociedade com o sacrifício da própria vida. Como eles, há soldados das três Forças Armadas que, desde a República, têm sacrificado suas vidas para que o futuro do Brasil seja diferente. É chegada a hora de dizer basta ao diversionismo e à fragmentação”, declarou o Comandante do Exército, general Villas Bôas.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/rio-ja-tem-o-maior-n-de-militares-do-exercito-mortos-em-intervencoes-28092018

Com explosivos usados em guerra, grupo assalta carro-forte em SP
Data: 25/09/2018

Incidente ocorreu no km 105 do Rodoanel Mário Covas, na noite de segunda-feira (24). Caso foi registrado na Delegacia de Suzano

Um carro-forte foi roubado por um grupo fortemente armado no Rodoanel Mário Covas, em Suzano, na região metropolitana de São Paulo, na noite desta segunda-feira (24). O incidente ocorreu na altura do km 105, na pista interna, sentido interior do Estado. Segundo a PRE (Polícia Rodoviária Estadual), a ação começou por volta das 19h. Quando chegaram ao local, os policiais encontraram o veículo de transporte de valores com diversas marcas de perfuração e o cofre estourado. Várias munições estavam espalhadas pela via. Os suspeitos estavam divididos em três carros, sendo uma Renault Duster, uma Picape e um Volkswagen Voyage, quando abordaram os três vigilantes que estavam no carro-forte. Em seguida, o grupo utilizou, segundo a polícia, uma munição usada em guerras para derrubar aeronaves para roubar o veículo — a porta do automóvel chegou a ser lançada a seis metros de distância devido ao impacto da explosão. A Polícia Militar informou que os agentes da transportadora reagiram à ação e houve troca de tiros. Ninguém se feriu. Além do dinheiro, os suspeitos levaram as armas dos vigilantes. PublicidadeFechar anúncio De acordo com informações da PRE (Polícia Rodoviária Estadual), os suspeitos levaram a quantia e fugiram do local sentido Mauá, município também da região metropolitana. Os policiais da cidade vizinha realizaram buscas, mas até o momento ninguém foi encontrado e as diligências foram encerradas. Ladrões roubam carro forte com armas de guerra A SPMar, concessionária que administra a via, informou que a perícia realizou testes no local e a via já foi liberada. A ocorrência foi registrada na Delegacia de Suzano. Em nota, a Protege, empresa dona do veículo, confirmou o incidente e informou que colabora com as autoridades na investigação em curso e esclarece que cumpre, rigorosamente, a legislação em vigor do setor, "ressaltando que exerce atividade regulamentada pela Polícia Federal e demais órgãos competentes, investindo constantemente em novas tecnologias para aprimorar suas operações". *Colaboraram Rafael Custódio, da Agência Record, Alvaro Zanotti, da RecordTV, e Agência Estado

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/com-explosivos-usados-em-guerra-grupo-assalta-carro-forte-em-sp-25092018

Saiba quem pode andar graça no transporte público de SP
Data: 19/09/2018

Além de certos estudantes, pessoas com mais de 60 anos, deficientes e alguns profissionais tem direito à gratuidade para se locomover pela cidade

A tarifa para andar de transporte público custa R$ 4,00, mas algumas pessoas não precisam pagar pelo serviço. Saiba quem tem direito à gratuidade e como conseguir esse benefício para ônibus, metrôs e trens. Idosos Os idosos com 60 anos ou mais podem andar de graça pelos coletivos que cruzam São Paulo e têm duas opções para conseguir o benefício. A primeira é fazer um Bilhete Único Especial – Idoso, enviando cópia do RG, da CNH ou do CIE; uma do CPF; um comprovante de residência atual; uma foto 3x4 recente e algum número de telefone para contato. conseguir esse benefício para ônibus, metrôs e trens. Idosos Os idosos com 60 anos ou mais podem andar de graça pelos coletivos que cruzam São Paulo e têm duas opções para conseguir o benefício. A primeira é fazer um Bilhete Único Especial – Idoso, enviando cópia do RG, da CNH ou do CIE; uma do CPF; um comprovante de residência atual; uma foto 3x4 recente e algum número de telefone para contato. Prefeitura suspende emissão de Bilhete Único Anônimo em SP Ou, se não quiser fazer todo esse processo, a pessoa pode simplesmente apresentar um documento com foto que comprove a idade quando for desembarcar do coletivo. Mas sem o Bilhete Único do Idoso, o passageiro não poderá passar a catraca. Pessoas com deficiência Quem também pode usufruir desse benefício são pessoas com deficiência física, auditiva, visual ou mental. Para ter acesso ao Bilhete Único Especial - PCD, o passageiro precisa fazer um cadastro online no site da SPTrans (São Paulo Transportes) e imprimir um relatório médico para ser preenchido por algum médico cadastrado no sistema. Para terminar o pedido, a pessoa precisa apresentar um documento de identificação com foto (original e cópia), o relatório médico preenchido, assim como laudos médicos em um dos postos de atendimento, abertos de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h. Para quem precisa de acompanhantes, o acesso é liberado no cartão para uma segunda pessoa, logo após a passagem do usuário pela catraca. Gestantes Algumas gestantes também não precisam pagar pelo serviço. Custeado pela Secretaria Municipal da Saúde, o Bilhete Único - Mãe Paulistana pode ser adquirido por grávidas inscritas no Programa de Proteção da Saúde da Gestante e do Recém-Nascido. Para isso, as mulheres precisam estar cadastradas nas UBS (Unidades Básicas de Saúde). Esse bilhete, diferente dos outros, tem validade de 2 anos, após o fim desse prazo, as mulheres precisam de um Bilhete Único Comum. Mas não confunda o Bilhete Único - Gestante com o Mãe Paulistana. O primeiro serve apenas para que as grávidas tenham o direito de desembarcar pela porta da frente e pode ser adiquirido no 5º mês de gestação. Já com segundo, a mulher é isenta de pagar a passagem que é financiada pela Secretaria Municipal da Saúde. Crianças Crianças menores de seis anos de idade também não pagam pelo passeio de transporte público, desde que acompanhadas de responsáveis. Quem também tem isenção são policiais e integrantes das forças armadas, mas desde que estejam fardados. Oficiais de Justiça também, mas precisam mostrar seu crachá funcional. Assim como, carteiros desde que uniformizados e com o cartão funcional de serviço. Professores, por sua vez, não têm isenção, apenas desconto de 50%. Para conseguir o benefício eles precisam dar aulas em instituições públicas ou privadas que estejam cadastradas no Sistema de Bilhete Único Escolar da SPTrans. E precisam morar a mais de 1 km de onde lecionam. Estudantes Uma classe que já é famosa por usar os benefícios de gratuidade ou desconto no transporte público de São Paulo, são os estudantes. Aqueles que estão na rede pública, seja nos ensinos fundamental e médio, cursos técnicos e profissionalizantes, ou na rede privada do ensino superior, mas com auxílio de programas como Prouni, Fies, Bolsa Universidade, Cotas Sociais recebem a gratuidade automática sem precisarem comprovar sua renda. Já os que estão inscritos no ensino superior e tecnólogos públicos e privados podem conseguir o direito de gratuidade, mas precisam comprovar a baixa renda. Assim como os inscritos nos cursos técnicos e profissionalizantes da rede particular que também precisam comprovar a baixa renda. Para comprovar a baixa renda, os estudantes precisam mostrar, junto ao CADÚnico (Cadastro Único), que possuem renda abaixo de 1,5 salário mínimo por pessoa da família e assim conseguir a gratuidade nos transportes públicos. *Estagiário do R7, com supervisão de Ingrid Alfaya

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/saiba-quem-pode-andar-graca-no-transporte-publico-de-sp-19092018

São Paulo enfrenta trânsito intenso nesta segunda-feira
Data: 17/09/2018

Segundo informações da CET, a cidade apresentava 157 quilômetros de congestionamento às 9h40

A cidade de São Paulo amanheceu com trânsito na manhã desta segunda-feira (17). Segundo informações da CET, às 9h40, a cidade apresentava 157 quilômetros de lentidão. Esse índice indica que 18,1% das vias da cidade monitoradas pela CET estão com tráfego lento, enquanto a média para o horário varia de 7,4% a 13,1%. A tendência, entretanto, é que os números caiam nas próximas horas. As marginais, muito usadas pelos paulistanos, são alguns dos corredores que apresentam as maiores dificuldades. Às 9:40, a Marginal Pinheiros apresentava 37,6 quilômetros de congestionamento, enquanto a Marginal Tietê totalizava 15,3 quilômetros. Metrô Além do trânsito lento, São Paulo também está enfrentando falhas no Metrô na manhã de hoje. Segundo informações do próprio Metrô, um trem que ia para Palmeiras Barra-Funda sofreu uma falha na estação Sé às 8h08. Em seguida, os usuários foram retirados da composição. As demais estações da linha foram prejudicadas. Usuários relataram à Agência Record que a circulação dos trens está interrompida desde o registro do problema, mas a companhia nega e afirma que as linhas 3-Vermelha (onde ocorreu a falha) e 1-Azul estão operando com velocidade reduzida, e não paralisadas. O Metrô informou que às 9h08 o processo de normalização foi iniciado, tanto para a linha 3-Vermelha quanto para a linha 1-Azul. Cerca de 34 minutos depois, às 9h42, a situação foi normalizada — o trem que ocasionou todo o problema demorou mais de meia hora para ser retirado de circulação.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/sao-paulo-enfrenta-transito-intenso-nesta-segunda-feira-17092018

Aeronave de pequeno porte bate durante pouso e fere 6 em MT
Data: 06/09/2018

Avião teria decolado de Belo Horizonte e bateu em um banco de areia na cabeceira de uma pista de terra na cidade de Confresa (MT)

Um avião de pequeno porte bateu em um banco de areia durante o pouso em uma pista de terra nesta quarta-feira (5), em uma fazenda na cidade Confresa, distante 1.160 km de Cuiabá, no Mato Grosso. Um homem foi socorrido em estado grave e outros cinco ocupantes sofreram ferimentos leves. As vítimas com ferimentos leves foram socorridas por uma outra aeronave para um hospital da região. Já o homem em estado grave foi levado, também pela aeronave, para um hospital em Palmas, no Tocantins. O avião um King Air C-90 de prefixo PR-GVJ, havia decolado por volta de 7h da manhã do aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte, com destino a fazenda, transportando 5 passageiros e um tripulante. Segundo a ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil), a aeronave estava com todos os documentos em situação regular. Equipes do SERIPA VI (Sexto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), vinculado ao CENIPA (Centro Nacional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), foram acionados e devem investigar as causas do acidente.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/cidades/aeronave-de-pequeno-porte-bate-durante-pouso-e-fere-6-em-mt-05092018

Modelo negra presa estava a 85 km longe do local do crime, diz defesa
Data: 04/09/2018

Jovem foi condenada a 5 anos de prisão. Família de Bárbara Querino organiza ato unificado com outras famílias de presos com indícios de inocência

A estudante e modelo Bárbara Querino, conhecida como Babiy, 20 anos, foi condenada a cinco anos e quatro meses de prisão pelo TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo), no dia 10 de agosto deste ano. Ela é acusada de ter participado, junto com outros quatro rapazes, de um roubo que aconteceu na tarde de 10 de setembro do ano passado no Morumbi, zonal sul de São Paulo. A favor de Bárbara, a defesa apresentou à Justiça imagens e mensagens que mostram que ela estaria na cidade de Guarujá, no litoral paulista, a cerca de 85 km de distância, no mesmo dia e horário do crime. Também há o depoimento de seu irmão que teria confessado ter participado do roubo, mas afirma que ela não estava junto. Ele também foi condenado pelo crime. Contra a modelo, o reconhecimento da vítima. Para o juiz Klaus Marouelli Arroyo, o reconhecimento é o suficiente e os indícios apresentados pela defesa mostram "imprecisão quanto às datas e horários nos quais Bárbara estaria no litoral, acompanhada de terceiros". Desde o dia 16 de janeiro, Bárbara divide a cela com outras detentas no CPP (Centro de Progressão Penitenciária) de Franco da Rocha, na Grande São Paulo. A unidade está 33% acima da capacidade — 2.314 mulheres presas para 1.738 vagas. “Ela está muito abalada. Chora todos os dias. Já até emagreceu”, diz Fernanda Querino, mãe da modelo. Primeiro contato com a polícia Segundo uma amiga da acusada, a assistente social Mayara Vieira, de 23 anos, a primeira vez que Bárbara foi levada à delegacia foi por outro possível caso de roubo, em 4 de novembro do ano passado. Ela estava na rua próxima à casa onde mora com um grupo de amigas quando seu irmão, junto com outro rapaz, estacionou na via um veículo de luxo. “Ele disse que tinha roubado o carro e pediu ajuda para um amigo para pegar os pertences”, afirma a amiga da modelo. Mayara era uma das amigas que estava no dia e viu o irmão da modelo chegando. À reportagem, Mayara ainda conta que, em seguida, o irmão de Bárbara e outros dois rapazes teriam ido para uma rua debaixo guardar todos os objetos roubados em um “cativeiro”. Depois disso, policiais militares chegaram no local para verificar a denúncia de roubo ao carro de luxo. Segundo o boletim de ocorrência, os PMs chegaram ao local que o carro roubado estava e, próximo do veículo, estava Bárbara, Mayara e um primo da modelo. De acordo com a assistente social, os policiais questionaram onde estariam os responsáveis pelo carro roubado e teriam dito que se elas indicassem os suspeitos, seriam liberadas. Ainda conforme a assistente social, uma vizinha, com medo de represálias, teria indicado onde os suspeitos estavam. Para a Polícia Civil, os PMs disseram que as indicações foram feitas espontaneamente. Os policiais teriam colocado Bárbara e os demais dentro do carro da polícia e foram até o suposto cativeiro. No local, encontraram o trio. No final da abordagem, todo o grupo foi levado ao 98° DP (Jardim Miriam). Nesta ocorrência, o irmão, o primo da modelo e outros dois rapazes foram indiciados, enquanto ela fora ouvida apenas como “partes”. Na delegacia, Bárbara e os demais teriam ficado ao todo 16 horas dentro do veículo policial “esperando o delegado”, segundo Mayara. A modelo e uma outra amiga foram liberadas e os quatro jovens, detidos. “A Bárbara saiu no dia seguinte e foi direto prestar a prova do Enem”, conta assitente social. O sonho da modelo é ser jornalista. Durante o período na delegacia, segundo a amiga, “o policial tirou foto das meninas, mandou para grupos de WhatsApp e de Facebook”. Ainda de acordo com Mayara, essas fotografias começaram a se espalhar pelas redes sociais e a Bárbara começou a ser apontada por internautas como responsável por outro crime. Procurada pela reportagem, a SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo) disse que "os supostos fatos citados à reportagem e qualquer denúncia a respeito de eventual irregularidade cometida por policiais devem ser formalizadas às Corregedorias das polícias Civil e Militar". Exposição Nos dias seguintes à essa abordagem e supostas fotografias tiradas por PMs, Mayara afirma que blogs e páginas em redes sociais expuseram fotos da modelo como suposta autora de roubos e estava foragida. A assistente social conta que quando a modelo viu uma notícia sobre sua falsa fuga da delegacia, escreveu para os conhecidos em uma rede social que não tinha envolvimento com o assalto. Dias se passaram e “a sensação era de que tudo tinha voltado ao normal”, relembra Mayara. No entanto, no dia 16 de janeiro deste ano, Bárbara recebeu a ordem de policiais para que fosse até a delegacia prestar um novo depoimento. No DP, ela foi acusada de ter participado de um novo crime. Segundo a polícia, ela teria participado, juntamente com o irmão, um primo e um outro rapaz, de um roubo a outro carro de luxo e objetos de valor de uma família, na tarde de 10 de setembro de 2017. Ela ficou presa preventivamente. De acordo com o processo, duas vítimas do assalto reconheceram a imagem de Bárbara como sendo uma das pessoas que cometeram o crime. Mensagens de WhatsApp e Facebook, fotos e vídeos foram apresentadas pela defesa à Justiça apontando que a modelo estava no Guarujá no dia 10 de setembro, quando aconteceu o crime. A notícia sobre a prisão de Bárbara pegou de surpresa a família da jovem. “É algo que eu não esperava, porque ela não fez nada para ir para a cadeia. Ver a minha filha atrás das grades é pior do que colocar uma faca no meu coração”, diz Fernanda Querino, mãe da modelo. No dia em que recebeu a informação de que sua filha tinha sido levada para o presídio, Fernanda estava no hospital recebendo atendimento médico por causa de uma tendinite. “Pensei que ia morrer”, diz. Já Mayara afirma que os policiais apresentaram à Justiça apenas partes de imagens de câmera de segurança do dia que ela foi detida. A filmagem seria apenas o momento que a Bárbara e os demais estavam próximos ao veículo roubado. “Por que eles não mostraram toda a cena?”, indaga Mayara. Segundo a SSP-SP, "o caso foi investigado e as provas testemunhais e períciais foram anexadas ao inquérito que foi relatado. A análise e a posterior condenação cabe ao Poder Judiciário". Em juízo, os policiais civis que apuraram o caso disseram que participavam de várias investigações parecidas na região e, por isso, não se lembram se tinham as imagens de câmeras de segurança desse caso específico.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/modelo-negra-presa-estava-a-85-km-longe-do-local-do-crime-diz-defesa-04092018

SP vai rever brecha que permite drible na lei Cidade Limpa
Data: 30/08/2018

Comissão irá discutir no próximo dia 11 de setembro as possíveis alterações e punições para estabelecimentos que burlam a lei com vitrines de vidro e leds

“Nós precisamos combater esses camelôs da paisagem de São Paulo.” A frase é de Regina Monteiro, criadora da lei Cidade Limpa e presidente da CPPU (Comissão de Proteção da Paisagem Urbana), que regulamenta a inserção de elementos na paisagem da capital. Ela se refere aos estabelecimentos que utilizam uma “brecha” para driblar a lei Cidade Limpa: as vitrines de vidro. A reportagem do R7 foi a primeira a expor o problema em março deste ano. De lá para cá, o número de lojas só aumentou. Diversas ruas importantes da capital estão tomadas por vitrines com enormes painéis de LED que exibem peças publicitárias.“Quando a gente faz uma lei, não consegue imaginar todas as mudanças que podem acontecer. No entanto, a lei já prevê que, quando se trata de novas tecnologias, é possível rever as regras e nós iremos rever.” A lei abre uma brecha para propagandas no interior dos imóveis. As empresas chamam este recurso de “vitrine de vidro”, quando uma peça publicitária é exposta dentro de uma estrutura de vidro, mas visível para a população como um outdoor em movimento. “Todo mundo está fazendo isso, parece uma praga”, lamentou Regina, que afirma que, além de burlar a lei, alguns estabelecimentos estão terceirzando os espaços. Segundo a presidente da CPPU, a prefeitura irá endurecer a fiscalização dos estabelecimentos nos próximos meses. A comissão irá se reunir no próximo dia 11 de setembro e discutirá as possíveis alterações e punições. “A lei Cidade Limpa é bem clara e essa 'brecha' está sendo utilizada de má fé." A lei, em vigor desde 1 de janeiro de 2007, ordena a paisagem do município de São Paulo e proíbe a propaganda em outdoors, além de regular o tamanho de letreiros e placas de estabelecimentos comerciais. A multa para quem descumprir é de R$ 10 mil por anúncio irregular com até 4 m². Cada metro quadrado excedente custará aos responsáveis mais R$ 1.000, valor a ser somado aos R$ 10 mil iniciais. Mudança de avaliação Em março, a SMUL (Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento) esclareceu “que a Lei Cidade Limpa foi criada com base em um amplo estudo, que previu debates específicos sobre a poluição visual da cidade”. Portanto, ela não trata de elementos que estão no interior dos estabelecimentos. Ainda segundo a Prefeitura de São Paulo, em 2017 houve aumento de 80% de multas aplicadas em comparação com 2016 — foram 922 multas no ano passado contra 512. No entanto, Regina adimite que com a criação destes "novos" espaços, além do prejuízo com a poluição visual, a prefeitura perde anunciantes nos pontos de publicidade oficiais como, por exemplos, em pontos de ônibus. Questionada sobre o quanto a prefeitura pode ter deixado de arrecadar, Regina afirma que ainda não foi feito esse cálculo.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/sp-vai-rever-brecha-que-permite-drible-na-lei-cidade-limpa-30082018

Suspeito é morto durante operação da PM no Complexo São Carlos
Data: 28/08/2018

Equipes do Bope e Batalhão de Choque, apoiadas por agentes da UPP, estão nas ruas das comunidades; Tiros são registrados desde às 5h

A Polícia Militar, através de equipes do Comando de Operações Especiais, realiza na manhã desta terça-feira (28) uma operação no complexo de favelas do São Carlos, no Estácio, região central do Rio de Janeiro. Agentes do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) e do BPChq (Batalhão de Polícia de Choque), com apoio de policiais da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) São Carlos e de um veículo blindado, estão nas ruas das comunidades em busca de suspeitos de envolvimento com o crime organizado, além de armas e drogas. As plataformas OTT-RJ (Onde Tem Tiroteio) e Fogo Cruzado registraram disparos por volta das 5h, no Catumbi, Mineira e Coroa. Nas redes sociais, moradores continuam relatando trocas de tiros. Um suspeito, ainda não identificado, foi baleado durante um confronto com a polícia. Ele chegou a ser socorrido ao Hospital Municipal Souza Aguiar, também no Centro, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Com ele, os agentes encontraram uma pistola, drogas, um artefato explosivo e um rádio comunicador. O caso foi registrado na DH-Capital (Barra da Tijuca). A operação está em andamento. *Estagiária do R7, sob supervisão da Odair Braz Jr.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/suspeito-e-morto-durante-operacao-da-pm-no-complexo-sao-carlos-28082018

Em 2017, apenas 2% dos roubos foram esclarecidos pela polícia
Data: 27/08/2018

A maioria dos esclarecimentos é resultado de prisões em flagrante feitas, geralmente, pela Polícia Militar, e não pela Civil em São Paulo

O sargento Alan Mauro Gemelgo chegou às 5h30 ao antigo casarão que abriga a sede da 3.ª Companhia do 11.º Batalhão da Polícia Militar, nos Jardins, na zona oeste de São Paulo. Duas dezenas de policiais se reuniam no lugar para ouvir a preleção diária com as orientações para o patrulhamento. Era dia de Operação Pinçamento, blitze relâmpagos em busca de armas ilegais, drogas e carros roubados. O sargento ia comandar uma delas, na Rua Gabriel Monteiro da Silva. "Faz uns 9 meses, quando o 190 (Centro de Operações da polícia) informou que ladrões haviam baleado um senhor de 70 anos. Eu estava a duas quadras dali e cheguei em 3 minutos", começa a contar o sargento enquanto se prepara para o trabalho. Quando chegou ao local, dois médicos já socorriam a vítima. O PM olhou uma pessoa parada ali e a interpelou: "O que você viu?" O homem disse que os ladrões haviam fugido em um Peugeot e que anotara os números da placa. O sargento avisou a central da PM, que passou a buscar o carro pelos radares da cidade. Ele foi detectado na Vila Prudente, na zona leste. E os bandidos, cercados e presos. "Tenho um grande orgulho disso." Apenas um terço dos boletins de ocorrência é investigado em SP O que é o orgulho do sargento é também a pedra no sapato da maior polícia do País (85 mil PMs e 29 mil policiais civis): mandar para cadeia os autores de roubos, aumentando o índice de esclarecimento desse crime e, assim, conseguir reduzi-los. Em 2017, o Estado contou 32,9% roubos comuns a mais do que em 2001. "O crime de interesse em 2019 será o roubo. É preciso descobrir uma maneira de alocar o efetivo da PM rápido em cima da mancha criminal. Isso envolve uma decisão que afeta todo o Estado", afirmou o professor do Núcleo de Políticas Públicas da USP Leandro Piquet. Dos crimes violentos, além dos homicídios, os sequestros e os latrocínios caíram. Roubos e estupros aumentaram no Estado. Minucioso e concentrado, Gemelgo parou a viatura e dispôs os cones na rua. Acoplou a submetralhadora calibre 9 mm à bandoleira. Ele e os colegas estenderam o bloqueio. Era 11 de julho. Em duas horas, abordaram 35 carros e aplicaram quatro multas, recolhendo dois carros. Nenhuma arma, droga ou veículo roubado foram achados. Para Piquet, é contra o comércio desses veículos e de outros objetos roubados que a polícia e o legislador devem se voltar. Ele defende medidas duras contra os receptadores e o uso de ferramentas digitais que bloqueiem os telefones levados por ladrões - o celular é o principal objeto roubado no Estado (32% do total de ocorrências). "A Polícia Civil deve investigar o padrão desses crimes e dizer quais os nichos e contextos que você pode atuar", afirmou. Piquet lembrou que "a gente venceu os homicídios porque fez duas coisas: ajustes no policiamento ostensivo e na investigação". Investigação Exemplo de como o Estado vive situações distintas para cada crime é a comparação do índice de esclarecimento desses delitos, ou seja, quantos roubos e quantos homicídios têm seus autores identificados pela polícia. Em 2017, a Polícia Civil registrou na capital 151.244 roubos. E só 3.111 foram esclarecidos (2%). E a maioria dos esclarecimentos é resultado de prisões em flagrante feitas, geralmente, pela PM - 2.490 dos casos esclarecidos foram registrados nos distritos policiais que recebem as prisões em flagrante. Para o pesquisador Túlio Kahn, uma forma de aumentar esse índice seria apurar os crimes cometidos por quem foi preso em flagrante convocando, por exemplo, vítimas de outras ocorrências para reconhecer o bandido. "Às vezes, a polícia prende um cidadão, que é responsável por dez roubos, mas não apura." No caso dos homicídios, a situação é diferente. A cidade contou 713 assassinatos em 2017, dos quais 161 foram esclarecidos pelos distritos policiais. Aqui, entram os casos em que o criminoso era conhecido da vítima ou foi pego em flagrante. A autoria de outros 227 homicídios foi estabelecida por meio de investigações do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa. Assim, o índice de esclarecimento de homicídios foi de 54,4%, acima da média nacional (8%) e perto da média americana (60%). Os analistas ouvidos afirmam que a diferença entre as taxas de esclarecimentos de roubos e homicídios são um fator importante para se explicar por que o primeiro aumentou de 2001 para cá e o segundo caiu. "Qual o problema da Segurança? São as tiranias armadas, formadas tanto na polícia quanto no tráfico, grupos que passam a usar a violência para impor a ordem nos bairros em benefício próprio. O que deve ser priorizado? Em São Paulo, você tem o maior mercado consumidor de drogas do País. Não se acaba com esse mercado, mas você pode evitar que ele seja violento", disse o pesquisador Bruno Paes Manso. Para conter a violência do tráfico, a estratégia da polícia foi a operação saturação. Áreas com muitos homicídios foram ocupadas pela polícia, fazendo com que o tráfico perdesse dinheiro. "Passou a ser mau para os negócios agir com violência", disse Paes Manso. O desafio dos chefes do sargento Gemelgo é dar condições para que a dedicação de policiais como ele consiga tornar o roubo um mau negócio para os bandidos. Copyright © 2018 Estadão. Todos os direitos reservados

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/em-2017-apenas-2-dos-roubos-foram-esclarecidos-pela-policia-26082018

Refugiados desconhecem programa que leva de Roraima a outro Estado
Data: 24/08/2018

Mesmo dispostos a deixar Roraima, venezuelanos não sabem o que é o plano de interiorização, que já tirou 820 migrantes do Estado

Com a carteira de trabalho em branco nas mãos, os venezuelanos Luis Vallenilla e Jaasiel Herrera lamentam a falta de oportunidades em Boa Vista, capital de Roraima, para onde se mudaram após fugirem da crise econômica de seu país. Mesmo dispostos a deixar o Estado e tentar uma chance em outra parte do Brasil, os dois não conhecem o plano de interiorização do governo federal, que busca desafogar a crise provocada pelo fluxo de refugiados na pequena e pobre Roraima. “Eu já ouvir falar ‘de leve’”, diz Herrera, sem conseguir explicar do que se trata o programa. Desde fevereiro, quando anunciou o programa, o governo federal transferiu 820 venezuelanos de Roraima para São Paulo, Manaus, Cuiabá, Rio de Janeiro e Brasília. O Estado fronteiriço com a Venezuela, no entanto, calcula em 50 mil o número de refugiados em seus 13 municípios. A falta de emprego e de condições dignas para viver são o principal problema enfrentado pelos migrantes no Estado. A operação Acolhida, do Exército, possui 4.400 vagas em abrigos na capital Boa Vista. Os demais refugiados dividem todo tipo de residência na cidade, com familiares ou desconhecidos, enquanto uma outra parte vive nas ruas. Conversando com um grupo de venezuelanos que oferece serviços em frente à praça Simón Bolívar, apenas um deles conhecia a interiorização. Jesus Oitia, de 31 anos, ajudante de pedreiro, passou dois meses no abrigo Santa Teresa com a promessa e a expectativa de ser levado para outro Estado. — A gente perguntava pro pessoal da ONU (Organização das Nações Unidas) quando seria a viagem, mas eles diziam que esperavam uma resposta do governo. Oitia se cansou de esperar e deixou o abrigo. Ajudante de pedreiro e também com a carteira de trabalho em mãos, ele continua tentando sobreviver dos bicos que mal aparecem. Há três meses ele vive com o irmão e um primo em um quarto numa pensão. Paga R$ 10 por dia pela habitação, bancada com seu trabalho ou “pedindo”, quando o dinheiro não vem. — Estou no Brasil há 6 meses e 23 dias, mas só consegui trabalho por 15 dias. Se conseguir trabalho estável, eu fico. Se não, vou tentar uma passagem pra São Paulo. O que o governo diz? Em visita a Roraima nesta quinta-feira (23), o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou que a interiorização está dependendo de “negociação” e “cooperação” dos demais Estados. — A interiorização implica em compartilhamento entre governo federal e governos estaduais. O governo federal não tem como impor a um determinado Estado que ele assuma um determinado número de imigrantes. Isso é uma negociação. No início da semana, uma comitiva de Brasília formada por 11 ministérios visitou a região e prometeu que mais mil refugiados serão “interiorizados” até o final de agosto.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/refugiados-desconhecem-programa-que-leva-de-roraima-a-outro-estado-24082018

Roraima pede ao STF a suspensão da entrada de venezuelanos
Data: 20/08/2018

Ação foi protocolada na manhã desta segunda (20), um dia após os conflitos entre brasileiros e venezuelanos registrados em Pacaraima (RR)

O governo de Roraima voltou a pedir ao STF (Supremo Tribunal Federal) a suspensão temporária de entrada de imigrantes em território brasileiro para tentar conter o perigo de conflitos e o “eventual derramamento de sangue entre brasileiros e venezuelanos”. A ação foi protocolada na manhã de hoje (20), pela Procuradoria-Geral estadual, um dia após os conflitos entre brasileiros e venezuelanos registrados em Pacaraima (RR) motivarem cerca de 1,2 mil estrangeiros a deixar o Brasil às pressas, segundo o Exército. Na ação cautelar, o governo estadual sugere o estabelecimento de uma “cota para refugiados”. A medida condicionaria o ingresso em território brasileiro à execução de um plano de interiorização dos imigrantes, a ser coordenado pelo governo federal. Temer envia técnicos de sete ministérios a Roraima Além da cota, o governo estadual também cobra que as autoridades federais estabeleçam barreiras sanitárias na fronteira. A proposta é exigir dos imigrantes a apresentação dos atestados de vacinas obrigatórias a fim de impedir a propagação de doenças sob controle ou já erradicadas no Brasil, como o sarampo. O pedido reforça a Ação Civil Originária (ACO) 3121, que já pedia o fechamento da fronteira entre Roraima e a Venezuela. No último dia 6, a ministra Rosa Weber, relatora da ação no STF, indeferiu o pedido. Em sua sentença, a ministra apontou que, além de ausência dos pressupostos legais para emissão de liminar, o pedido do governo de Roraima contraria “os fundamentos da Constituição Federal, às leis brasileiras e aos tratados ratificados pelo Brasil”. Após o conflito do último fim de semana, o governo federal decidiu enviar para Roraima mais 120 agentes da Força Nacional de Segurança Pública para reforçar a vigilância. Segundo o Ministério da Segurança Pública, 60 agentes já embarcaram em Brasília, esta manhã, com destino à Boa Vista, de onde partirão para Pacaraima, na fronteira com a Venezuela. Desde o ano passado, 31 agentes da Força Nacional atuam na cidade em apoio à Polícia Federal. Justiça de Roraima suspende entrada de venezuelanos no Brasil Além dos agentes da Força Nacional, o governo federal promete enviar, no próximo domingo (26), 36 voluntários da área da saúde para atendimento aos imigrantes venezuelanos, em parceria com hospitais universitários. Em nota, a Presidência da República disse que governo federal “está comprometido com a proteção da integridade de brasileiros e venezuelanos”, e que o Itamaraty está em contato com as autoridades venezuelanas. O estopim da mais recente crise ocorreu no sábado (18), quando moradores da cidade atacaram barracas dos imigrantes venezuelanos, ateando fogo aos pertences dos imigrantes. De acordo com as autoridades locais, não há registro de feridos entre os venezuelanos Os ataques aconteceram depois que um comerciante local foi assaltado e espancado. Há suspeita de que o assalto tenha sido praticado por um grupo de venezuelanos.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/roraima-pede-ao-stf-a-suspensao-da-entrada-de-venezuelanos-20082018

Porto do Pó: Gegê tentou criar 'taxa' de exportação. E morreu por isso
Data: 17/08/2018

Nome forte do PCC morreu no início do ano e causou uma guerra interna na maior facção do país. Atuação no porto de Santos foi um dos motivos

Apesar da distância de mais de 3.000 km, os acontecimentos no porto de Santos tiveram consequências drásticas em Aquiraz, cidade próxima de Fortaleza, no Ceará. Era lá que Rogério Jeremias de Simone, o Gegê do Mangue, vivia. Gegê do Mangue foi executado em 18 de fevereiro deste ano, junto com seu braço direito, Fabiano Alves de Souza, o Paca. Os dois foram mortos após serem levados de helicóptero para um clarão de mata dentro de uma reserva indígena em Aquiraz. As mortes escancararam disputas internas do PCC. Dias após a execução, um bilhete resgatado na penitenciária de Presidente Venceslau 2, a 600 km de São Paulo, deixava claro o que havia acontecido: os dois foram mortos porque estariam roubando dinheiro da facção. A polícia trabalha com a informação de que Gegê teria tentado implantar a cobrança de uma “taxa extra” de todos os embarcadores de cocaína que atuavam no Porto de Santos. No entanto, um nome forte próximo ao PCC que usava a rota não concordou: Gilberto Aparecido dos Santos, conhecido como Fuminho. Fuminho é procurado pela polícia há anos. Mora na Bolívia e tem conexões diretas com grandes produtores de cocaína da região. Para completar sua rota, usa o porto para distribuir a droga. O traficante não concordou com a “taxa” criada por Gegê. Com a informação de que ele não pagaria os valores, comparsas de Gegê confiscaram cargas de Fuminho, criando um prejuízo milionário para um traficante que, até então, operava abaixo do radar da polícia. Fuminho acionou Wagner Ferreira da Silva, conhecido como Wagninho ou Cabelo Duro, seu homem de confiança nas operações da Baixada Santista. Ele ficou encarregado de colocar o plano de execução de Gegê e Paca em prática. Montou a equipe, providenciou o helicóptero e o piloto que transportaria os dois. Fuminho e Cabelo Duro são citados no bilhete interceptado em Presidente Venceslau: “Ontem fomos chamados em uma ideia, aonde [sic] nosso Cabelo Duro ficou ciente que o Fuminho mandou matar o GG e o Paca”. Após a execução, o PCC teria ordenado uma retaliação contra Fuminho. A primeira registrada foi a morte de Cabelo Duro, fuzilado no Tatuapé na frente de um hotel. A polícia acredita que mais de 10 pessoas ligadas a Fuminho nas operações do porto teriam sido mortas no revide. Segundo as investigações, a vingança só cessou após o PCC descobrir que Fuminho estava dizendo a verdade: Gegê e Paca estariam mesmo desviando quantias milionárias que deveriam ter ido para o caixa da facção. Mas o problema para Fuminho não surgiu apenas pela retaliação. Ao matar a maior liderança em liberdade da facção em uma ação cinematográfica, Fuminho não só saiu do radar como exibiu sua tática mais importante: o uso de helicópteros pela facção. O helicóptero usado na execução de Gegê e Paca puxou um novo fio de investigação para a Polícia Federal. A altitude em que a aeronave voava indicava que a operação de cocaína no Porto de Santos tinha aprimorado as rotas de transporte de cocaína. Felipe Ramos Morais foi o homem escolhido para pilotar a aeronave que levou Gegê e Paca para uma emboscada. A polícia descobriu que ele tinha um hangar alugado no Guarujá, litoral de São Paulo. A investigação indicou que o helicóptero era usado para fazer o transporte da droga entre a Grande São Paulo e a Baixada Santista, evitando abordagens policiais, comuns no transporte de droga por terra. Em abril, outro helicóptero usado pelo PCC para transportar drogas foi apreendido em um hangar no Arujá, região metropolitana de São Paulo. Três pessoas foram presas. Entre elas, o piloto Rogério Almeida Antunes, preso em 2013 no Espírito Santo, em um helicóptero da família do senador Zezé Perrela (PSDB-MG) com 400 quilos de cocaína. Na época, a Polícia Federal apurou que a droga havia sido trazida do Paraguai e deveria ser embarcada no porto de Vitória, no Espírito Santo, com destino a Europa. A polícia acredita que o helicóptero apreendido no Arujá estava em nome de um laranja. Os verdadeiros donos, uma empresa baseada em Alphaville, estão sendo investigados por lavagem de dinheiro e tráfico. Durante a Operação Brabo, um Mercedes-Benz C-180 foi apreendido com o sérvio Bozidar Kapetanovic, o Judô, ligado ao Clã Saric. Coincidentemente, o veículo estava no nome de outra empresa dos mesmos sócios do helicóptero: uma loja de carros de luxo. *Colaborou Diego Costa, da RecordTV

Link Notícia: https://noticias.r7.com/porto-do-po-gege-tentou-criar-taxa-de-exportacao-e-morreu-por-isso-17082018

Polícia Federal realiza operação contra sonegação fiscal em SP
Data: 15/08/2018

Agentes cumprem seis mandados de busca e apreensão e cinco de prisão em Campinas e São Paulo. Até o momento, quatro foram presos

A PF (Polícia Federal) deflagrou nesta quarta-feira (15) a segunda fase da Operação Rosa dos Ventos que apura crimes de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo sonegação fiscal em distribuidoras de combustível na região de Campinas, no interior de São Paulo. Agentes cumprem seis mandados de busca e apreensão e cinco de prisão em Campinas e São Paulo. Até o momento, quatro pessoas foram presas e uma não se encontrava no local de residência e está sendo procurada. Todos os mandados foram expedidos pela Justiça Federal de Campinas. O principal alvo da investigação é um auditor fiscal que teria recebido até viagem para a Disney com a família. Esta fase da investigação teve início com a análise do material apreendido na primeira fase, quando policiais federais encontraram indícios de que os investigados teriam um esquema envolvendo corrupção de um agente público, evasão de divisas e lavagem de dinheiro, que incialmente não haviam sido detectados. A primeira fase da operação Rosa dos Ventos foi deflagrada há um ano, em 15/08/2017, após fiscalização da Receita Federal do Brasil constatar sonegação fiscal em uma distribuidora de combustíveis de Paulínia, município do interior paulista. Foram investigados, naquele inquérito policial, crimes contra a ordem tributária, lavagem de dinheiro e falsificação de títulos públicos. Levantamentos feitos na investigação apontaram um prejuízo de R$ 5 bilhões em impostos sonegados e multas que deixaram de ser pagas pelos investigados e suas empresas, conforme créditos tributários constituídos definitivamente em tributos federais e estaduais. Os investigados responderão pelos crimes de corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e crimes contra a ordem tributária, penas de 2 a 12 anos de prisão e multa. *Com informações da Agência Estado

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/policia-federal-realiza-operacao-contra-sonegacao-fiscal-em-sp-15082018

PF cumpre mandados de prisão em desdobramento da Lava Jato no Rio
Data: 10/08/2018

Um empresário foi preso em Botafogo; investigações partiram de delação premiada do ex-subsecretário de transportes do Estado

A Polícia Federal cumpre, nesta sexta-feira (10), novos mandados de prisão expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, em mais um desdobramento da Operação Lava-Jato no Estado. Um empresário, ligado a distribuidora de títulos e valores imobiliários AdValor, foi preso em casa no bairro de Botafogo, zona sul da cidade. A investigação tem como base a delação premiada do ex-subsecretário de Transportes do Estado do Rio, Luiz Carlos Velloso, que teve o acordo homologado pelo ministro Dias Toffoli, do STF (Supremo Tribunal Federal), no ano passado. Segundo Velloso, o empresário detido usava uma conta da corretora para desviar dinheiro de propina paga por empreiteiras em favor de um ministro do TCU (Tribunal de Contas da União) e de um deputado federal pelo Rio de Janeiro. O dinheiro seria usado em uma campanha política. A ação da PF está em andamento e a expectativa é que mais mandados de prisãos sejam cumpridos nesta manhã. Procurada pelo R7, a AdValor se recusou a comentar a acusação. *Estagiária do R7, sob supervisão de Odair Braz Jr.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/pf-cumpre-mandados-de-prisao-em-desdobramento-da-lava-jato-no-rio-10082018

Suspeito de tráfico é detido em Guarapari
Data: 08/08/2018

A abordagem ocorreu no bairro Perocão durante patrulhamento de rotina da Polícia Militar na região.

A Polícia Militar, durante o patrulhamento no bairro Perocão, na noite dessa terça-feira (07), abordou dois homens em atitude suspeita. Durante a abordagem, duas buchas de maconha foram encontradas com um deles, que alegou ser usuário e que teria ido ao local comprar drogas. O militares realizaram buscas nas proximidades e encontraram um chapéu contendo com oito pedras de crack, 23 buchas de maconha, nove papelotes de cocaína e R$ 30,50 em espécie, que seriam de Jefferson Luiz de Oliveira Helmer, de 40 anos. O suspeito e todo material apreendido foram entregues na 5ª Delegacia Regional de Guarapari. * Com informações do 10º Batalhão da Polícia Militar.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/cidades/folha-vitoria/suspeito-de-trafico-e-detido-em-guarapari-08082018

Estudante da UFRJ é baleado durante sequestro na Penha
Data: 03/08/2018

Universitário foi ferido durante troca de tiros entre policiais e suspeitos; vítima está internada em estado grave e corre risco de perder o braço

Um estudante da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) foi baleado durante um sequestro na madrugada desta sexta-feira (3). No caminho para casa, ele foi parado por dois homens armados no bairro de Vicente de Carvalho, na zona norte do Rio de Janeiro. Os suspeitos entraram no carro do estudante e seguiram em fuga pela pista do BRT até a Penha, também na zona norte. A movimentação acabou chamando a atenção da polícia, que montou um cerco na avenida Brás de Pina, na Penha. Durante a ação, houve uma troca de tiros que acabou ferindo o universitário e um dos sequestradores. Os dois foram socorridos e encaminhados para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, no mesmo bairro. Segundo a direção médica da unidade, o estudante está internado em estado grave e corre o risco de perder o braço. A ocorrência foi encaminhada para registro na Central de Garantias Norte. *Estagiária do R7, sob supervisão de Odair Braz Jr.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/estudante-da-ufrj-e-baleado-durante-sequestro-na-penha-03082018

Frio e chuva mudam a rotina do paulistano. Veja imagens
Data: 01/08/2018

São Paulo ficou mais de 115 dias sem chuva significativa. Mas o tempo mudou na terça-feira, colocando casacos pesados e guardas-chuva de volta às ruas

Após muito calor e mais de três meses sem chover significativamente, o frio e a garoa apareceram em São Paulo nesta terça-feira (31) e continuaram presentes na vida do paulistano nesta quarta, 1º de agosto. Segundo o Tempo agora, a mínima prevista para a cidade de São Paulo hoje é de 13 ºC, e a máxima não deve exceder os 19 ºC. O paulistano não tirava o guarda-chuva de casa há algum tempo. Foram mais de 115 dias praticamente sem chuva na região metropolitana de São Paulo. Apenas leves garoas foram registradas no período. O período sem chover — acompanhado de calor — foi o mais seco desde 1963, segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia). Apenas pequenos chuviscos foram registrados na cidade de São Paulo entre abril e julho. O tempo finalmente virou na terça-feira, quando a cidade amanheceu com temperaturas mais baixas. Nesta quarta-feira (1º), o clima gelado se repetiu. A previsão é que a chuva continue durante a semana, o que favorece a qualidade do ar, já que a água ajuda a dispersar poluentes atmosféricos.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/fotos/frio-e-chuva-mudam-a-rotina-do-paulistano-veja-imagens-01082018#!/foto/7

Defesa pede transferência de Cabral para batalhão da PM
Data: 30/07/2018

Segundo o pedido, o ex-governador Cabral teria direito a uma prisão especial, assim como o ex-presidente Lula e o ex-governador Eduardo Azeredo

A defesa de Sérgio Cabral, preso desde o final de 2016, encaminhou, na última sexta-feira (27), um pedido ao presidente da República, Michel Temer, para que o ex-governador fluminense seja transferido do complexo penitenciário de Gericinó (Bangu) para a sala de Estado-Maior de algum batalhão da Polícia Militar do Rio de Janeiro. Segundo o pedido, por ser ex-governador, Cabral teria direito a uma prisão especial, assim como o ex-presidente Lula (preso em uma sala da Polícia Federal) e o ex-governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo (preso em um quartel dos bombeiros). A defesa alega ainda que os constantes deslocamentos de Cabral do presídio, na zona oeste, para audiências na Justiça Federal, no centro, colocam em risco a integridade do ex-governador, uma vez que o caminho usado é a Avenida Brasil - "o trajeto mais perigoso do todo o estado", segundo os advogados. Os advogados também citam riscos à integridade do ex-governador dentro do presídio, uma vez que no complexo há assassinos, ex-policiais e milicianos presos entre 2007 e 2014, quando Cabral era governador do estado. Há preocupação ainda com a segurança dos parentes que visitam o ex-governador na prisão. Entre as alternativas apresentadas pela defesa de Cabral estão as salas de Estado-Maior dos batalhões do Centro (5º BPM) e do Batalhão de Choque, também no centro. O pedido, chamado de Recurso Hierárquico Administrativo, foi feito a Temer porque a Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap) está sob administração do Gabinete de Intervenção Federal. Uma vez que o interventor federal, Walter Braga Netto, negou o primeiro pedido, restou, segundo o advogado Rodrigo Roca, recorrer ao superior do interventor, que é o presidente da República. O recurso não foi encaminhado diretamente ao Palácio do Planalto, mas ao Gabinete da Intervenção Federal, no Rio. Bangu foi o primeiro destino de Cabral. Ele chegou a passar algum tempo no presídio de Benfica e, depois, em Curitiba, mas voltou a Bangu em abril deste ano. O pedido da defesa foi feito dois dias depois de o ex-governador passar várias horas em uma cela de isolamento em Bangu.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/defesa-pede-transferencia-de-cabral-para-batalhao-da-pm-29072018

Família que adulterava chassis de carros é presa em SP
Data: 27/07/2018

Foram apreendidos 50 documentos de veículos roubados. Outro grupo foi pego por aplicar golpes para conseguir empréstimos bancários

Dez pessoas foram presas por envolvimento com fraudes em São Paulo. Um dos grupos era formado por sete pessoas da mesma família que adulteravam chassi de carros roubados. Eles usavam uma espécie de pino para alterar os números dos chassis dos carros. A polícia chegou até eles depois de uma denúncia anônima. Na casa, na regiã metropolitana de São Paulo, cerca de 50 documentos de carros roubados foram encontrados. Os vidros dos carros também eram alterados. A outra quadrilha era especializada na falsificação de documentos para conseguir empréstimos. No momento da prisão, um dos homens apresentou uma carteira falsificada se passando por juiz. Para a polícia, os três homens presos são suspeitos de integrar uma quadrilha de estelionatários que já deram um prejuízo de mais de meio milhão de reais aos bancos. Eles foram detidos em um agência bancária. Um deles já foi preso outras vezes pelo mesmo crime.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/familia-que-adulterava-chassis-de-carros-e-presa-em-sp-27072018

Alunos da Uerj conquistam terceiro lugar em mundial de foguetes
Data: 25/07/2018

Grupo de Foguetes do Rio de Janeiro garantiu o 21º lugar na classificação geral da Spaceport America Cup; competição teve 120 instituições inscritas

Com um voo de 2.370 metros, o Atom conseguiu a terceira colocação na categoria 10k SRAD Solid Motors da maior competição de foguetes do mundo. Desenvolvido pelo GFRJ (Grupo de Foguetes do Rio de Janeiro) da Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), o foguete foi totalmente recuperado pelos seis alunos que viajaram para a Spaceport America Cup. Nesta categoria, os estudantes tinham como objetivo atingir uma distância de 10 mil pés — equivalente a 3.048 metros — e ter um motor totalmente elaborado pelos 35 alunos de engenharia, física, ciência da computação e pedagogia que compõem a equipe. O GFRJ é líderado pelo professor da Uerj João Canalle. Com 120 instituições inscritas, a Uerj foi a única representante do Rio de Janeiro no campeonato mundial, que ocorreu no Novo México, nos Estados Unidos, entre os dias 19 e 23 de junho. Outras três instituições brasileiras também participaram da competição. Na classificação geral, os cariocas conquistaram o 21º lugar entre 99 equipes de universidades do mundo inteiro. O presidente do GFRJ, Wallace Rosendo, de 23 anos, conta que participar da competição foi uma experiência incrível. — Lá, tivemos a possibilidade de conhecer pessoas de outros países, além de aprender sobre o mercado de trabalho desta área. Para nós, foi um tanto desafiador disputar uma competição em um lugar desértico, onde é muito quente e seco. Apesar disso, nos preparamos muito bem para encarar as dificuldades e sabemos que o resultado vai ficar guardado na memória. Para conseguirem participar da competição, os estudantes lançaram uma vaquinha virtual. E, após divulgação pelo R7, o grupo conseguiu atingir a meta e arrecadou mais de R$ 17 mil. Única mulher a viajar pela equipe, a estudante de Engenharia Eletrônica, Paula Reis, de 21 anos, é a responsável pela área de marketing da equipe. Ela conta que, no começo, se sentiu um pouco deslocada. — Confesso que, de início, me pareceu bem estranho ficar esse tempo todo viajando na companhia de seis homens, sem nenhuma outra presença feminina. Mas, na competição, notei que haviam muitas mulheres nas equipes do mundo todo, todas muito inteligentes e capazes. Até estranhei a grande quantidade porque sempre acabamos sendo minoria nesse meio de engenharia. Mesmo assim, o número de homens ainda era visivelmente maior que o de mulheres, mas estamos conseguindo nosso espaço e espero ver cada vez mais esse número se igualando. Atualmente, apenas oito mulheres compõem a equipe. Wallace conta que, no processo seletivo atual, eles esperam conseguir igualar o número de homens e mulheres. Fundado no dia 7 de abril de 2016, o grupo se autodenomina como um núcleo de resistência na Universidade e que tem como objetivo principal a contribuição para o desenvolvimento do cenário aeroespacial brasileiro. Criado em meio a maior crise da história da Uerj, o GFRJ, formado por voluntários, presenciou a desistência de muitos integrantes. O estudante de Física, Thiago Espírito Santo, de 21 anos, conta que, como os estudantes não tinham aula, muitos ficaram desmotivados. — O grupo começou e se estruturou bem no início da maior greve da Uerj. Muitas pessoas saíram da faculdade, não tinham aula, não recebiam e ficavam muito desmotivadas em permanecer na equipe. Tivemos que tirar dinheiro do nosso próprio bolso para manter o projeto. Em contrapartida, temos integrantes que só ficaram na universidade por causa do GFRJ. Perguntado sobre os próximos passos, o presidente afirmou que o grupo deseja captar novos recursos para possibilitar a participação em outras competições. — A ideia é crescer o trabalho para fazer com que a equipe seja cada vez mais profissional no que faz, já que fazer foguete é coisa séria. * Estagiária do R7, sob supervisão de PH Rosa

Link Notícia: https://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/alunos-da-uerj-conquistam-terceiro-lugar-em-mundial-de-foguetes-25072018

PF inicia operação contra roubo de cargas em seis Estados
Data: 18/07/2018

Investigações apontam que ações de organização criminosa devem ter causado prejuízo de mais de R$ 8,6 milhões

A PF (Polícia Federal) deflagrou a operação Transbordo na manhã desta terça-feira (17) e cumpre mandados em seis Estados brasileiros — Rio de Janeiro, Alagoas, Pernambuco, Bahia, Ceará e São Paulo. São 106 mandados de busca e apreensão, 64 mandados de prisão e três mandados de interdição de empresas envolvidas em receptação de mercadorias, totalizando 173. A Polícia Federal já prendeu 26 pessoas. A maior parte dos mandados estão sendo cumpridos em São Paulo (79). Em seguida, os locais com maior atuação da PF são Bahia, com 61 mandados, Alagoas, com 29, Rio de Janeiro, com quatro, e Pernambuco e Ceará, com dois mandados cada. Os mandados foram expedidos pela 17ª Vara Criminal de Maceió (AL). O objetivo da operação é desarticular uma organização criminosa envolvida em crimes de furto e receptação de cargas e caminhões. Os criminosos faziam a falsa comunicação de roubos, adulteravam veículos, davam golpes em seguradoras e outros crimes. A investigação estima que a organização causou prejuízo de mais de R$ 8,6 milhões. A organização contava com a participação de motoristas de caminhões. Estes simulavam que foram sequestrados, enquanto outros integrantes faziam desativação dos dispositivos de segurança do caminhão e a subtração da carga.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/pf-inicia-operacao-contra-roubo-de-cargas-em-seis-estados-17072018

Após multas em mercados, procura por cartão de idoso sobe 125%
Data: 16/07/2018

Cartão garante direito do idoso parar carro em vagas reservadas; prefeitura começou a multar quem estaciona irregularmente em 2017

Ao descer do carro para fazer compras, o aposentado José Carlos Gomes, de 67 anos, pega um cartão plástico e cuidadosamente o expõe no painel do carro. Aí sai tranquilo. Adquirido há quatro meses, é o pequeno papel plastificado que garante a ele direito de parar seu carro nas melhores vagas do supermercado, as mais perto da entrada. "É bom ter ele, sim." A emissão de cartões de estacionamento para idosos cresceu 125% em São Paulo desde que a Prefeitura passou a multar quem para nas vagas especiais de locais privados, como shoppings centers e supermercados, em setembro do ano passado. De lá para cá, emitiu 62.527 cartões, ante 27.776 emissões ocorridas no mesmo período anterior, entre setembro de 2016 e junho de 2017, segundo dados obtidos pelo jornal O Estado de S. Paulo. A "corrida" por esses cartões se justifica pela mudança da fiscalização, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Até agora, 2.151 automóveis já foram multados por parar nas vagas especiais para idosos ou pessoas com deficiência, ainda segundo a companhia. O aposentado Gomes, entretanto, afirma que tem "muito espertinho" que para o carro nas vagas especiais sem ter direito a elas. "Eu vejo muito carro sem cartão", afirma. O dele foi adquirido em uma campanha promocional feita em um supermercado da zona norte de São Paulo. As reservas de vaga para idosos não são uma novidade: estão previstas desde 2003, quando o Estatuto do Idoso abordou a reserva de vagas em estacionamento. Entretanto, a fiscalização do poder público vinha sendo sobre o uso das vagas reservadas nos espaços públicos, como a zona azul nas ruas da cidade. Em 2015, o Estatuto da Pessoa com Deficiência determinou que agentes públicos estendessem a fiscalização também para as áreas de estacionamento privadas. E a corrida pelos cartões, um direito para quem tem mais de 60 anos, disparou. "A maioria das infrações foi por desrespeito às vagas de idosos, com 1.912 autuações. Já o uso indevido de vagas de deficientes rendeu 239 multas aos condutores", informa a CET, por nota. Fiscalização A fiscalização dos shoppings e mercados é feita por equipes especiais, destacadas exclusivamente para essa função, enquanto nas ruas são os mesmos marronzinhos que fiscalizam a zona azul que observam se o cartão de idoso está exposto nos painéis dos carros. Do total de multas aplicadas pelo uso indevido dessas vagas, 1.912 foram por parar na vaga de idoso, enquanto as demais 239 foram para motoristas que usaram a vaga de deficiente. Além das ações programadas, que ocorrem após a verificação, feita pela própria CET, de que o estabelecimento sinalizou corretamente as vagas especiais (há um modelo padrão na cidade), os agentes passam a visitar os estabelecimentos. As equipes também podem ser acionadas pelos próprios gestores de shoppings e mercados e por cidadãos que fazem denúncias pelo telefone 1188. A legislação prevê que 5% das vagas desses locais têm de ser reservadas para os idosos e 2% para pessoas com deficiência. Após os shoppings adaptarem as vagas, elas têm de ser avaliadas pela CET, que confere se as indicações de reserva estão corretas e, assim, pode multar os infratores. Há 8.575 vagas reservadas na cidade, em 38 shoppings e em 74 supermercados. Parar em uma dessas vagas irregularmente é uma infração gravíssima, que rende sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e resulta em aplicação de multa de R$ 293,47. Não basta "Já aconteceu várias vezes de eu chegar no mercado e não ter vaga. Às vezes tem pouca vaga e não adianta ter reserva. Mas a reserva das vagas é uma atitude muito boa", disse o aposentado Isaias Rufino Siqueira da Silva, de 83 anos. Ele conta que tirou o cartão em menos de uma semana, levando os documentos em um dia e buscando o cartão alguns dias depois. Os percentuais de vagas reservadas são determinados por duas portarias do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) de 2008. O Estado questionou a Associação Brasileira dos Shoppings Centers (Abrasce) sobre a fiscalização em São Paulo e os procedimentos que as administrações adotam quando flagram motoristas infratores. Mas a entidade não se manifestou. A regulamentação da fiscalização nos estacionamentos privados foi regulamentada em maio do ano passado pela Prefeitura. Em todo o ano passado, a Prefeitura emitiu 129,8 mil cartões de estacionamento. Entretanto, 88 mil deles (69%) foram solicitados nos três últimos meses do ano, quando a CET passou a aplicar as multas. Como obter o cartão? Qualquer cidadão com mais de 60 anos, seja condutor de veículo ou passageiro, pode pedir o cartão. Cada cidade possui suas próprias regras. Em São Paulo, o documento é emitido pela Prefeitura, em um site específico. No site, será exigido o preenchimento de um cadastro eletrônico. Ao final do processo, o requerimento será emitido, e deve ser impresso. É preciso juntar o RG, o CPF e um comprovante de endereço do idoso ao requerimento, e então optar por enviar a documentação pelo correio à Prefeitura ou ir a uma das praças de atendimento para terminar o cadastro. É preciso agendar horário antes de ir. Após o recebimento, o usuário deverá deixar o cartão exposto no painel quando for usar vagas reservadas. Copyright © 2018 Estadão. Todos os direitos reservados

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/apos-multas-em-mercados-procura-por-cartao-de-idoso-sobe-125-16072018

Auxílio por acidentes e doença somaram R$ 544,2 milhões em SP
Data: 13/07/2018

Ao longo de 2017, foram concedidos 50,5 mil benefícios a acidentados e adoecidos em todo o Estado, de acordo com o INSS

Em 2017, os trabalhadores afastados por doença ou acidentes de trabalho no Estado de São Paulo receberam R$ 544,2 milhões em benefícios. Segundo o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), o número de empregados que recebem auxílio-doença devido a acidentes variou entre 29,8 mil em janeiro do ano passado e 23,6 mil em dezembro. Ao longo de 2017, foram concedidos 50,5 mil benefícios a acidentados e adoecidos em todo o Estado. As fraturas do punho e da mão foram a maior causa desses afastamentos, com 7.500 casos. Além das fraturas, há ainda os ferimentos nessa região, que somam 1.400 ocorrências e as amputações da mão, 1.200. Foram registradas ainda 3.400 fraturas do antebraço. As fraturas da perna, pé e tornozelo somaram 8.500 casos. Em todo o país, foram 196,7 mil afastamentos por problemas de saúde relacionados ao trabalho. Somado com as aposentadorias por invalidez, o INSS desembolsou R$ 1,6 bilhão em 2017 para trabalhadores vítimas de doenças ou acidentes de trabalho em São Paulo. Em dezembro eram 50,3 mil beneficiários nessa situação no estado. Ambiente de trabalho São Paulo foi, em 2017, o estado com o maior número de autuações por não cumprimento das normas de segurança, representando 15,54% do total. Das 78,3 mil autuações aplicadas pelo Ministério do Trabalho e Emprego ao longo do ano, 12,2 mil foram em empresas paulistas, atingindo 3.300 estabelecimentos. A norma mais desrespeitada, com 2.600 registros, é a que estabelece a implementação de sistemas de segurança na indústria da construção. Até abril deste ano, já foram registrados mais de 1.500 casos em desacordo com a regra. Em 2018, o Ministério do Trabalho autuou, até o momento, 1.400 empresas paulistas, somando 5.400 autos de infração. Nacionalmente, a norma que tem mais casos de descumprimento é a da implementação do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional, responsável por 47,9% das autuações em 2017 e por 44,3% das registradas nos quatro primeiros meses deste ano. Segundo o diretor de Saúde e Segurança do MTE, Kleber Araújo, as infrações mostram que as empresas têm problemas no planejamento em relação a segurança dos funcionários. “Só com uma gestão eficiente é possível identificar o risco e fazer esse controle. Se você não faz essa gestão eficientemente você pode ter um empregado exposto a um risco que não foi identificado ou que foi identificado ou não foi controlado”, avaliou. Para ele, os números de afastamentos e adoecimentos estão diretamente ligados aos cuidados no ambiente laboral. “Reflexo de uma condição insegura de trabalho”, enfatizou. Sobre o setor da construção civil, que lidera as autuações em São Paulo, Araújo disse que o ministério tem um foco especial no trabalho que envolve altura. “É um setor econômico que merece uma atenção destacada porque nós temos muito acidentes com queda. Tanto quedas de pessoas, quanto queda de materiais sobre as pessoas”. O vice-presidente de Responsabilidade Social do Sindicato da Construção Civil de São Paulo (Sinduscon-SP), Haruo Ishikawa, pondera que o alto número de notificações está diretamente ligado a intensidade da fiscalização. “Nesses últimos dez anos, o setor que é mais fiscalizado é o da construção civil”, disse. Segundo ele, as empresas e o próprio Sinduscon têm se esforçado para garantir a utilização dos equipamentos de segurança e repassar as orientações aos trabalhadores. “Eu tenho nas 13 regiões de São Paulo técnicos de segurança que vão às empresas para acompanhar o treinamento e orientar para a utilização de equipamentos de proteção individual e coletiva”, disse. No entanto, Ishikawa ressalta que existem dificuldades devido a baixa escolaridade da mão de obra e alta informalidade no setor. “Com a informalidade você não consegue treinar esse pessoal. Mas quando ele sofre um acidente, ele entra na estatística”, acrescentou. Acidentes com a mão As ocorrências com as mãos sempre foram um dos principais tipos de acidente de trabalho, ressalta o vice-presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão, Marcelo Rosa de Rezende, com 30 anos de experiência na área. “Antigamente, era quase uma rotina você dentro de um plantão receber um amputado da mão ou do punho”, lembra o médico, que chefia o grupo especializado em mão na área de traumatologia do Hospital das Clínicas, na capital paulista. Apesar da melhoria dos sistemas de segurança e com o crescimento da mecanização, especialmente na indústria, Rezende explica que a mão é um membro que continua exposto em diversas atividades. “Seja para pegar os objetos em uma linha de montagem ou apertar um parafuso em um motor. A mão é o que de fato vai de encontro ao que você está fazendo”, enfatiza. A partir do contato com os pacientes, o especialista acredita que a maior parte dos acidentes acontece quando os procedimentos para proteção do trabalhador não são levados em consideração. “Você conversando com eles, procurando entender o que aconteceu, em geral foi uma medida que não estava em conformidade. Ele foi mexer na máquina sem o mecanismo de travamento. Ou ele teve uma atitude intempestiva diante de uma situação que não era prevista”, exemplifica. Condições de produção Para o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Weller Gonçalves, as ocorrências graves com os trabalhadores, especialmente na indústria de transformação e construção civil, decorrem das condições de produção. “Do nosso ponto de vista, isso acontece principalmente como fruto da reestruturação produtiva. Antes no local onde trabalhavam três, trabalha um fazendo o serviço dos outros dois”, avalia, acrescentando que a pressão sobre os funcionários acaba aumentado a chance de fatalidades. O problema é, na avaliação do sindicalista, que também faz parte do grupo setorial de segurança do trabalho da central sindical Conlutas, maior do que questões de infraestrutura nas fábricas e empresas. “Hoje, principalmente pela legislação e a fiscalização, as empresas dão o EPI [equipamento de proteção individual]”, disse. Por outro lado, Gonçalves acredita que em muitos casos os empregados são submetidos a jornadas extenuantes. “Muitas vezes ele tem que fazer hora extra no sábado, domingo e feriado. Isso que vai gerar os acidentes”, acrescentou.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/economia/auxilio-por-acidentes-e-doenca-somaram-r-5442-milhoes-em-sp-12072018

RJ: operação prende maior quadrilha de contrabandando de cigarros
Data: 05/07/2018

Comércio ilegal de fumo era controlado por grupo de milicianos mais importante do estado; líder do esquema chegava da lucrar R$ 1,5 mi por mês

A Polícia Civil deflagrou, na manhã desta quinta-feira (5), a operação Lawless para prender 22 suspeitos de trazer e impor a venda de cigarros contrabandeados do Paraguai em áreas dominadas por milicianos na zona oeste do Rio de Janeiro e na Baixada Fluminense. A quadrilha é apontada como responsável por movimentar a maior rede de comércio de cigarros piratas no estado. Além dos 22 mandados de prisão, policiais da 37ª DP (Ilha do Governador), com apoio de 50 delegacias e da CORE (Coordenadoria de Recursos Especiais da Polícia Civil), cumprem 53 mandados de busca e apreensão. Entre as pessoas que já foram presas, estão dois agentes penitenciários, um policial militar lotado na UPP Fazendinha e um ex-PM, conhecido como "Ecko", que comanda o grupo de milicianos Liga da Justiça. Segundo a polícia, a Liga é o maior e mais perigoso grupo paramilitar do Rio de Janeiro, atuando nos bairros de Campo Grande e Santa Cruz, na zona oeste, e em cidades da Baixada Fluminense, como Nova Iguaçu e Itaguaí. As investigações apontam que Ecko seria também dono de uma tabacaria e contrabandearia os cigarros do Paraguai. Seu faturamento mensal com o comércio ilegal de fumo é estimado em R$ 1,5 milhão. A imposição de cigarros falsos é mais um ramo explorado pelos milicianos, que controlam, entre outras coisas, sinal de TV a cabo clandestino e internet, transporte alternativo e segurança privada. A investigação começou há oito meses, após uma apreensão de celulares no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, também na zona oeste. A ação conta ainda com o apoio das Corregedorias da Seap (Secretaria de Administração Penitenciária) e da Polícia Militar. *Estagiária do R7, sob supervisão de Odair Braz Jr.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/rj-operacao-prende-maior-quadrilha-de-contrabandando-de-cigarros-05072018

Homem que tatuou a testa de jovem deixa a prisão no interior de SP
Data: 03/07/2018

Acusado, de 29 anos, que havia tatuado a testa de adolescente com a frase "eu sou ladrão e vacilão", estava preso desde junho do ano passado

Um dos autores da tatuagem "eu sou ladrão e vacilão", feita na testa de um adolescente, deixou a Penitenciária de Tremembé, no interior de São Paulo. O homem irá cumprir o resto da pena em liberdade. O tatuador, de 29 anos, foi condenado a três anos de reclusão em regime inicial semiaberto pelo crime de lesão corporal gravíssima e de quatro meses e 15 dias de denteção em regime semiaberto pelo crime de constrangimento ilegal. Ele estava preso desde junho do ano passado na Penitenciária "Dr. José Augusto César Salgado", de Tremembé II. De acordo com a SAP (Secretaria de Administração Penitenciária), o preso recebeu o alvará de soltura no dia 25 de maio. Entenda o caso O jovem, de 18 anos, teve a frase "eu sou ladrão e vacilão" tatuada na testa após uma tentativa de furto na cidade de Mairiporã, na região metropolitana paulista, em junho de 2017. A fiança de R$ 1 mil foi paga e ele responde em liberdade. O dono do estabelecimento disse, na época, que viu o rapaz colocando dois objetos dentro da calça. Ao sair do local, o comerciante abordou o jovem e descobriu cinco fracos de desodorante. Em junho, o jovem foi internado em uma clínica de tratamento contra o vício de crack e álcool. Ele também teria passado por sessões para a remoção da tatuagem, que ainda não foram finalizadas. Em outra ocasião, o jovem também é suspeito de furtar uma bicicleta na região de São Bernardo do Campo. Um tatuador e o vizinho foram presos em flagrante por tortura após prenderem o jovem e tatuarem na testa dele. Na delegacia, ambos disseram à delegada que o jovem teria tentado furtar uma bicicleta e ficaram revoltados com a situação. Por isso, "resolveram tatuar o mesmo como forma de punição". A dupla foi presa após compartilhar o vídeo em grupos de WhatsApp e as imagens viralizarem na internet.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/homem-que-tatuou-a-testa-de-jovem-deixa-a-prisao-no-interior-de-sp-03072018

Homem que tatuou a testa de jovem deixa a prisão no interior de SP
Data: 03/07/2018

Acusado, de 29 anos, que havia tatuado a testa de adolescente com a frase "eu sou ladrão e vacilão", estava preso desde junho do ano passado

Um dos autores da tatuagem "eu sou ladrão e vacilão", feita na testa de um adolescente, deixou a Penitenciária de Tremembé, no interior de São Paulo. O homem irá cumprir o resto da pena em liberdade. O tatuador, de 29 anos, foi condenado a três anos de reclusão em regime inicial semiaberto pelo crime de lesão corporal gravíssima e de quatro meses e 15 dias de denteção em regime semiaberto pelo crime de constrangimento ilegal. Ele estava preso desde junho do ano passado na Penitenciária "Dr. José Augusto César Salgado", de Tremembé II. De acordo com a SAP (Secretaria de Administração Penitenciária), o preso recebeu o alvará de soltura no dia 25 de maio. Entenda o caso O jovem, de 18 anos, teve a frase "eu sou ladrão e vacilão" tatuada na testa após uma tentativa de furto na cidade de Mairiporã, na região metropolitana paulista, em junho de 2017. A fiança de R$ 1 mil foi paga e ele responde em liberdade. O dono do estabelecimento disse, na época, que viu o rapaz colocando dois objetos dentro da calça. Ao sair do local, o comerciante abordou o jovem e descobriu cinco fracos de desodorante. Em junho, o jovem foi internado em uma clínica de tratamento contra o vício de crack e álcool. Ele também teria passado por sessões para a remoção da tatuagem, que ainda não foram finalizadas. Em outra ocasião, o jovem também é suspeito de furtar uma bicicleta na região de São Bernardo do Campo. Um tatuador e o vizinho foram presos em flagrante por tortura após prenderem o jovem e tatuarem na testa dele. Na delegacia, ambos disseram à delegada que o jovem teria tentado furtar uma bicicleta e ficaram revoltados com a situação. Por isso, "resolveram tatuar o mesmo como forma de punição". A dupla foi presa após compartilhar o vídeo em grupos de WhatsApp e as imagens viralizarem na internet.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/homem-que-tatuou-a-testa-de-jovem-deixa-a-prisao-no-interior-de-sp-03072018

Governo de São Paulo recebe autorização para privatizar Cesp
Data: 29/06/2018

Uma lei estadual obrigava a Assembleia Legislativa a aprovar a venda da estatal paulista de energia

A Cesp (Companhia Energética de São Paulo) informa que o estado de São Paulo já dispõe de autorização da Assembleia Legislativa para privatização da Companhia. O esclarecimento, enviado em comunicado ao mercado, deve-se à decisão liminar do STF (Supremo Tribunal Federal) determinando que a privatização de estatais só pode ser feita com autorização legislativa. O ministro Ricardo Lewandowski, do STF (Supremo Tribunal Federal) deferiu liminar nesta quarta-feira (27) para determinar que a venda de ações de empresas públicas, sociedades de economia mista ou de suas subsidiárias ou controladas exige prévia autorização legislativa, sempre que se cuide de alienar o controle acionário. Processo Segund reportagem do jornal O Estado de São Paulo, em março a previsão do governo era fechar em cerca de R$ 1 bilhão o valor na renovação da concessão da Usina de Porto Primavera, maior ativo da Companhia Energética de São Paulo. Este era um passo importante para destravar a privatização da empresa paulista. O processo está parado desde setembro de 2017, quando o governo paulista suspendeu o edital por falta de interessados. A privatização da Cesp será feita em uma operação conjunta entre a União e o Estado de São Paulo. Um decreto publicado em janeiro deste ano facilitou o processo, ao permitir a venda da empresa associada a um novo contrato de concessão para a usina de Porto Primavera, que vence apenas em maio de 2028. Copyright © 2018 Estadão. Todos os direitos reservados

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/governo-de-sao-paulo-recebe-autorizacao-para-privatizar-cesp-28062018

PM prende suspeito de estuprar menina de 3 anos em MG
Data: 25/06/2018

Criança foi encontrada em via pública por uma mulher, que acionou a polícia após constatar que a vítima estava com a roupa suja de sangue

Um rapaz de 19 anos foi preso suspeito de violentar uma menina de 3 anos em Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte, na noite de sábado (23). Em toda Minas Gerais, de janeiro a março, segundo o último balanço disponibilizado pela Secretaria de Segurança Pública, foram registrados 714 ocorrências de "estupro de vulnerável consumado" — esta estatística não se restringe apenas a menores de 18 anos. O caso de Nova Lima foi registrado no início da noite de sábado, quando uma mulher acionou a Polícia Militar após encontrar a criança, numa esquina, com a roupa suja de sangue e os lábios machucados. Os militares perguntaram à menina quem havia a machuacado e ela respondeu que teria sido o amigo do papai. Os policiais encaminharam a criança para um pronto-socorro de BH e foram até a casa da família da menina. No local estavam o pai, a madrasta e um casal de amigos. Todos foram conduzidos à delegacia para esclrecimentos. Enquanto isso, policiais conseguiram imagens de uma câmera num imóvel vizinho ao da família. O vídeo mostra o amigo do pai da criança passando, às 18h03, na mesma esquina em que a criança foi encontrada minutos depois pela mulher. Num lote vago vizinho, os militares encontraram uma boneca e um vestido sujo de sangue. A PM localizou o suspeito em casa e o conduziu à delegacia.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/minas-gerais/pm-prende-suspeito-de-estuprar-menina-de-3-anos-em-mg-24062018

Morre Waldir Pires, ex-ministro e ex-governador da Bahia
Data: 22/06/2018

Político sofreu uma parada cardiorrespiratória em um hospital de Salvador; ele tinha 91 anos

Morreu na manhã desta sexta-feira (22) o ex-governador da Bahia e ex-ministro Waldir Pires. Ele tinha 91 anos e sofreu uma parada cardiorrespiratória em um hospital de Salvador, onde estava internado. De 2003 a 2007, Pires ocupou os cargos de ministro da Defesa e de Controle e Transparência durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele foi governador da Bahia entre 1987 e 1989. Também foi deputado federal por três mandatos, sendo o primeiro deles em 1951, ministro da Educação no segundo governo de Getúlio Vargas e ministro da Previdência e Assistência Social de José Sarney.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/morre-waldir-pires-ex-ministro-e-ex-governador-da-bahia-22062018

Churrasco, festa e liberdade: a estreia do Brasil na periferia de SP
Data: 18/06/2018

No Jaraguá, autônomo voltou a assistir a Copa em casa após ficar quatro anos preso. No mesmo bairro, família manteve a tradição de fazer churrasco na laje

Copa nos Extremos: o R7 vai acompanhar todos os jogos do Brasil em extremos de São Paulo e trazer as histórias das festas preparadas pelos moradores da periferia. Na estreia da seleção, contra a Suíça na tarde deste domingo (17), a reportagem do R7 foi até o Jaraguá, na zona norte de São Paulo, para acompanhar a partida com o autônomo Valmir Sanches, 54, que voltou a assistir uma Copa do Mundo em casa. Em 2014, Sanches estava preso e assistiu às partidas dentro do CDP (Centro de Detenção Provisória) Vila Independência. “No presídio a gente pintava as celas e torcia bastante", relembra. "Ficamos triste com os 7 a 1, normal. Mas não tem comparação, aqui fora com a família é bem melhor.” Sanches reuniu a família — filhos, cunhado e netos — e assistiram à partida na garagem de casa. Apenas uma bandeira do Brasil embaixo do televisor mostrava a torcida. Ninguém vestia camisetas ou portava acessórios da seleção. “Depois da última Copa deu uma desanimada. A gente está acompanhando e torcendo, mas não é a mesma coisa”, diz Valmir Sanches Júnior, filho do dono da casa. A menos de um quilômetro da casa de Sanches, outra família se reuniu para assistir ao jogo. Mais confiante, eles prepararam a casa com bandeiras e quase todos estavam com a camisa da seleção. Para a cozinheira Zeranete Gomes da Silva, 44 anos, a derrota da última Copa também causou desânimo na família, mas a expectativa aumentou depois que Tite assumiu o time. Ela afirma ser muito fanática pelo São Paulo e apaixonada pela seleção. “Torço muito, fico brava, xingo, gosto muito de futebol, tanto o São Paulo como o Brasil”, diz. Tratando de clubes, Zaranete era minoria em sua casa. Quase todos são palmeirenses. Comandando a churrasqueira estava o dono da casa, o analista de contas Antônio Brito, 47 anos, enquanto a família assistia e comentava sobre os lances, principalmente as polêmicas não marcação de falta no zagueiro Miranda, no gol do Suíça, e do pênalti em Gabriel Jesus. “Aqui sempre tem festa nos jogos da seleção. Reunimos a família, fazemos um churrasco e torcemos muito. Esse ano o hexa vem, com certeza”, disse Brito. Nas próximas partidas, no entanto, o analista disse que não está confirmada a festa, por causa do trabalho: “Se folgar, com certeza tem churrasco”.

Link Notícia: https://esportes.r7.com/copa-2018/churrasco-festa-e-liberdade-a-estreia-do-brasil-na-periferia-de-sp-18062018

Chacina deixa quatro mortos no Chapéu do Sol, em Porto Alegre
Data: 18/06/2018

Motivação do crime é a guerra do tráfico na região, diz a Polícia Civil

Quatro pessoas foram mortas em uma chacina no bairro Belém Novo, extremo Sul de Porto Alegre, na madrugada deste sábado. Conforme relato da polícia, a localidade ocupada é conhecida como Chapéu do Sol e um ponto de bastante conflito entre criminosos. As vítimas do ataque não tiveram os nomes informados, mas todos eram jovens. Os corpos de três homens e uma mulher foram localizados ao amanhecer, porém a Polícia Civil informou que os assassinatos aconteceram por volta das 03h30min.O delegado plantonista da Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento de Trânsito e Homicídios, João Nazário, não esteve no local, mas disse que a chacina é relacionada ao tráfico de drogas. "Uma facção chamada de 'Os Abertos' tomaram a casa há 10 dias e, agora,foram mortos pela outra facção rival, a 'Teletubbies', que está concentrada no início da Restinga", salientou. Um dos cadáveres foi encontrado logo no acesso principal da moradia, o de um homem e de uma mulher estavam em um dos quartos e do outro, em um quarto próximo. De acordo com ele, o Instituto Geral de Perícias encontrou cartuchos de dois calibres distintos, .12 e .357.

Link Notícia: https://www.correiodopovo.com.br/Noticias/Policia/2018/6/653585/Chacina-deixa-quatro-mortos-no-Chapeu-do-Sol,-em-Porto-Alegre

Polícia de SP investiga desvio de R$ 80 milhões em telecomunicações
Data: 13/06/2018

Doze mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Santo André, Campinas, Rio de Janeiro e Curitiba e 8 pessoas são investigadas

A Polícia Civil do Estado de São Paulo investiga um desvio de aproximadamente R$ 80 milhões praticados nos anos de 2008 e 2015 por funcionários da Telefônica e da Associação Brasileira dos Empregados de Telecomunicações (ABET). Operação da Polícia Civil prende sete suspeitos de tráfico de drogas Na manhã desta quarta-feira (13), 12 mandados de busca e apreensão foram cumpridos cidades de Santo André, Campinas, Rio de Janeiro e Curitiba e 8 pessoas são investigadas, entre os investigados estão o ex-diretor de saúde da Telefônica, levado na manhã desta quarta-feira (13) para prestar esclarecimentos ao 96º DP (Brooklin). Foi solicitado a quebra dos sigilos fiscais e bancários dos envolvidos. A Polícia Civil procura mais provas que liguem os suspeitos à denúncia. O golpe funcionava através de um benefício cedido aos funcionários associados à ABET. A associação mensalmente envia uma fatura à Telefônica, onde solicita reembolsos dos benefícios prestados aos associados, porém um grupo de funcionários, entre eles, o ex-diretor de saúde da Telefônica e o superintendente da ABET, criaram empresas de fachadas, emitindo falsas faturas de serviços supostamente prestados e cobrava o pagamento à Telefônica. Entre os benefícios estão descontos em plano de saúde, medicamentos, e compra de passagens aéreas mais baratas. Operação no interior prende integrantes de 'tribunal do crime' do PCC A Telefônica recebeu cartas anônimas que denunciava a fraude. Ao instalarem uma auditoria e constatarem o golpe todo o levantamento foi entregue à Polícia Civil que investigou o caso por quatro meses. Os suspeitos responderão pelo crime de Estelionato e Organização Criminosa, pelo 96º DP (Brooklin). A Polícia apura o crime de lavagem de dinheiro, uma vez que a quantia de 80 milhões ainda não foi encontrada. O caso segue em investigação. A auditoria da Telefônica participou do caso. Por meio de nota, a Telefônica afirmou que já havia requerido a abertura de inquérito policial para apurar responsabilidade criminal de ex-colaboradores, no período de 2008 a 2014, acerca de prejuízos sofridos pela empresa em razão de valores pagos à título de despesas médicas dos seus empregados por intermédio do plano de saúde à época (Plamtel/Abet). "A empresa foi vítima nesse processo e tem plena confiança no trabalho das autoridades", declarou. A reportagem entrou em contato com a Associação Brasileira dos Empregados de Telecomunicações, mas até o momento não obteve retorno.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/policia-de-sp-investiga-desvio-de-r-80-milhoes-em-telecomunicacoes-13062018

MG registra pelo menos 92 ataques a veículos em nove dias
Data: 11/06/2018

De acordo com a Polícia Militar, até as 6h desta segunda-feira (11), já são pelo menos 92 ações registradas em 38 cidades

A série de ataques em Minas Gerais chegou ao nono dia nesta segunda-feira (11). De acordo com a Polícia Militar, até as 6h, já são pelo menos 92 ações registradas em 38 cidades de todo o Estado. Ainda segundo a PM, são 65 ataques a ônibus, além de 87 presos e 26 menores apreendidos. Em Belo Horizonte, O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros informou que, na eventualidade de nova queima de ônibus, o sistema de transporte coletivo vai paralisar as atividades, das 21h até as 4h, até que sejam coibidas em definitivo as ações dos responsáveis pelas queimas de ônibus. Na última sexta-feira, quatro homens e uma mulher ligados ao PCC (Primeiro Comando da Capital) foram presos na manhã desta sexta-feira (8) em Uberaba, no Triângulo Mineiro, por uma força-tarefa formada pelas polícias Federal, Civil e Militar. O grupo é suspeito de planejar e participar da onda de incêndios a ônibus, bancos e prédios públicos em Minas Gerais. * Estagiário do R7, com supervisão de Raphael Hakime

Link Notícia: https://noticias.r7.com/minas-gerais/mg-registra-pelo-menos-92-ataques-a-veiculos-em-nove-dias-11062018

Facção é suspeita de série de ataques em Minas Gerais, diz polícia
Data: 04/06/2018

Ao menos 24 ônibus, além de delegacias e bancos foram incendiados em várias cidades do Estado. Pelo menos 30 pessoas já foram presas

A polícia de Minas Gerais investiga se uma série de ataques a ônibus e instituições no Estado foi ordenada por membros da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital). Em várias cidades, ao menos 24 veículos, uma delegacia, um ponto de apoio da PM (Polícia Militar) e três bancos foram incendiados. Os primeiros crimes foram registrados nesse domingo 3). Até a tarde desta segunda-feira (4), 30 pessoas foram presas por envolvimento nos crimes, sendo oito em flagrante. Segundo o porta-voz da PM, major Flávio Santiago, circulam áudios na internet que atribuem os ataques à facção, mas até o momento, a veracidade não foi confirmada. — Tivemos três bancos envolvidos nesses ataques e estabelecimentos públicos como delegacia. Muitos desses envolvidos foram presos e conduzidos, em princípio, com envolvimento nos ataques. No Triângulo Mineiro, foram, ao menos, cinco ataques. Em Uberlândia, as chamas altas consumiram completamente um coletivo. A fumaça preta atingiu a rede elétrica. O fogo quase se alastrou para uma loja na rua onde o ônibus estava estacionado. Foi preciso fazer um buraco no muro para permitir a passagem das pessoas. Por causa dos ataques, a empresa que teve os veículos incendiados suspendeu a circulação da frota na cidade. Em sete municípios do Sul de Minas, ônibus também foram queimados. Alfenas foi palco de dois ataques. Os bombeiros tiveram muito trabalho para apagar o incêndio. Os veículos ficaram destruídos. Em Guaxupé, os criminosos invadiram a garagem de uma empresa de ônibus. Seis coletivos foram incendiados. Bandidos agiram da mesma maneira em Itajubá, Pouso Alegre, Passos, Vergonha e Monte Santo de Minas. Em Santa Luzia, na Grande BH, um ônibus de turismo também foi alvo. Eles quebraram a janela e colocaram fogo. A polícia foi chamada, mas os incendiários não foram encontrados. O fogo foi controlado pelo próprio motorista. Ainda não é possível apontar ligação entre os casos. Mas, segundo os militares, todas as ações registradas no Estado foram criminosas.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/minas-gerais/faccao-e-suspeita-de-serie-de-ataques-em-minas-gerais-diz-policia-04062018

Campanha de vacinação contra H1N1 termina nesta quarta-feira (30) em Goiânia
Data: 28/05/2018

Meta para gestantes e crianças ainda não foi alcançada em Goiânia O post Campanha de vacinação contra H1N1 termina nesta quarta-feira (30) em Goiânia apareceu primeiro em Jornal Opção.

Meta para gestantes e crianças ainda não foi alcançada na capital A campanha de vacinação contra a gripe será encerrada em Goiânia na próxima quarta-feira (30/5). Devem receber a dose crianças de 6 meses a menores de 5 anos, idosos a partir de 60 anos, trabalhadores da saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional. Pessoas com doenças crônicas e outras condições clínicas especiais também devem ser imunizadas. Neste caso, é preciso apresentar uma prescrição médica no ato da vacinação. Pacientes cadastrados em programas de controle de doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) devem procurar os postos em que estão registrados para receber a dose. De acordo com boletim divulgado na última sexta-feira (25), a meta de imunização de alguns grupos de risco ainda está longe de ser alcançada na cidade. O Ministério da Saúde estabeleceu que 95% da população de cada grupo deve ser vacinada, mas, até o momento, o grupo das grávidas apresenta cobertura de apenas 65,78% enquanto entre o grupo de mães de recém-nascidos a taxa é de 79,54% de imunização. No caso das crianças, cerca de 88,80% dos maiores de seis meses e menores de cinco ano já foram vacinados. No total, já foram aplicadas 419.425 doses da vacina na capital, o que representa um total de cobertura dos grupos de risco de 92,92%. “Os números em Goiânia são bons, mas ainda precisamos alcançar uma quantidade maior de crianças, gestantes e mulheres no pós-parto, que estão abaixo de 90% do preconizado”, destacou a superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS), Flúvia Amorim. O post Campanha de vacinação contra H1N1 termina nesta quarta-feira (30) em Goiânia apareceu primeiro em Jornal Opção.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/jornal-opcao/campanha-de-vacinacao-contra-h1n1-termina-nesta-quarta-feira-30-em-goiania-28052018

Sindicato diz que Rio pode ficar sem abastecimento de leite
Data: 25/05/2018

Produtores do Estado dizem não ter condições de armazenar produto por mais de 48 horas e temem prejuízos causados pelas perdas

O Sindilate-RJ (Sindicato das Indústrias de Leite do Estado do Rio de Janeiro) alertou nesta sexta-feira (25) que está com dificuldades na coleta e estocagem nas propriedades rurais do estado. Os pequenos produtores da região se queixam que não têm condições para armazenar o produto por mais de 48 horas e temem os prejuízos causados pelas perdas. O presidente do Sindlate, Antonio Carlos Cordeiro, disse à Agência Brasil que como o leite é um produto perecível não suporta mais do que dois dias, mesmo sob refrigeração. A entidade reúne mais de 10 mil produtores de leite fluminenses. “A partir de agora, vai haver não só no Rio, mas em outros estados, perda de leite por parte dos produtores para a indústria, que não tem óleo diesel para fazer a coleta do leite; não tem transportadores para escoar o produto acabado. Se a situação perdurar mais um pouco, vai haver sérios riscos de desabastecimento desse produto básico: leite e derivados”, afirmou Cordeiro.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/sindicato-diz-que-rio-pode-ficar-sem-abastecimento-de-leite-25052018

Paralisação de professores divide pais em escolas particulares de SP
Data: 23/05/2018

Docentes de pelo menos 32 escolas da capital devem parar. A categoria aprovou a medida após mais de dois meses de impasse

A paralisação dos professores da rede particular de São Paulo, marcada para esta quarta-feira, 23, pegou muitos pais e diretores de surpresa. Enquanto alguns colégios decidiu suspender as aulas, outros buscaram soluções para manter pelo menos parte das atividades. As famílias dos alunos se dividem sobre o movimento, que também teve adesão no interior. Há 15 anos a categoria não faz greve no Estado. Segundo o Sindicato dos Professores (Sinpro-SP), docentes de pelo menos 32 escolas da capital pretendem parar. A categoria aprovou a medida após mais de dois meses de impasse para aprovar a convenção coletiva. O sindicato patronal, Sieeesp, propôs uma série de mudanças em direitos, como redução do recesso escolar do fim do ano e restrição das bolsas de estudos para filhos de professor. A paralisação foi aprovada mesmo em escolas que anunciaram a manutenção desses benefícios, independentemente da convenção. Os professores dessas unidades dizem temer que, sem o documento, os direitos sejam cortados no futuro. É o caso da Escola Vera Cruz, em Pinheiros, na zona oeste, que suspendeu as aulas após a decisão do corpo docente. Para a engenheira Mariana Mirella, de 42 anos, mãe de dois estudantes de 10 e 16 anos, os professores do colégio deveriam pensar em outras formas de se manifestar sem prejudicar os pais e alunos. "A escola já disse que vai manter os direitos, então não acho que têm motivos para parar. E, se querem manifestar apoio aos colegas, deveriam buscar outras formas, um ato no sábado." A advogada Débora Barros, de 41 anos, diz considerar "legítima" a paralisação, mas não dessa forma. Ela tem um filho de 5 anos no Santa Cruz e outro, de 2 anos, no Vera Cruz. "Vou deixá-los com uma parente porque foi a alternativa que encontrei de última hora", reclama. O Santa Cruz, que manterá os benefícios, já informou que o dia letivo será reposto. Apoio Em alguns locais, pais até se ofereceram para cuidar dos amigos dos filhos. É o caso da produtora cultural Tamara Perlman, de 36 anos, que combinou com outros pais do Santa Cruz para cuidar de três colegas de sua filha, de 5 anos. "É só uma questão de se organizar, a gente faz isso quando o filho adoece e precisa ficar em casa." No Colégio Grão de Chão, na Água Branca, zona oeste, os professores avisaram à direção, por carta, sobre a paralisação. Nesta terça-feira, 22,, no horário de entrada dos alunos, pais foram informados sobre a suspensão das aulas. PublicidadeFechar anúncio O engenheiro Luiz Boffa, de 42 anos, diz que vai ficar em casa com a filha de 4 anos. "Neste momento, é mais importante que os professores lutem por seus direitos como categoria." A psicóloga Cristina Paschoal, de 40 anos, também é simpática ao movimento. "E vou tentar ir ao protesto para dar meu apoio", afirma ela, que tem um filho de 4 anos no Grão de Chão. Segundo a diretora da unidade, Lucília Franzini, o cancelamento das aulas foi necessário por não saber quantos dos docentes vão aderir. Mas afirma ter achado "desleal" a participação dos professores da unidade, uma vez que a escola vai manter os direitos da última convenção e deu reajuste salarial de 7% para todo o quadro. Na escola Politeia, também na Água Branca, segundo os professores, apenas pais de dois dos 200 alunos reclamaram da suspensão das aulas. Essas famílias criticaram por não terem sido avisadas com antecedência. Na Politeia, os docentes convidaram os pais para um debate nesta quarta, pela manhã, sobre a paralisação e a educação no País. O Colégio Equipe, em Higienópolis, na região central, também marcou aula pública para debater o tema. Em outras escolas, como Gracinha, Santa Clara, Escola da Vila, Escola Viva e Oswald de Andrade, as aulas foram suspensas e os pais escreveram cartas abertas de apoio. No Santa Maria, na zona sul, só professores do ensino médio vão parar. Segundo a direção, haverá aplicação de simulado, já previsto no calendário. Interior Também houve adesão em colégios privados do interior. Segundo a Federação de Professores de São Paulo, docentes de Campinas, Santos, Ribeirão Preto e Presidente Prudente também devem parar.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/paralisacao-de-professores-divide-pais-em-escolas-particulares-de-sp-23052018

Denatran suspende pagamento parcelado de multas com cartão
Data: 21/05/2018

Portaria iria permitir o pagamento parcelado ou à vista em cartão de crédito e débito, mas estudos foram cancelados pelo governo

O Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) suspendeu a Portaria 53, de 23 de março de 2018, editada para regulamentar o uso de cartão de débito ou crédito no pagamento parcelado de multas de trânsito. A medida havia sido autorizada pelo Contran (Conselho Nacional de Trânsito) em outubro do ano passado e a norma, agora suspensa, definia ações que deveriam ser adotadas pelos órgãos e entidades do Sistema Nacional de Trânsito para dar início à oferta do serviço. A portaria que suspende a regulamentação está publicada na edição desta segunda-feira (21) do Diário Oficial da União. O sistema que seria implado permitiria aos donos de veículos as opções de pagamento à vista ou em parcelas mensais, com a garantia de imediata regularização da situação do veículo.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/denatran-suspende-pagamento-parcelado-de-multas-com-cartao-21052018

Helicóptero da PM resgata vítima de acidente na rodovia Anhanguera
Data: 18/05/2018

Colisão entre carreta e caminhão provoca ao menos 3 km de lentidão no sentido interior do Estado de São Paulo, informou a concessionária

Uma pessoa ficou ferida em um acidente entre caminhão e uma carreta no km 20 da rodovia Anhanguera, sentido interior de São Paulo, na manhã desta sexta-feira (18). De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, a ocorrência foi registrada por volta de 6h e sete viaturas da corporação foram acionadas para ir ao local. O helicóptero Águia 9, da Polícia Militar, também foi acionado para o acidente para ser encaminhada a um hospital. Por causa do acidente, o tráfego está totalmente bloqueado no local e o motorista enfrenta 3km de lentidão, informa a CCR Autoban, concessionária que administra a via.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/helicoptero-da-pm-resgata-vitima-de-acidente-na-rodovia-anhanguera-18052018

Ligado ao caso Marielle, Orlando da Curicica está preso por outra morte
Data: 16/05/2018

Ex-PM responde a processo que investiga morte com todas características de execução de Wagner Souza, ex-presidente de escola de samba da região

Nascido e criado na Curicica, bairro da zona oeste do Rio de Janeiro, o ex-policial militar Orlando Oliveira de Araújo, de 44 anos, atualmente cumpre pena em outro endereço da zona oeste da cidade: o Complexo Penitenciário de Bangu. Na região onde morava, ficou conhecido como Orlando da Curicica, apelido que ultrapassou os limites da comunidade depois que uma testemunha o apontou como um dos mandantes do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL). Mas antes de ter seu nome envolvido com a morte da vereadora, Orlando já estava na mira da subsecretaria de Inteligência da Seseg (Secretaria de Segurança do Rio), que investigou o fato de ele ser o suposto líder de uma milícia em Jacarepaguá, bairro vizinho à Curicica. A zona oeste é considerada a fortaleza dos grupos paramilitares na capital fluminense. Quem vive na região diz temer represálias e, por isso, evita falar sobre a atuação das milícias. Um morador, que pediu para não ser identificado, explicou que, até pouco tempo atrás, os bairros da Taquara e Curicica eram controlados por três grupos, que agiam discretamente, sem tiroteios ou exibição de armas. Apesar do clima de aparente segurança, os comerciantes que faltassem com o pagamento das taxas eram ameaçados e tinham seus estabelecimentos destruídos. Os três grupos também exploravam a venda de serviços, como gás, TV por assinatura e transporte clandestino. Segundo a testemunha, a liderança de um deles estaria sob domínio de Orlando da Curicica. Porém, após sua prisão em outubro do ano passado, a região foi invadida por milicianos da Liga da Justiça, apontada pela Polícia Civil como a maior e mais perigosa do Estado do Rio de Janeiro. A disputa pelo território resultou em confrontos e assassinatos à luz do dia, trazendo terror e insegurança aos moradores. Atualmente, não é raro ver suspeitos circulando em carros com fuzis expostos nas avenidas que ligam os dois bairros. A violência experimentada pelos moradores após a saída de Orlando só fizeram aumentar sua fama na comunidade. Além de respeitado e temido, ele teria muito prestígio na área, garantiu a testemunha. Prisão de Orlando da Curicica Foi uma acusação de homicídio que o levou à prisão. Orlando é réu em um processo que investiga o assassinato de Wagner Rafael Souza, presidente da Escola de Samba União Parque Curicica, um crime com todas as características de execução. Ele foi morto a tiros dentro de um carro em Jacarepaguá, também na zona oeste da cidade, em 2015. Na época, a autoria do crime foi atribuída a Orlando por um dos passageiros do veículo atacado, que conseguiu sobreviver. A motivação teria sido a instalação de um circo na área suspostamente controlada pelo ex-PM. A vítima, porém, mudou seu depoimento durante o julgamento. A ausência de provas, no entendimento do juiz, pode acarretar na suspensão da prisão preventiva de Orlando e de outros dois homens, apontados como executores do assassinato. "Esse processo já se encontra em alegações finais, os supostos executores já foram impronunciáveis [podem ser absolvidos] por ausência de provas, então tudo leva a crer que o Orlando deva ser impronunciável pelas mesmas razões, disse o advogado Renato Darlan, que defende Orlando há dois meses. Antes disso, ele já havia sido alvo de outro processo judicial, que culminou em sua expulsão da Polícia Militar. Orlando não respondeu ao inquérito, se manteve foragido e depois de 20 anos o crime prescreveu. O R7 procurou a Polícia Militar, mas a corporação não informou a razão de seu desligamento. Depois da expulsão, Orlando da Curicica passou a trabalhar como segurança particular de eventos e foi, justamente nesse serviço, o momento em que ele teria conhecido a testemunha que o acusa de ser mandante do assassinato de Marielle Franco. Caso Marielle Orlando da Curicica foi ligado à morte da vereadora Marielle Franco por uma testemunha ouvida pela polícia. Ela contou que o ex-PM e um vereador, Marcello Siciliano (PHS), se encontraram algumas vezes para tratar da atuação de Marielle na zona oeste cidade, área com forte presença de milícias e de grande interesse eleitoral. Após saber da denúncia, o ex-PM escreveu uma carta de próprio punho negando ser um dos mandantes do crime. Na mensagem, ele disse não conhecer a vereadora e ainda acusou a testemunha de integrar um grupo de milícia na zona oeste. Preso em Bangu 1, Orlando recebeu a visita de um representante da Polícia Civil na cadeia. De acordo com o advogado Renato Darlan, um delegado tentou pressionar o cliente dele a confessar a participação na morte de Marielle. A Secretaria de Segurança confirmou que o delegado citado esteve em Bangu 1 e se encontrou com o ex-PM, mas disse que foi a pedido do preso. A defesa de Orlando afirmou também que ele está há dias em jejum por medo de ser envenenado na prisão. Na última segunda-feira (14), a Justiça atendeu ao pedido do MP e determinou a transferência de Orlando Curicica para um presídio federal de segurança máxima. O MP diz que a transferência “é de grande relevância para o interesse da segurança pública, visando inibir a atuação do preso em referência e de coibir eventuais associações criminosas, bem como quaisquer outras práticas que atentem contra o Estado e a população”. No entanto, a defesa de Orlando afirmou, na terça-feira (15), que vai entrar com um habeas corpus na Justiça para tentar suspender a decisão, já que a transferência para outro Estado afastaria o ex-PM da família e dos advogados.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/ligado-ao-caso-marielle-orlando-da-curicica-esta-preso-por-outra-morte-16052018

São Paulo vacina mais de 270 mil em Dia D contra a gripe
Data: 14/05/2018

Meta é imunizar 2,3 milhões de paulistanos até 1º de junho, quando termina a campanha de vacinação

Este sábado (12) foi o Dia D de mobilização contra a gripe em todo o Brasil. Em São Paulo, 270 mil pessoas foram vacinadas em postos e unidades básicas de saúde. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, até o momento, a campanha alcançou 35,3% da população-alvo, mais de 1 milhão de doses foram aplicadas. Teste: você sabe o que é verdade e o que é boato sobre a gripe? Os idosos são o público mais presente. Entre os vacinados, 48,7% tem mais de 60 anos. Os profissionais da saúde representam 30,2%; a população indígena, 53,4% e crianças, 15%. A campanha teve início em 23 de abril e está em sua terceira e última etapa, que inclui portadores de doenças crônicas (cardiopatias, diabetes, HIV positivo e imunodeprimidos) e outras comorbidades, além de professores. A meta da prefeitura é atingir 2,3 milhões de pessoas até 1º de junho, quando se encerra a campanha. O público-alvo da campanha é formado por crianças de 6 meses a 5 anos; pessoas com mais de 60 anos; gestantes; mães com até 45 dias após o parto; profissionais da saúde; professores da rede pública e particular; população indígena; portadores de doenças crônicas, como diabetes, asma e artrite reumatoide; pacientes com baixa imunidade, como pessoas com câncer que fazem quimioterapia e radioterapia, portadores de trissomias, como as síndromes de Down e de Klinefelter, além de funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade, como adolescentes internados em instituições socioeducativas. Os grupos prioritários foram definidos conforme diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS). A dose disponível durante a campanha é a trivalente, que protege contra três subtipos do vírus da gripe, capazes de causar infecção respiratória grave: H1N1, H3N2 e Influenza B.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/saude/sao-paulo-vacina-mais-de-270-mil-em-dia-d-contra-a-gripe-12052018

Mais de 500 mil eleitores de São Paulo devem ter título cancelado
Data: 11/05/2018

Quase 20% do total de eleitores obrigados a cadastrar biometria no Estado não regularizaram a situação para votar neste ano

Os 516.748 eleitores do Estado de São Paulo que estavam obrigados a cadastrar a impressão digital para votar neste ano e não compareceram para regularizar a situação devem ter o título de eleitor cancelado pela Justiça Eleitoral. O número corresponde a 19,9% do total de 2.583.760 eleitores obrigados a cadastrar a biometria para votar no pleito deste ano. Os números foram atualizados pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) na manhã desta quinta-feira (10), um dia após o fim do prazo para a regularizar a situação eleitoral. De acordo com o TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo), os processos de revisão do eleitorado ainda serão submetidos ao Ministério Público Eleitoral. O órgão afirma que a eventual homologação do cancelamento ou não dos títulos deve então ocorrer até o final do mês. Caso tenha o título cancelado, o eleitor ficará impossibilitado de se inscrever em concursos públicos, tirar passaporte ou CPF, renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficiais e obter empréstimos em bancos estatais. Além disso, os eleitores em situação irregular estarão sujeitos ao pagamento de uma multa por estarem impossibilitados de comparecerem ao pleito deste ano. Após ter o título cancelado, o TSE afirma que os eleitores só terão a chance de atualizar os dados junto à Justiça Eleitoral no dia 5 de novembro, após o segundo turno das eleições. Cidades A cidade de Guarulhos, segundo maior colégio eleitoral do Estado com 957.491 votantes, é o local com o maior número de cidadãos em situação irregular em São Paulo. Do total de eleitores, 224.676 (23,4%) devem perder o título pela não realização do cadastramento biométrico. A situação fez com que o prefeito de Guarulhos, Gustavo Henric Costa, o Guti (PSB), dizer que vai pedir uma a flexibilização da exigência de cadastramento biométrico para as eleições deste ano. “Perto de 600 municípios do Estado tem uma população inferior ao número de eleitores que Guarulhos perderá devido à biometria. É natural que os candidatos a deputado que têm suas bases eleitorais na cidade sejam prejudicados”, afirmou Guti em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo. Outro município do Estado com um grande número de eleitores que não cadastraram a biometria obrigatória é Sorocaba, onde 94.154 dos 509.062 eleitores aparecem em situação irregular. Entre as cidades de São Paulo onde mais de um quarto do eleitorado não cadastraram a biometria obrigatória aparecem Meridiano (29,3%), Queluz (26,6%), Pedregulho (26,4%), Cananéia (25,9%) e Guararapes (25,9%). Outros Estados Nos outros 21 Estados onde alguns municípios vão aderir ao voto biométrico nas eleições 2018, 247.857 eleitores correm o risco de ter o título cancelado. Ao todo, 20,5 milhões se encontravam na obrigatoriedade de realizar o cadastro da digital nos Estados. Confira o número de eleitores que não cadastraram a biometria em cada um dos 22 Estados: Acre: 354 de 106.959 eleitores não cadastraram a biometria Bahia: 4.225 de 4.027.276 eleitores não cadastraram a biometria Ceará: 4.653 de 1.746.143 eleitores não cadastraram a biometria Espírito Santo: 812 de 350.474 eleitores não cadastraram a biometria Goiás: 2.459 de 1.247.684 eleitores não cadastraram a biometria Maranhão: 706 de 875.849 eleitores não cadastraram a biometria Minas Gerais: 1.445 de 1.307.835 eleitores não cadastraram a biometria Mato Grosso do Sul: 684 de 574.772 eleitores não cadastraram a biometria Mato Grosso: 185.272 de 719.391 eleitores não cadastraram a biometria Pará: 2.015 de 1.376.659 eleitores não cadastraram a biometria Paraíba: 2.122 de 921.131 eleitores não cadastraram a biometria Pernambuco: 782 de 814.706 eleitores não cadastraram a biometria Piauí: 469 de 646.878 eleitores não cadastraram a biometria Paraná: 7.481 de 2.355.797 eleitores não cadastraram a biometria Rio de Janeiro: 106 de 190.214 eleitores não cadastraram a biometria Rio Grande do Norte: 28.804 de 750.136 eleitores não cadastraram a biometria Rondônia: 553 de 281.974 eleitores não cadastraram a biometria Roraima: 151 de 109.475 eleitores não cadastraram a biometria Rio Grande do Sul: 3.643 de 1.090.847 eleitores não cadastraram a biometria Santa Catarina: 967 de 726.378 eleitores não cadastraram a biometria São Paulo: 516.748 de 2.583.760 eleitores não cadastraram a biometria Tocantins: 154 de 308.156 eleitores não cadastraram a biometria

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/mais-de-500-mil-eleitores-de-sao-paulo-devem-ter-titulo-cancelado-11052018

Forças Armadas fazem operação em rodovias e comunidades do RJ
Data: 09/05/2018

Operação é realizada pela PRF em parceria com polícias Civil e Militar e tem objetivo de combater o tráfico de drogas

RIO DE JANEIRO Da Agência Brasil 09/05/2018 - 08H57 COMPARTILHAR TWEETAR A- A+ As Forças Armadas realizam na manhã desta quarta-feira (9) três operações em várias regiões do Estado do Rio de Janeiro, em parceria com as polícias Rodoviária Federal (PRF), Civil e Militar. De acordo com o comando conjunto, uma das ações está ocorrendo em rodovias que levam aos Estados de São Paulo e Minas Gerais. O objetivo das ações é combater o tráfico de drogas e armas. Na região metropolitana, estão sendo feitos patrulhamentos motorizados e bloqueios ao longo da Avenida Brasil e nas rodovias BR-116, BR-101, RJ-101 e RJ-104. Além dessas ações, as Forças Armadas fazem também cerco, estabilização e remoção de barricadas nas favelas de Furquim Mendes, Dique e Ficap, nas proximidades de Vigário Geral, na zona norte da capital fluminense. A medida é para garantir o cumprimento de mandados judiciais por roubo de cargas. Os mandados estão sendo executados pela Polícia Civil. Nas três ações, estão sendo empregados 1.550 militares das Forças Armadas, 140 policias rodoviários federais e 150 policiais civis, com apoio de meios blindados, aeronaves e equipamentos pesados de engenharia.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/forcas-armadas-fazem-operacao-em-rodovias-e-comunidades-do-rj-09052018

Bombeiros encontram 2º corpo nos escombros de prédio que desabou
Data: 08/05/2018

Corpo de Bombeiros afirma que tamanho é

O Corpo de Bombeiros encontrou, por volta das 6h30 desta terça-feira (8), mais um corpo nos escombros do edificio Wilton Paes Almeida, que desabou há uma semana no Largo do Paissandu, centro de São Paulo. Os bombeiros acreditam se tratar de uma criança. De acordo com o Corpo de Bombeiros, foi localizado um "corpo de pequeno porte, aparentemente de uma criança e com sinais de carbonização". O porta-voz dos bombeiros, capitão Marcos Palumbo, disse que é possível que outros corpos estejam próximos a esse encontrado nesta manhã. Oficialmente, as equipes de resgate ainda buscam por sete vítimas nos escombros, entre elas duas crianças, os gêmeos Welder e Wender, ambos de 9 anos, que são filhos de Selma Almeida, também desaparecida. Segundo Palumbo, o local onde o corpo foi encontrado corresponde à parte da frente do edifício. Há suspeitas de que outras vítimas estejam na mesma região. O corpo foi encontrado com auxílio da cadela Sarah, que farejou algo no local e chamou atenção das equipes. Os bombeiros então iniciaram as buscas na região e localizaram o corpo. As escavações estão sendo feitas de forma manual. O Corpo de Bombeiros informou também que há um vazamento de gás natural nesta manhã em meio aos escombros do edifício. Primeiro corpo localizado O corpo de Ricardo Oliveira Galvão Pinheiro foi o primeiro a ser localizado pelas equipes de buscas nos escombros do prédio que desabou. Os bombeiros acharam os restos mortais de Ricardo, que trabalhava como descarregador de mercadorias, na última sexta-feira (4). Ricardo foi identificado por meio da confirmação das impressões digitais pelo IRGD (Instituto de identificação da Polícia Civil). O morador desapareceu em meio ao desabamento e às chamas do edifício no momento em que era resgatado pelos bombeiros e o prédio desabou. Lista de vítimas desaparecidas: 1 - Selma Almeida da Silva 2 - Welder - de 9 anos, filho de Selma 3 - Wender - de 9 anos, filho de Selma 4 - Eva Barbosa - 42 anos 5 - Valmir Souza - 47 anos 6 - Artur Hector de Paula 7- Francisco Lemos Dantas, 56 anos

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/bombeiros-encontram-2-corpo-nos-escombros-de-predio-que-desabou-08052018

Helicóptero cai no interior do Paraná
Data: 07/05/2018

O helicóptero caiu em uma região de lavoura e o piloto foi socorrido à Santa Casa de Goioerê.

O piloto de um helicóptero que fazia um voo panorâmico em uma festa na cidade de Quarto Centenário, na região oeste do Paraná, foi resgatado com ferimentos moderados após a queda da aeronave na tarde deste domingo (6). O helicóptero caiu em uma região de lavoura e o piloto foi socorrido à Santa Casa de Goioerê. A Polícia Civil esteve no local e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) deve abrir investigação para apontar as causas do acidente.

Link Notícia: https://pr.ricmais.com.br/ultimas-noticias-parana/seguranca/helicoptero-cai-no-interior-do-parana/

RJ tem três PMs baleados na manhã desta sexta-feira
Data: 04/05/2018

Dois agentes ficaram feridos durante uma tentativa de roubo de carga em São Gonçalo; o outro foi baleado após fugir de assalto em Duque de Caxias

Três policiais militares foram baleados na manhã desta sexta-feira (4). Dois deles ficaram feridos durante uma tentativa de roubo de carga na rodovia BR-101, na altura do bairro Itaúna, em São Gonçalo, região metropolitana do Rio. Os agentes, que estavam de folga, foram socorridos e encaminhados para o Hospital Estadual Alberto Torres, onde receberam atendimento médico. De acordo com PRF (Polícia Rodoviária Federal), o crime aconteceu por volta das 10h30. Mais cedo, um outro policial militar foi baleado no pulso esquerdo e na cabeça ao fugir de uma tentativa de assalto no bairro Pilar, em Duque de Caxias. Segundo a PM, o agente, que também estava de folga, foi abordado por dois indivíduos em uma moto na avenida Leonel de Moura Brizola com a rodovia Washington Luis. O militar foi encaminhado para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, onde passa por cirurgia. Morte PM reformado Um policial militar reformado foi encontrado morto, nesta quinta-feira (3), na rua 21 do Conjunto Manguariba, em Santa Cruz, zona oeste do Rio de Janeiro. De acordo com informações do Batalhão de Santa Cruz (27º BPM), agentes da unidade foram verificar o ocorrido após receberem uma denúncia anônima. Enterro coronel Será enterrado nesta sexta-feira (4) o corpo do capitão da Polícia Militar, morto em uma tentativa de assalto no Pechincha, zona oeste do Rio de Janeiro, nesta quinta (3). O policial foi abordado por homens armados em uma moto, trocou tiros com a dupla e foi atingido por, pelo menos, 12 disparos. O sepultamento ocorre às 15h no Cemitério Parque Jardim da Saudade, em Sulacap, zona norte da cidade. Na corporação desde 2002, Contreiras estava lotado há um mês no Batalhão de Jacarepaguá (18º BPM), onde trabalhava como chefe do Serviço Reservado (P2). O oficial é o 40º policial militar morto no estado do Rio em 2018.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/rj-tem-tres-pms-baleados-na-manha-desta-sexta-feira-04052018


Data: 01/05/2018

Moradores, vizinhos e bombeiros falam sobre o incêndio e desabamento de prédio no centro de São Paulo na madrugada desta terça-feira (1º)

"Era é uma tragédia anunciada", essa é a frase mais repetida por moradores e curiosos que estão observando o trabalho dos bombeiros no Largo Paissandu, na manhã desta terça-feira (1º), depois que um prédio ocupado desabou por causa das chamas. Na praça estão reunidos alguns moradores que estavam na ocupação no momento do incêndio. Ana Paula Santos, moradora do 5º andar, diz que ouviu um estrondo. "Achei que fosse tiro, fui olhar pela janela e vi o fogo. Foi o tempo de pegar as minhas crianças e sair correndo. Tentamos avisar as pessoas. Foi um desespero", conta. Ela e as crianças ganharam colchões e cobertores da assistência social. A família pagava R$ 400 para morar na ocupação. Ana Paula acredita que o fogo começou por conta dos "gatos" - ligações elétricas irregulares. "Eu acho que foi problema de luz, mas depois teve uma explosão de um botijão de gás. Aí foi o desespero total e pouco depois desabou". Covas: 'Prefeitura não podia fazer nada. Prédio é do governo federal' Funcionários de um padaria distribuíram café com leite e pão para as pessoas que estão desabrigadas. O dono do estabelecimento, que trabalha há 50 anos na região Central, disse que ficou triste com a situação, mas não surpreso. "Tem muitos prédios nessa situação aqui. Infelizmente precisou acontecer uma tragédia para que as autoridades vejam a realidade do centro", lamentou. A professora Maísa Ferreira Alves trabalha como voluntária na região e chegou a denunciar a situação do prédio. "Eu avisei a prefeitura que a situação era terrível. Muitos fios, muito gato e sem o mínimo de condições de higiene." O morador de um prédio vizinho, Rogério Tadeu Balek estava indignado: "Em 2015 houve uma desocupação do prédio pela Defesa Civil e Bombeiros, 15 dias depois o local foi ocupado por movimentos sociais." Balek diz que foi pessalmente até o ministério público e fez uma denúncia, que foi protocolada e virou inquérito civil. Ana Cristina Macedo morou por 8 meses na ocupação e o medo a fez se mudar do local. "Umas seis famílias moravam no local que tinha muitas divisões de madeira e gatos. O triste é que muitas crianças estavam crescendo nessa situação." Governador de São Paulo fala, com exclusividade, sobre prédio que desabou na capital O coronel Ricardo Peixoto do corpo de bombeiros explica que, no momento, a equipe está trabalhando na fase de rescaldo porque ainda tem focos de incêndio. O trabalho para a retirada de entulho deve levar uma semana. "Primeiro trabalho manual , ferramentas e por fim os tratores". Sobre a mãe e os gêmeos que estariam desaparecidos, Peixoto diz que o bombeiros acreditam que eles tenham fugido do local durante a confusão. "Nós temos esperanças que eles estejam vivos e bem".

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/era-uma-tragedia-anunciada-dizem-moradores-sobre-o-incendio-01052018

Caminhão com excesso de altura derruba viga de túnel em SP
Data: 27/04/2018

Acidente no túnel Presidente Jânio Quadros aconteceu por volta das 4h35 desta sexta-feira (27). O motorista não se feriu

Um caminhão com excesso de altura, que transportava um container, colidiu e derrubou a viga de sacrifício do túnel Presidente Jânio Quadros, sentido bairro, no Itaim Bibi, zona sul de São Paulo, nesta sexta-feira (27). O motorista não se feriu. De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), além de derrubar a viga, o container transportado, de cerca de 2 toneladas, caiu na via, por volta das 4h35. Não havia carga dentro do container. Segundo a CET, um guincho chegou por volta das 5h15 para tirar o container do túnel. Não há previsão de liberação do trecho, que permanece totalmente bloqueado. Não é permitida a circulação de qualquer tipo de caminhão no túnel, em qualquer hora do dia, segundo a CET. A companhia informa que há uma placa antes da entrada do túnel avisando sobre a proibição. Portanto, o motorista vai perder cinco pontos na carteira de habilitação, além de pagar uma multa de R$ 195,23. O veículo não será apreendido.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/caminhao-com-excesso-de-altura-derruba-viga-de-tunel-em-sp-27042018

Fraudes no INSS desviaram mais de R$ 25 milhões da Previdência no Rio
Data: 26/04/2018

Cerca de 300 agentes estão cumprindo nove mandados de prisão preventiva e 51 mandados de busca e apreensão

Policiais federais fazem duas operações para combater fraudes no INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), nesta quinta-feira (26), no Rio de Janeiro. Cerca de 300 agentes estão cumprindo nove mandados de prisão preventiva e 51 mandados de busca e apreensão em endereços das regiões metropolitana e dos Lagos. A primeira delas, denominada Sepulcro Caiado visa cumprir 32 mandados de busca e apreensão e três de prisão preventiva nos municípios de Duque de Caxias, São João de Meriti, Paracambi, Araruama, Sepetiba, Niterói, São Gonçalo, Cabo frio e Rio de Janeiro (capital). Todos foram emitidos pela 10° Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. Nessa ação, a polícia investiga a atuação de uma organização criminosa que contava com a participação de um servidor do INSS na produção e na utilização de documentos falsificados que eram utilizados para a obtenção de benefícios referentes ao sistema previdenciário. Além deste, outros dois servidores do instituto, um deles já demitido, participavam das fraudes. Estima-se que mais de 80 benefícios sejam suspeitos, com os prejuízos podendo chegar a R$14 milhões de reais. Operação Anjos Na segunda operação, chamada Anjos, a PF (Polícia Federal) investiga uma quadrilha especializada em fraudar pensões, que atuava desde 2015. Estão sendo cumpridos seis mandados de prisão preventiva e 19 de busca e apreensão, ambos nos municípios de Nilópolis, Mesquita, Nova Iguaçu e Rio de Janeiro (capital). Todos foram emitidos pela 6° Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. O grupo criminoso criava casamentos entre pessoas já falecidas, gerando beneficiários fictícios para receber pensões do INSS. Estima-se que o grupo, integrado por advogados, falsificadores e empresários, tenha desviado R$ 12 milhões da Previdência. Seu líder, um ex-servidor do instituto que também é advogado, já havia sido demitido, mas permanecia atuando nas fraudes. As ações são parte de investigações da Força Tarefa Previdenciária do Rio, que é formada pela PF, pelo MPRJ (Ministério Público Federal do Rio de Janeiro) e pela COINP/INSS (Coordenação de Inteligência da Previdência Social). Segundo a Polícia Federal, as duas operações foram deflagradas simultaneamente pelo fato de compartilharem provas entre si.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/fraudes-no-inss-desviaram-mais-de-r-25-milhoes-da-previdencia-no-rio-26042018

Polícia Civil prende 14 pessoas em operação na zona oeste do Rio
Data: 25/04/2018

Ação conta com mais de 100 agentes e visa milícia que atua na região; cerca de 70 veículos irregulares foram apreendidos

A Polícia Civil faz, nesta quarta-feira (25), uma operação com mais de 100 agentes contra a milícia que atua na zona oeste do Rio e que lucra com roubo de energia elétrica, sinal de TV a cabo, comércio de produtos falsificados, entre outros. Até as 11h20, 14 mandados de prisão foram cumpridos. Os presos serão levados para a Cidade da Polícia, no Jacaré. A ação conta com a parceria de órgãos públicos que detém o controle ou fiscalizam outras atividades paralelas que possuem o envolvimento do grupo, como o transporte ilegal em vans, comércio de mercadorias falsificadas, venda e distribuição de gás e combustível e a retirada ilegal de barro. Além disso, participam da operação agentes da DRFA (Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis), DPMA (Delegacia de Porteção ao Meio Ambiente), DRCPIM (Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Propriedade Imaterial), DPCA (Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente), CORE (Coordenadoria de Recursos Especiais), assim como delegacias distritais da capital, Baixada Fluminense e interior, junto de peritos do ICCE (Instituto de Criminalística Carlos Éboli). Por fim, dão apoio aos agentes a ANP (Agência Nacional do Petróleo) e o Detro (Departamento de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro). Até o momento, além das prisões, cerca de 70 veículos irregulares foram recolhidos para um depósito público e uma central de monitoramento foi encontrada na casa do irmão do homem conhecido como Ecko, suposto líder da milícia na região. O dono da casa, localizada na comunidade Três Pontes, em Santa Cruz, conseguiu fugir após perceber a polícia através de câmeras.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/policia-civil-prende-14-pessoas-em-operacao-na-zona-oeste-do-rio-25042018

Gangue das bonitonas: como atua o grupo que rouba celulares em SP
Data: 24/04/2018

Sem uma estrutura hierárquica defina, dezenas de mulheres agiam estrategicamente em furtos e roubos em regiões movimentadas de compras

Três mulheres acusadas de integrar um grupo supostamente especializado no roubo de bens, como celulares e quantias em dinheiro e carteiras de pedestres no centro de São Paulo, foram presas na semana passada em uma operação da Polícia Civil para desmonstar um esquema que seria ainda maior. O que chamou a atenção das autoridades que investigam o caso foi a repetição dos crimes em um curto intervalo de tempo e a participação de um número elevado de mulheres nas ações. Em comum, essas mulheres têm a origem de São Paulo, a faixa etária de 30 anos e o modo de agir em supostos roubos e furtos de celulares. “Apesar de não existir uma relação hierárquica clara era como se fosse um bando de leões e a leoa líder é quem dá o sinal para os furtos começarem”, afirma Marco Antônio Paula, da seccional Centro. Segundo ele, a escolha da líder se dava pela experiência no crime. O nome “gangue das bonitonas” passou a se popularizar depois de algumas delas terem sido filmadas por câmeras de segurança de estabelecimentos na região do Largo da Concórdia e no Brás. “Tínhamos mandados de prisão contra 20 mulheres e foram cumpridos pelo menos 12, sendo mais uma menor encaminhadas à Fundação Casa”, diz ele. Embora a polícia estime que três ou quatro mulheres sejam as principais integrantes da gangue das bonitonas, existem outros grupos paralelos de mulheres que atuam no esquema investigado. “Esses grupinhos têm uma relação de amizade e de proximidade, por isso interagem entre si”, afirma o delegado. “Uma vai chamando a outra na medida que sabem que elas estão ganhando algum valor.” O delegado explica que elas atuam especialmente em regiões movimentadas de São Paulo e, segundo ele, pelo fato de serem mulheres conseguem agir de forma mais discreta nos roubos e furtos. “As vítimas também costumam ser mulheres. Elas se misturam e chamam menos atenção”, diz Antônio Paula. Uma das principais características da “gangue das bonitonas” é que, segundo a Polícia Civil, todas têm passagens por furto. Uma das delas, apelidada de Galo Cego em função de problema na visão, seria a mais experiente e com pelo menos 10 passagens pela polícia. “Elas preferem regiões centrais, como a Rua 25 de março, e eventos de grande concentração, como Carnaval e Parada Gay”, afirma o delegado. Além desses locais, elas também atuam em estações de metrô e trem em horário de pico. Segundo o delegado, as suspeitas são mulheres que já tinham contato com o crime. “A diferença é que agora elas serão presas por organização criminosa, com pena de reclusão entre três e oito anos”, afirma. “As investigações apontam indícios de organização criminosa como o fato de agirem estrategicamente, em alguns momentos elas se comunicavam com grupos paralelos, havia também corrupção de menores.” De acordo com a Polícia Civil, grande parte das integrantes da gangue das bonitonas está presa. “Mas naturalmente, elas têm contato com pessoas em liberdade”, diz Antônio Paula. “O que mais me chama a atenção é que passaram pela audiência de custódia, assinaram uma série de condições e ignoraram as medidas. Isso está além da ousadia. Amanhã elas sabem da cadeia e repetem as mesmas coisas."

Link Notícia: https://noticias.r7.com/gangue-das-bonitonas-como-atua-o-grupo-que-rouba-celulares-em-sp-24042018

Pré-candidatos ao governo de SP fazem romaria a Temer na capital
Data: 23/04/2018

Temer teria dito aos três pré-candidatos que seu apoio para eleição estadual se dará no limite da data legal de registro das candidaturas

Márcio França (PSB), João Doria (PSDB) e Paulo Skaf (MDB), todos pré-candidatos ao governo paulista, fizeram fila no fim de semana para conversar sobre o cenário eleitoral com o presidente Michel Temer. Todos reafirmaram disposição em concorrer ao cargo, durante visitas à residência do presidente, na zona oeste da capital paulista. Segundo relatos, Temer busca formar uma coligação que teria a chancela do governo federal e seu apoio pessoal, além da estrutura do MDB. O acordo em São Paulo ainda facilitaria um entendimento nacional em torno da candidatura ao Planalto de Geraldo Alckmin, desde que pesquisas indiquem o fortalecimento do tucano. Essa definição, no entanto, não será tomada tão cedo. Temer teria dito aos três pré-candidatos que seu apoio para eleição estadual se dará no limite da data legal de registro das candidaturas, quando ele próprio vai decidir se mantém sua intenção de tentar a reeleição. Hoje, ressaltou que é candidato. Temer ainda sinalizou que o avanço das pesquisas de intenção de voto será usada não somente na esfera federal, mas na estadual. A mais recente pesquisa Datafolha coloca o ex-prefeito da capital João Doria na liderança, com 29% das intenções de voto, mas também mostra o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, do mesmo partido do presidente, com boa perspectiva: 20%. O tucano tenta fechar uma aliança com Skaf ocupando uma das vagas de sua chapa ao Senado, possibilidade que, por enquanto, o emedebista rechaça. "Estamos abertos a coligações se o Doria quiser participar da nossa chapa. Mas sou candidato a governador", afirmou Skaf neste domingo (22), após se encontrar com Temer. Ele também disse ter relatado ao presidente "como as coisas estão caminhando bem", em referência à sua pré-candidatura. Cargo De acordo com o atual governador de São Paulo, Márcio França, o encontro com o presidente não se deu apenas para falar de política, mas para tratar de assuntos institucionais. Na pauta, demandas paulistas por recursos para obras na área de transportes, como o trecho norte do Rodoanel e as linhas do metrô em andamento. Sobre eleição, França diz que se posicionou como candidato. "É o que posso ser, candidato a governador, que é o meu cargo atual. Não posso disputar nenhum outro", afirmou. O governador disse ainda estar aberto a uma aliança com Skaf, por exemplo, a quem chama de amigo e por quem se sente responsável pela entrada na política — em 2010, Skaf foi candidato ao governo pelo PSB. Entre os três pré-candidatos, França é o que mais alianças costurou para o pleito de outubro. Desde janeiro, o então vice de Geraldo Alckmin (PSDB) já obteve o anúncio de apoio formal de 13 partidos — PR, SD, PROS, Podemos, Avante, PPS, PHS, PTB, PSC, PPL, PRP, PV e PMB. Doria anunciou por enquanto uma aliança com o PSD. O partido deve indicar o vice na chapa. Presidente licenciado da legenda, o ministro das Comunicações, Gilberto Kassab, chegou a se apresentar para o posto, mas recuou e resolveu permanecer no governo Temer. Alda Marco Antonio, que foi vice-prefeita da capital na segunda gestão Kassab (2009-2012) é uma das cotadas para o posto.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/pre-candidatos-ao-governo-de-sp-fazem-romaria-a-temer-na-capital-23042018

Polícia Civil e MP fazem operação contra milícia na Baixada
Data: 19/04/2018

Dos 22 mandados de prisão, seis já foram cumpridos, oito já estavam presos e três morreram em confronto no início de abril

A Polícia Civil, junto do Ministério Público do Rio de Janeiro e da Secretaria de Segurança do RJ, deflagrou a operação “Negócios Paralelos”, no começo da manhã desta quinta-feira (19), que visa prender integrantes de uma milícia atuante em Santa Cruz. Com o objetivo de cumprir 22 mandados de prisão preventiva e 29 de busca e apreensão contra integrantes do grupo paramilitar que atua na localidade conhecida como Jesuítas, no município citado anteriormente, conta com agentes da DRACO/IE (Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e de Inquéritos Especiais), da Ssinte (Subsecretaria de Inteligência) da Secretaria de Segurança, da DH/Capital (Delegacia de Homicídios da Capital), da DHBF (Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense) e do GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado). O grupo, que expandiu suas ações criminosas para os municípios de Nova Iguaçu e Seropédica, na Baixada Fluminense, a partir de 2016, começou a ser investigado pela DRACO/IE em junho de 2017, a partir de uma operação realizada na comunidade KM 32, em Nova Iguaçu, quando policiais foram atacados a tiros por milicianos. Durante essa ação, 15 veículos com placas clonadas foram apreendidos e 4 armas de fogo, além de rádios comunicadores e coletes balísticos. Além disso, as investigações revelaram que a organização tem como líder um homem conhecido como “Tandera”, além de possuir como suas principais fontes de renda a exploração de comerciantes através da cobrança de taxas de segurança, a venda de cigarros contrabandeados, a venda de botijões de gás e o acesso à TV a cabo. Três dos mandados de prisão são referentes a criminosos conhecidos como Cheetos, Tui e Cumbaca, que morreram durante uma ação policial no início do mês, no sítio Três Irmãos, em Santa Cruz, quando 159 suspeitos foram presos. Até o momento, seis mandados de prisão foram cumpridos e contatou-se que oito dos procurados já estão presos desde o episódio do sítio, citado anteriormente. PublicidadeFechar anúncio Os mandados foram expedidos pela 2ª Vara Criminal de Santa Cruz e pela 1ª Vara Criminal de Nova Iguaçu. 139 dos presos em Santa Cruz não possuem passagem pela polícia A DP-RJ (Defensoria Pública do Estado do RJ) divulgou, durante a última quarta-feira (18), a informação de que 87% dos presos durante uma festa em Santa Cruz, totalizando 139 de um total de 159, não possuíam passagem pela polícia. O documento com as informações foi entregue pela Polícia Civil à desembargadora Giselda Leitão, da 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio, responsável por analisar os pedidos de liberdade deste caso. Além disso, também encaminhado pela defensoria ao STJ (Supremo Tribunal de Justiça), que aguarda por uma decisão em função da liberdade de um dos presos. Um outro habeas corpus também foi apresentado ao juiz da 2° Vara Criminal de Santa Cruz, em nome de 40 presos representados pela defensoria, que afirma que todos são primários.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/policia-civil-e-mp-fazem-operacao-contra-milicia-na-baixada-19042018

PF prende policial com quadrilha de contrabando de cigarros
Data: 17/04/2018

Grupos movimentavam R$ 5 milhões por mês com contrabando de cigarros trazidos do Paraguai e distribuídos em Estados brasileiros

Agência Estado SÃO PAULO por AGÊNCIA ESTADO 17/04/2018 - 08H34 (ATUALIZADO EM 17/04/2018 - 08H56) COMPARTILHAR TWEETAR A- A+ Uma operação da PF (Polícia Federal) cumpre 37 mandados de prisão contra integrantes de duas quadrilhas especializadas em contrabando de cigarros, na manhã desta terça-feira (17), em Sorocaba, interior de São Paulo. Entre os presos está um policial militar rodoviário, suspeito de facilitar o transporte dos produtos. Também eram cumpridos 45 mandados de busca e apreensão e 32 de bloqueios de bens em outras cidades paulistas e dos Estados de Mato Grosso do Sul, Paraná e Espírito Santo. Caminhões e carros usados pelas quadrilhas foram apreendidos. De acordo com a PF, as quadrilhas movimentavam R$ 5 milhões por mês com o contrabando de cigarros trazidos do Paraguai e distribuídos nesses Estados, obtendo lucro líquido de R$ 2 milhões mensais. Durante o período de investigação, foram apreendidos 4 milhões de maços de cigarros. O valor da sonegação chega a R$ 14 milhões. Agentes da PF faziam buscas em casas localizadas em dois condomínios de luxo de Sorocaba, onde moram suspeitos de liderarem os bandos. Também eram alvo de buscas duas lojas de revenda de veículos que serviam de fachada para o contrabando.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/pf-prende-policial-com-quadrilha-de-contrabando-de-cigarros-17042018

Buraco, asfalto e mato: reclamações triplicam em SP no 1º trimestre
Data: 10/04/2018

Relatório do 1º trimestre 2018 divulgado pela Ouvidoria Geral de São Paulo mostra 5.346 protocolos de serviços registrados contra 1.807 em 2017

A Controladoria Geral de São Paulo divulgou o balanço de Ouvidoria do primeiro trimestre de 2018. Foram 6.171 atendimentos, dos quais 5.346 viraram protocolos de serviço. Um aumento de 195% em relação ao mesmo período de 2017, quando foram registrados 1.807 reclamações. O levantamento foi publicado na sexta-feira (6). As reclamações feitas na Ouvidoria são em segunda instância. São pedidos de serviço que entraram pelo canal 156, não foram atendidos e viraram uma reclamação. O relatório mostra detalhes desses protocolos feitos pelos moradores de cidade durante os ultimos três meses de João Doria (PSDB) à frente da Prefeitura de São Paulo — o político deixou o cargo para concorrer ao governo do Estado. A secretaria de Prefeituras Regionais continua sendo a líder em reclamações, com 3.551 pedidos procolados. A secretaria já havia sido acumulada pelo então vice-prefeito, Bruno Covas, no início da gestão Doria — Covas assumiu a chefia do executivo com a saída do prefeito eleito na última segunda-feira (9). Em seguida aparece a Secretaria de Saúde, com 191 protocolos, e Mobilidade e Transporte, com 174 pedidos de serviço. Esse resultado mostra que 66% dos problemas enfrentados pelos paulistanos envolvem zeladoria. O R7 procurou a Prefeitura de São Paulo diversas vezes desde as 12h desta segunda-feira (9). Os pedidos foram feitos por e-mail e telefone. A resposta foi enviada às 20h43: "A Secretaria de Inovação e Tecnologia registrou aumento de 37% na participação dos cidadãos nos novos canais de atendimento, quando comparada às requisições feitas ao antigo Sistema de Atendimento ao Cidadão (SAC). Novos solicitantes, que não haviam apresentado demandas em 2015 e 2016, foram responsáveis por 89% dos pedidos feitos à prefeitura em 2017. Significa que há uma tendência de crescimento tanto no Canal da Ouvidoria no 156 quanto no e-SIC (pedido de informação) devido à expansão do conhecimento dos cidadãos em relação a tais serviços. Não há, no entanto, uma relação direta entre os números de demandas e atendimentos do SP 156 e os números da Ouvidoria, em função das diversas variáveis existentes nos diferentes sistemas. Para efeito de comparação, seria importante investigar outros dados de atendimento, como o volume de solicitações de primeira instância por meio dos canais SP156 ou a natureza das reclamações que tiveram esse aumento". Prefeituras Regionais e Naturezas Entre as naturezas, o item 'árvore' continua liderando o ranking dos pedidos, com 770 reclamações (no ano passado, foram 74). Na sequência aparecem os itens 'buraco e pavimentação' (492, contra 245 no primeiro trimestre de 2017), 'capinação e roçada de áreas verdes' (434 ante 135 no mesmo período do ano passado) e 'drenagem de água de chuva' (266 contra 128 de 2017). Itaquera é a prefeitura regional com mais reclamções neste primeiro trimentre de 2018. Metade dos pedidos nesta região são sobre buracos e pavimentação. Em segundo está a prefeitura regional do Ipiranga, com a maioria dos protocolos sobre manuntenção de árvore. Em terceiro, a de Santana/Tucuruvi, com problemas de buracos e capinação.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/buraco-asfalto-e-mato-reclamacoes-triplicam-em-sp-no-1-trimestre-10042018

Sobrecarregados, hospitais do Rio atendem um baleado a cada 2h30
Data: 09/04/2018

Em 2017, emergências receberam por mês 280 feridos por arma de fogo, com prejuízo ao atendimento da população do Rio

Grávida de cinco meses, Karolyne Nunes de Almeida Alves foi baleada no Complexo do Alemão, zona norte do Rio de Janeiro. A jovem, de 19 anos, foi ferida dentro do carro do marido, que ficou no meio do fogo cruzado entre policiais e suspeitos. Levada para o Hospital Municipal Miguel Couto, ela chegou a ser submetida a uma cesariana de emergência, porém a bebê não resistiu. Ferida por um tiro de fuzil na barriga, ela deu entrada no hospital no dia 2 de dezembro do ano passado, foi operada e precisou retirar o baço. Foram 38 dias em coma induzido até falecer no dia 9 de janeiro deste ano. Karolyne é uma entre 3.387 histórias atravessadas pela violência na cidade do Rio de Janeiro. Um levantamento concluído esta semana pela rede pública de saúde à pedido do R7 mostrou que as emergências atendem, ao menos, um baleado a cada duas horas e meia. O dado leva em conta os registros dos hospitais municipais, estaduais e federais da capital fluminense durante o ano de 2017. Foram cerca de 280 pacientes atendidos por mês, com ferimentos provocados por armas de fogo, acarretando um prejuízo direto no funcionamento das unidades de saúde. O número de feridos com arma de fogo na cidade sobrecarrega ainda mais as emergências e afeta indiretamente a população que utiliza o sistema público de saúde. O levantamento revela que a crise na Segurança tornou-se também um problema de saúde pública, como explica o presidente do Cremerj (Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro), Nelson Nahon. — Os hospitais públicos já estão sobrecarregados, com déficit de médicos, com falta de insumos e a chegada de um paciente grave impacta muito, porque precisa concentrar as atenções no paciente mais grave que está chegando, exige o tempo de vários profissionais e uma atenção redobrada. A pessoa que chega à emergência com ferimento de bala é um paciente que vai demandar cuidados por alguns dias, semanas ou até meses. Grande parte dos feridos precisa passar por cirurgias, fazer exames ou de um leito para internação. Necessitam de medicamentos, curativos e, principalmente, tempo e atenção de vários profissionais. O grande número de vítimas que a violência produz diariamente acirra ainda mais um cenário que já é complexo, como indica o professor da Faculdade Mackenzie Alessandro Paiva, que estuda os impactos da violência no setor da saúde. — Não é só o atendimento. Você tem o atendimento inicial e quando estabilizar esse paciente você ainda precisa encontrar um leito para ele. Ele vai passar por cirurgia e vai ficar internado um dia, uma semana ou talvez um mês. Somando tudo isso, no final das contas, o custo da violência acaba impactando no nosso bolso com um valor bem significativo. Além do impacto financeiro, Paiva destaca que o mais grave são os prejuízos à população. Mesmo aqueles que não são vítimas diretas da violência são prejudicados por seus impactos. — Alguém vai deixar de ser atendido, porque entrou alguém baleado. Os hospitais mais próximos aos locais com os maiores índices de violência, vão ser os hospitais mais sobrecarregados. E as pessoas que moram próximo a essas unidades vão ser as mais prejudicadas, porque o hospital que deveria atendê-las vai estar com excesso de trabalho. Entre as onze emergências públicas, o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, na zona norte, lidera os registros de atendimentos a baleados na cidade. Cerca de 30% dos feridos socorridos na rede municipal são levados para a unidade. Ano passado foram 684 atendimentos, 180 a mais do que o registrado em 2016. O indicadores referentes à segurança pública da região ajudam a entender o motivo. O Salgado Filho fica próximo ao Complexo do Lins e das favela do Jacarezinho e Manguinhos, áreas que viveram uma rotina de conflitos intensos durante o ano passado. O número de pacientes vítimas de disparos de arma de fogo na rede municipal do Rio quase dobrou. Ano passado foram 2.386 pacientes, contra 1.652 atendidos em 2016. O crescimento foi ainda maior nas emergências federais, que registraram 190 casos em 2017 e 93 no ano anterior. O professor Alessandro Paiva alerta que "a violência está esgotando os recursos do serviço público e vai impactar diretamente na saúde, afetando tanto quem sofre a violência, como também quem não sofre. A situação das emergências na capital, segundo o presidente do Cremerj, é preocupante e se agrava ainda mais pela demanda vinda de cidades vizinhas. — Nas emergências, os pacientes ficam 10, 15, 20 dias praticamente internados na emergência porque não tem leito de retaguarda. Na Baixada só tem, praticamente, dois hospitais com emergência e isso ajuda a sobrecarregar os hospitais do Rio — aponta Nelson Nahon. Apesar de alarmantes, os números podem ser ainda maiores por conta das subnotificações. O Hospital Federal do Andaraí e o Evandro Freire, na Ilha do Governador, ambos na zona norte do Rio, não têm o balanço de pacientes baleados que foram atendidos.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/sobrecarregados-hospitais-do-rio-atendem-um-baleado-a-cada-2h30-09042018

Chega a 34 número de policiais militares mortos no Rio em 2018
Data: 09/04/2018

PM morto neste domingo (8) estava internado há dois meses; sargento foi baleado na cabeça durante um roubo de carga na Baixada Fluminense

O segundo sargento da Polícia Militar Décio Anastácio Nunes, de 52 anos, morreu neste domingo (8), no Rio de Janeiro, depois de ficar dois meses internado. Décio e seu irmão foram baleados durante uma ocorrência de roubo de carga no bairro Jardim Bom Pastor, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, no dia 8 de fevereiro. Os dois foram socorridos por um motorista de ambulância que passava pelo local e levados para o Hospital Geral da Nova Iguaçu (Posse), de onde foram transferidos para um hospital da zona norte da cidade do Rio. Décio, baleado na cabeça, estava em estado grave e morreu na madugada deste domingo. Seu irmão, Marcio Nunes, de 40 anos, continua internado, de acordo com o Disque Denúncia. O portal divulgou um cartaz pedindo informações que possam ajudar a identificar e prender os autores do crime. Todas as denúncias serão repassadas à DHBF (Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense), que investiga o caso. Com a morte do sargento Nunes chega a 34 o número de policiais assassinados no estado do Rio em 2018. Outros dois policiais militares morreram neste ano, mas um havia sido ferido no ano passado e o segundo, baleado em outro estado.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/chega-a-34-numero-de-policiais-militares-mortos-no-rio-em-2018-09042018

João Doria, o prefeito 'não-político', disputa segunda eleição
Data: 06/04/2018

Sem nem completar seu primeiro mandato, o gestor deixa prefeitura de São Paulo para disputar o governado do Estado

Foram apenas 15 meses à frente da Prefeitura de São Paulo. A trajetória de João Agripino da Costa Doria Júnior, mais conhecido como João Doria, como prefeito de uma das maiores cidades do país começou repleta de estratégias marketing para se descolar da imagem de um político tradicional. Em seu primeiro dia de trabalho, em 2 de janeiro, Doria se vestiu de gari para varrer a avenida Nove de Julho. A partir daí, diversas outras ações, tanto nas ruas quanto nas redes sociais marcaram o estilo de governo de um prefeito considerado por muitos como um outsider da política, ou seja, um político nada tradicional que chegaria à esfera pública para revolucionar as antigas forma de governar. Foram apenas 15 meses à frente da Prefeitura de São Paulo. A trajetória de João Agripino da Costa Doria Júnior, mais conhecido como João Doria, como prefeito de uma das maiores cidades do país começou repleta de estratégias marketing para se descolar da imagem de um político tradicional. Em seu primeiro dia de trabalho, em 2 de janeiro, Doria se vestiu de gari para varrer a avenida Nove de Julho. A partir daí, diversas outras ações, tanto nas ruas quanto nas redes sociais marcaram o estilo de governo de um prefeito considerado por muitos como um outsider da política, ou seja, um político nada tradicional que chegaria à esfera pública para revolucionar as antigas forma de governar. Doria participa de cerimônias discretas nessa sexta-feira (7), que em nada lembram as ações estratégicas do início do mandato, para se despedir da Prefeitura. Em campanha e até mesmo durante o mandato, Doria refutou ao máximo a imagem de um político tradicional. Ancorado no slogan de gestor e em promessas, como a de doar seu salário, ele conseguiu conquistar o voto do eleitor descrente da política tradicional. Outra aposta do então candidato para angariar eleitores foi o investimento no marketing por meio das redes sociais. Doria reúne até hoje 2,7 milhões de seguidores no Facebook e no início do mandato publicava vídeos curtos e informais, por vezes, gravados por um celular. A estratégia aproximou eleitores e fez com que muitos o considerassem uma espécie de novo líder. “Não sou político, sou um empresário, um gestor”, repetia o candidato. Novos e velhos métodos Apesar de, publicamente, negar a política tradicional, nos bastidores, João Doria contou com o apoio de seu padrinho político Geraldo Alckmin. Essa parceria foi fundamental para que ele ampliasse seu capital político. Mais do que isso: em outubro de 2016, ao lado de seu vice, Bruno Covas, João Doria foi eleitor prefeito no primeiro turno, com 3.085.187 votos, o que corresponde a 53,29% dos votos. João Doria se contradiz ao afirmar ter eliminado '100% das viagens' Ainda em campanha, com grande entusiasmo e cercado pela imprensa, João Doria chegou a assinar uma carta se comprometendo a não se candidatar para nenhum outro cargo político caso fosse eleito. Meses depois, os mesmos eleitores que o elogiavam nas redes sociais, mostraram indignação com a saída do prefeito. Além das ações de marketing, o mandato de Doria foi repleto de embates. O político-gestor travou uma guerra contra os grafiteiros, quando pintou de cinza a avenida 23 de Maio, se envolveu em polêmicas com ativistas contrários ao aumento da velocidade nas marginais, comandou turbulentas operações policiais na Cracolândia, foi criticado pela distribuição da farinata na merenda escolar de alunos da rede municipal e pela ação de limpeza no centro da cidade que ele mesmo considerou descuidada em julho do ano passado. Para especialistas, as medidas espetaculosas levaram ao desagaste da credibilidade de Doria. No início de fevereiro, o Ministério Público Estadual (MPE) entrou com uma ação civil contra o prefeito, na qual pede a condenação do tucano por improbidade administrativa pelo uso indevido da logomarca e do slogan Cidade Linda, criado para executar ações de zeladoria na capital. Trajetória pessoal João Agripino da Costa Doria Junior nasceu em 16 de dezembro de 1957, na capital paulista. Seu pai, João Doria, publicitário e deputado federal foi perseguido pelo regime militar em 1964, o que o fez se exilar. Com seis anos, Doria passou a viver em Paris, na França com a família. Anos depois, ele voltou ao Brasil e seu pai continuou no exílio. Aos 18 anos, época em que se graduava pela FAAP (Fundação Armando Penteado) em Comunicação Social, ele atuou em grupos de comunicação e relações públicas. Nesse período, entre os anos de 1983 e 1986, ele foi secretário de Turismo da cidade de São Paulo durante o governo de Mário Covas. Mais tarde se destacou na área dos negócios como empresário e ganhou popularidade como apresentador de televisão. De saída da Prefeitura de SP, Doria dobra verba de publicidade Na década de 1990, ele fundou o Grupo Doria, composto por seis empresas, entre elas, o grupo de Líderes Empresariais, o Lide, do qual é presidente licenciado. Ele também comandou diversos programas de televisão, entre eles, o reality show “O aprendiz”, da Record, nos anos 2010 e 2011. Casado com a artista plástica de Pinhalzinho, em Santa Catarina, Beatriz Maria Bettanin Doria, mais conhecida como Bia Doria, com quem tem três filhos: João Doria Neto 23 anos, Carolina, 16 e Felipe, 15. A família tem o hábito de acordar cedo. Ele chegou a dizer em entrevistas que acordava as 6 horas da manhã para tomar café, fazer exercícios e cuidar da agenda. Não à toa, durante a campanha, Doria escolheu a alcunha de “João Trabalhador”. Agora, um novo desafio virá pela frente: como o prefeito-gestor que se definiu como antipolítico enfrentará a segunda disputa eleitoral de sua carreira?

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/joao-doria-o-prefeito-nao-politico-disputa-segunda-eleicao-06042018

Dupla é presa com quatro vacas dentro de Fiat Uno no interior de SP
Data: 03/04/2018

De acordo com informações da polícia, incidente aconteceu por volta de 1h de domingo (1). No dia seguinte, os dois suspeitos foram liberados

Dois homens foram presos pelo furto de quatro animais em Cruzeiro, no Vale do Paraíba, interior de São Paulo, por volta de 1h do último domingo (1). De acordo com informações da polícia, os supeitos de 36 e 42 anos, foram flagrados transportando dentro de um Fiat Uno quatro vacas. A abordagem ocorreu na rua São Camilo, bairro Vila Brasil. Eles confessaram aos policias que pegaram os animais em uma fazenda no município de Queluz, no Rio de Janeiro. A distância entre Queluz e Cruzeiro é de aproximadamente 30 quilômetros. A dupla já tinha passagem pela polícia por roubo, furto e tráfico. No dia seguinte, no entanto, foram liberados.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/dupla-e-presa-com-quatro-vacas-dentro-de-fiat-uno-no-interior-de-sp-03042018

Caravana de Lula é atacada com pedras e ovos em Santa Catarina
Data: 26/03/2018

Lula participou de manhã de um ato com membros do partido e agricultores familiares em Nova Erechim

A caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi atacada com pedras e ovos por manifestantes contrários ao petista durante a passagem por São Miguel do Oeste (SC), na tarde deste domingo (25). Lula participou de manhã de um ato com agricultores familiares em Nova Erechim (SC). Durante o evento, a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, alertou para a presença de manifestantes contrários ao ex-presidente em São Miguel do Oeste. As pedradas chegaram a trincar os vidros de dois dos três ônibus que integram a caravana, entre eles o veículo em que Lula viajava. Cerca de trinta manifestantes fecharam o trevo de acesso à cidade. Quando a caravana parou, os limpadores de para-brisas dos ônibus foram arrancados, diversos ovos atirados contra os vidros dos veículos e, depois, as pedras. Um dos ovos atingiu o carro da reportagem do jornal O Estado de S. Paulo. "O que aconteceu foi um atentado criminoso. Poderia ter acontecido uma tragédia. O motorista ficou sem visibilidade", disse o deputado Paulo Pimenta (PT-RS), líder do PT na Câmara. Alguns metros adiante, policiais militares acompanharam mas não interferiram na manifestação. Outros protestos Os protestos violentos e tentativas de bloquear a passagem da comitiva do petista tem marcado a caravana de Lula pena região Sul, iniciada segunda-feira, em Santana do Livramento (RS). O ex-presidente foi obrigado a alterar o itinerário da viagem, fazer viagens de avião (a previsão inicial era de usar apenas ônibus) e impedido de entrar em Passo Fundo (RS). No sábado à noite, em Chapecó (SC), houve confronto entre manifestantes anti-Lula e militantes petistas que participavam de um ato na praça central da cidade. Integrantes da caravana acusam a participação de grupos de extrema-direita apoiadores do deputado Jair Bolsonaro. Em Florianópolis, Lula ressaltou que os participantes das atividades da caravana são "gente da paz" mas disse que eles devem "retribuir" as agressões sofridas. Em Chapecó, Lula falou em "dar porrada". "Nós não podemos permitir que pessoas sejam espancadas enquanto esperamos que a polícia cumpra seu papel. Se a polícia não pode garantir a segurança da caravana, que nos diga", afirmou Pimenta. Segundo ele, uma ideia é agregar outros dois ônibus com militantes à caravana para contrapor às manifestações contrárias.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/caravana-de-lula-e-atacada-com-pedras-e-ovos-em-santa-catarina-26032018

Escolas de SP tiveram 967 casos de assédio ou abuso sexual em 4 anos
Data: 26/03/2018

Levantamento exclusivo sobre violência nas escolas estaduais nos últimos 4 anos trazem dados sobre assédio/abuso sexual, agressão e até armas

As escolas da rede estadual de São Paulo tiveram 967 casos de assédio e/ou abuso sexual registrados entre 2014 e 2017, segundo dados do ROE (Registro de Ocorrências Escolares) obtidos com exclusividade pelo R7, via Lei de Acesso à Informação. O número representa uma média de 20 casos de assédio ou abuso sexual por mês. Essas ocorrências não distinguem casos envolvendo alunos, funcionários e terceiros. Os dados também mostram que no mesmo período foram registrados 50.448 casos de violência nas dependências das escolas estaduais, o equivalente a 34,5 casos por dia. Estes números incluem ameaças, agressões verbais ou físicas, e outros tipos de violência. Outras 2.351 ocorrências foram registradas para a posse ou encontro de armas no ambiente das escolas no mesmo período, sendo consideradas armas brancas ou de fogo. É como se a cada 15 horas uma arma tivesse sido encontrada dentro de uma escola estadual paulista. "O ROE (Registro de Ocorrências Escolares) foi criado em 2010 e permite o apontamento imediato de situações de vulnerabilidade nas escolas, como episódios de bullying, agressões, depredação do patrimônio público", explica a Secretaria Estadual de Educação. O sistema da secretaria é abastecido diariamente pelas mais de 5 mil escolas estaduais do sistema estadual de ensino. Ainda de acordo com a pasta, "os dados norteiam a adoção de políticas educacionais e pedagógicas nas unidades de ensino". Especialistas ouvidos pelo R7 apontam que os números permitem traçar um panorama da violência nas escolas da rede estadual. Alguns, inclusive, ficam espantados com os dados. "É um horror, são números que revelam uma triste realidade", diz Miriam Abramovic, socióloga especialista em estudos de violência escolar. “Em muitos casos, professores e diretores não sabem o que fazer, por isto é preciso um plano eficiente que adote o combate a violência escolar como política pública permanente”, diz Miriam. Assédio e/ou abuso sexual O ano de 2017 foi o com maior número de casos registrados de assédio e/ou abuso sexual nas escolas estaduais paulistas, quando foram registrados 263 casos. Em 2016, por exemplo, foram 201 casos, outros 259 em 2015 e 244 em 2014. Se for considerado o ano letivo, que é de 200 dias, ocorreram nos últimos quatro anos nas escolas estaduais de São Paulo, mais de um caso de assédio e/ou abuso sexual por dia. "Nós tabulamos qualquer ocorrência de conhecimento da direção que tenha cunho sexual, seja entre alunos, com envolvimento de funcionários ou pessoas estranhas", diz a diretora de uma escola que preferiu não se identificar. Os dados detalhados de uma diretoria de ensino da rede estadual na cidade de São Paulo, que gerencia ao menos 12 escolas estaduais, obtidos pela reportagem, registraram 26 casos em 2016. Um deles foi de estupro, os demais de assédio e/ou abuso sexual. Casos como o da jovem Mariana*, atualmente com 15 anos, fazem parte das ocorrências de 2015. Na época ela tinha 12 anos e afirma ter sido estuprada por dois colegas em uma escola estadual na zona sul de São Paulo. Segundo a mãe da adolescente, os garotos tinham 14 anos e arrastaram a menina do corredor para o banheiro masculino, onde teriam cometido o estupro. A mãe ainda afirma que um deles fugiu e o outro garoto foi encaminhado para a Fundação Casa. Apesar do número, nem todos casos de assédio nas escolas são registrados. De acordo com Júlia*, 18 anos, ela foi vítima quando estava no primeiro ano do ensino médio. "Uma menina me segurou pelo braço e tentou forçar um beijo", afirma. A jovem ainda destaca que não levou o caso para a direção da escola por acreditar que não resolveria a situação. "Nunca levei nada pra diretoria, justamente por achar que não adianta. Os gestores parecem que nunca se importam com os alunos", diz Júlia. Ela concluiu o ensino médio no final de 2016. Agressões e ameaças Os casos de agressões registrados no sistema da Secretaria Estadual de Educação somam 50.448 casos nos últimos quatro anos. O ano de 2014 foi o mais violento, com 14.816 ocorrências registradas. Em 2015, 13.510 casos foram registrados, enquanto em 2016 houve registro de 11.531 ocorrências. No ano passado, foram 11.221 casos registrados. Os dados mostram uma queda gradual, mas professores e diretores ouvidos pela reportagem afirmam que, por outro lado, a gravidade dos casos aumentaram. Entre estes casos estão registrados agressões físicas, verbais, ameaças, discriminação, bullying e a ação violenta de grupos e gangues. Os casos de agressões físicas são os mais comuns. Na diretoria de ensino o qual o R7 obteve acesso aos dados, este tipo de violência respondem por 17% das ocorrências registradas em 2017. Um dos casos registrados no sistema é o de Enzo*, de 15 anos. No ano passado ele se envolveu em uma briga na escola em que estudava, na zona leste paulistana. Segundo o jovem, um colega de classe com quem já havia discutido deu um soco e os dois começaram a brigar dentro da sala de aula. "Depois que ele me acertou, começamos a brigar e a professora tentava separar", lembra. Os dois alunos foram parar na direção da escola e receberam advertência. Seus dados passaram a constar no Registro de Ocorrências Escolares como agressão física. Armas nas escolas Outro tipo de ocorrência registrada no ROE são a posse ou encontro de armas ou objetos perigosos nas escolas. Foram 2.351 casos nos últimos quatro anos. "Registramos ali desde uma ameaça com um estilete, até estilingue ou casos mais graves, como armas ou facas", explica a diretora que não quer se identificar. O ano passado foi o com maior número de registros: foram 693 casos de posse de armas. Em 2014 eram 598, 555 ocorrência em 2015, e em 2016, 505 casos foram registrados no ROE. Em outra diretoria de ensino, por exemplo, foram 14 casos de posse ou encontro de armas e/ou outros objetos perigosos em 2016. A maioria deles de armas brancas. Uma escola do interior de São Paulo registrou, em 2015, um destes casos. Uma aluna foi flagrada com uma faca por uma professora e o caso foi registrado no ROE. Mais recentemente, um aluno de 12 anos foi flagrado com um revólver calibre ponto 22 em uma escola estadual. A diretora, além de chamar a polícia, registrou o caso no ROE. Questões disciplinares Dos quatro anos que o R7 teve acesso aos dados de problemas em ambientes escolares da rede estadual, 2015 foi o que mais teve registros em questões disciplinares. Segundo os dados oficiais do Governo de São Paulo, houve 23.103 registros de “episódios de indisciplina recorrente, utilização indevida de aparelhos eletrônicos e saída injustificada de atividade pedagógica/sala de aula”. Em 2014, os dados apontam que houve 28.222 registros de indisciplinas. O ano com menos casos registrados foi 2016, com 17.868. Os dados mais recentes, do ano passado, registram 18.391 ocorrências. No ano com mais indisciplinas registradas, em 2015, Lucas*, atualmente com 20 anos, contribuiu pelo menos duas vezes. A primeira, por causa de uma planta desenhada em um trabalho acadêmico: “falaram que era uma folha de maconha, a professora jogou meu trabalho fora, eu comecei a debater e fui levado para diretoria”. Depois, o estudante novamente foi levado para diretoria porque estava com fone de ouvido pendurado no pescoço durante a aplicação de uma prova. Como o fone estava desconectado do celular, Lucas recusou tirá-lo do pescoço depois das solicitações da professora e diretora. “Eu tinha terminado a prova e fiquei com o fone de ouvido no pescoço. A professora mandou tirar, eu falei que o fone não estava sendo usado. A diretora chegou e também mandou tirar. De novo, falei que não ia tirar porque eu não estava usando e elas estavam fazendo aquilo só para mostrar que eram superiores, e queriam dar ordem. Eu não tirei, e fui levado para diretoria”, lembra. O jovem estudava em uma escola estadual na Lapa, na zona oeste da capital. Durante as ocupações escolares entre 2015 e início de 2016, a escola foi uma das últimas a ser desocupada pelos alunos contra a reestruturação do Governo nas unidades escolares. Neste período de ocupação, Lucas afirma que conversou com um professor e começou a entender sobre “abusos de autoridades e algumas ‘tirações’ que os alunos eram submetidos”. Atualmente, ele trabalha como auxiliar administrativo e afirma que está “procurando algo melhor”. Dados ajudam a combater violência A Secretaria de Educação afirma que os dados do Registro de Ocorrências Escolares servem para direcionar “a adoção de políticas educacionais e pedagógicas nas unidades de ensino”. Segundo a pasta, as informações são utilizadas como fonte de informação para programas que visam reduzir a violência nas escolas e que os dados têm “cunho pedagógico e educacional” para que as escolas trabalhem com as causas dos conflitos, suas origens, e não apenas com os seus sintomas ou manifestações. A Secretaria destaca, entre as ações de combate a violência nas escolas, o programa de mediadores, que cria a figura de um professor ou diretor que atua na mediação de conflitos e atua no diálogo para mitigar problemas de violência. Na Escola Estadual Professo Gabriel Ortiz, por exemplo, uma professora-mediadora que também tem formação em psicologia, desenvolveu um trabalho de formação com jovens do ensino médio para que os alunos possam perceber problemas na sala de aula e discutirem ações para resolve-los. A secretaria diz ainda que todas as escolas da rede possuem programas de mediação.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/escolas-de-sp-tiveram-967-casos-de-assedio-ou-abuso-sexual-em-4-anos-26032018

Termina hoje prazo para 438 mil eleitores cadastrar biometria em SP
Data: 23/03/2018

Votantes de Guarulhos, Sorocaba, e mais sete cidades devem registrar a digital sob risco de cancelamento do título de eleitor

No último dia do prazo para o cadastramento obrigatório da biometria, 438,2 mil eleitores de nove cidades paulistas precisam procurar um cartório eleitoral para acertar as contas com a Justiça Eleitoral. Precisam regularizar a biometria os votantes de Guarulhos, Botucatu, Itatinga, Pardinho, Várzea Paulista, Sorocaba, Araçoiaba da Serra, Salto de Pirapora e Votorantim. Conforme último balanço divulgado pelo TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo), divulgado na manhã desta sexta-feira (23), 24,2% dos eleitores (438.238 eleitores) ainda não regularizaram a situação eleitoral para votar com o uso a digital já nas eleições deste ano. A situação mais preocupante é a da cidade de Guarulhos, segundo maior colégio eleitoral do Estado, onde 27,2% dos 943.032 eleitores ainda não cadastraram a digital. São 256.825 pessoas com situação irregular. O município de Sorocaba também preocupa o TRE. Com 498.590 eleitores, 388.723 (22%) dos residentes na cidade ainda não regularizaram a situação para votar neste ano. Em outras 75 cidades do Estado, o prazo limite para comparecer aos pontos de atendimento vai até o dia 27 de março. Cancelamento do título Quem não realizar o cadastramento da digital dentro do prazo estipulado terá o título de eleitor cancelado, afirma o TRE-SP. O cancelamento impede o eleitor de se inscrever em concursos públicos, obter passaporte ou CPF, renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial e obter empréstimos em bancos estatais. De acordo com a assessoria do TRE-SP, os eleitores que perderem o prazo agora, nos dias 23 (hoje) e 27 (terça-feira), terão de fato o título cancelado e não existe nenhuma movimentação que indique o adiamento do prazo. No entanto, a assessoria diz que esses eleitores que tiverem o título cancelado terão até o dia 9 de maio (último dia para transferir e tirar o título de eleitor para votar neste ano) para regularizar a situação. Depois disso, só no fim do ano. Como cadastrar? Em todos os 84 municípios onde o cadastramento é obrigatório para as eleições deste ano, os eleitores podem fazer o cadastramento das digitais em postos de atendimento, cartórios eleitorais e nas unidades do Poupatempo com serviços eleitorais. Para realizar o cadastramento biométrico, é necessário ter em mãos um documento de identificação com foto (RG ou Carteira de Motorista), um comprovante de residência e o título de eleitor, se tiver. A lista com os endereços para efetuar o cadastro da digital pode ser consultada pelo site do TRE-SP.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/termina-hoje-prazo-para-438-mil-eleitores-cadastrar-biometria-em-sp-23032018

Mais de 450 mil eleitores têm só até sexta-feira para cadastrar biometria
Data: 19/03/2018

TRE-SP indica que 26,7% dos eleitores de SP com recadastramento obrigatório ainda não realizaram o procedimento

Mais de 450 mil eleitores paulistas, que votam nas cidades de Guarulhos, Botucatu, Itatinga, Pardinho, Várzea Paulista, Sorocaba, Araçoiaba da Serra, Salto de Pirapora e Votorantim, têm apenas mais cinco dias para realizar o cadastramento biométrico. O prazo termina na próxima sexta-feira (23). Segundo o último balanço do TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo), divulgado na sexta-feira (16), 481.443 dos 1.798.543 de eleitores dos nove municípios (26,7%) ainda não regularizaram a situação eleitoral para votar com o uso a digital já nas eleições deste ano. A situação mais preocupante é a da cidade de Guarulhos, segundo maior colégio eleitoral do Estado, onde 29,6% dos 940.403 eleitores ainda não cadastraram a digital. Em outras 75 cidades do Estado, o prazo limite para comparecer aos pontos de atendimento vai até o dia 27 de março. Cancelamento do título Quem não realizar o cadastramento da digital dentro do prazo estipulado corre o risco de ter o título cancelado, afirma o TRE-SP. O cancelamento impede o eleitor de se inscrever em concursos públicos, obter passaporte ou CPF, renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial e obter empréstimos em bancos estatais. Como cadastrar? Em todos os 84 municípios onde o cadastramento é obrigatório para as eleições deste ano, os eleitores podem fazer o cadastramento das digitais em postos de atendimento, cartórios eleitorais e nas unidades do Poupatempo com serviços eleitorais. Para realizar o cadastramento biométrico, é necessário ter em mãos um documento de identificação com foto (RG ou Carteira de Motorista), um comprovante de residência e o título de eleitor, se tiver. A lista com os endereços para efetuar o cadastro da digital pode ser consultada pelo site do TRE-SP.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/mais-de-450-mil-eleitores-tem-so-ate-sexta-feira-para-cadastrar-biometria-19032018

Temer libera recursos para intervenção federal no Rio
Data: 19/03/2018

Presidente Michel Temer se reuniu neste domingo (18) em Brasília com o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira

O governo federal vai liberar recursos extras para a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro, anunciou neste domingo (18) o ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira. A quantia ainda não foi definida nem a fonte dos recursos, mas o anúncio deve ser feito até sexta-feira (23). Oliveira se reuniu com o presidente Michel Temer na noite de hoje no Palácio da Alvorada, em Brasília, juntamente com outros ministros. Na saída da reunião, o ministro disse que o governo irá liberar um crédito extraordinário para a intervenção, além de recursos para o Ministério Extrordinário da Segurança Pública. — Ficou encaminhado da seguinte maneira: nós teremos para o Rio de Janeiro um crédito extraordinário, cujos valores ainda estão sendo levantados pelo Ministério da Segurança Pública e pelo interventor. Deveremos ter isso até o final desta semana enviado ao Congresso Nacional. Nesta semana o governo irá definir qual parte do orçamento sofrerá cortes para o investimento em segurança. Em seguida será enviado um projeto de lei ao Congresso. — Teremos recursos para o Ministério da Segurança Pública nas suas atividades e para implementar sua política junto aos Estados e ao sistema de segurança pública. Será feito através de um projeto de lei de crédito especial, que também será enviado até o final da semana. As fontes desse crédito extraordinário ainda não foram completamente definidas. Estaremos nos próximos dias elaborando as fontes dentro do Orçamento que serão remanejadas para atender a essa demanda da área de segurança. Participaram do encontro os ministros Extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann; da Justiça, Torquato Jardim; do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira; da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco; da Casa Civil da Presidência da República, Eliseu Padilha; e do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, Sérgio Etchegoyen.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/temer-libera-recursos-para-intervencao-federal-no-rio-18032018

Feirão Limpa Nome começa nesta segunda-feira em São Paulo
Data: 19/03/2018

Última edição do Feirão auxiliou mais de 1 milhão de consumidores com descontos de até 95%

Os mais de 4 milhões de consumidores inadimplentes da cidade de São Paulo têm nesta semana a oportunidade de negociar suas dívidas com bancos, financeiras e recuperadoras de crédito na 21ª edição do Feirão Limpa Nome do Serasa, que segue até sábado (24), no Vale do Anhangabaú. Atualmente, 60,5 milhões de brasileiros estão com o nome sujo, sendo 14,2 milhões somente no Estado de São Paulo. De acordo com o Serasa, 29% dos inadimplentes então com as dívidas pendentes com bancos e cartões. Na última edição do Feirão, que aconteceu somente online em novembro de 2017, mais de 1 milhão de consumidores que estavam com as contas negativadas negociaram ao menos uma dívida. Na edição passada, os descontos acordados chegaram a até 95% e as dívidas mais renegociadas foram de bancos e financeiras (30,5%), cartões (26,6%) e telefonia e internet (19,4%). Agora os inadimples terão a chance de ficar frente a frente com as empresas para a negociação dos débitos. As empresas Omni, Banco Pan, Recovery, Santander, Porto Seguro Cartões e Caixa Econômica Federal já estão confirmadas no Feirão. Serviço Feirão Limpa Nome Data: de 19 a 24 de março, das 8h às 18h Local: Vale do Anhangabaú, embaixo do viaduto do chá

Link Notícia: https://noticias.r7.com/economia/feirao-limpa-nome-comeca-nesta-segunda-feira-em-sao-paulo-19032018

Vacina contra febre amarela pode ser tomada em todas UBS em SP
Data: 19/03/2018

Para receber a vacina, o usuário deverá comparecer à UBS com documento de identificação e, se possível, o cartão SUS e de vacinas

A SMS (Secretaria Municipal de Saúde) de São Paulo disponibiliza a vacina contra a febre amarela a partir desta segunda-feira (19) em todas as 466 UBS (Unidade Básica de Saúde). Desde 25 de janeiro, 2,4 milhões de pessoas já foram vacinadas. De acordo com a prefeitura, desde setembro de 2017 até esta quinta-feira (15), 5.837.122 pessoas receberam a dose da vacina contra a febre amarela, o que representa uma cobertura de quase 49,9% da população. "Não há motivo para pânico ou formação de filas de madrugada, pois a dose estará disponível para todos e por um período razoável de tempo", afirma Wilson Pollara, secretário municipal da saúde. Para receber a vacina, o usuário deverá comparecer à UBS com documento de identificação e, se possível, o cartão SUS e de vacinas. O atendimento será realizado levando em conta a capacidade operacional de cada unidade. "Em caso de alguma unidade receber demanda acima do esperado ou da sua capacidade, poderá recorrer sim à distribuição de senha", explica. Cabe lembrar que a chamada dose padrão é aplicada apenas em casos específicos, como viajantes internacionais, crianças entre nove meses e dois anos, pessoas com condições clínicas especiais e gestantes. Nas demais situações, é ministrada a dose fracionada, que tem a mesma eficácia da dose padrão e protege por, ao menos, oito anos. Imunização na capital A campanha de vacinação contra a doença começou no município em setembro do ano passado no distrito Anhanguera, na região norte, e expandida para outros distritos da região após a confirmação da morte de um macaco por febre amarela no Horto Florestal. Nos meses seguintes, a ação preventiva foi expandida para outras regiões da capital, levando-se em consideração a proximidade com áreas de risco de contato com o vírus da febre amarela, como os chamados corredores ecológicos. Até o momento, foram confirmadas 136 epizootias (morte de primatas não-humanos no município pela doença) e oito casos autóctones da doença em moradores de São Paulo. É importante ressaltar que todos estes casos são de febre amarela silvestre; ou seja, adquiridas em regiões de mata. A SMS reforça que a vacina contra a febre amarela não é indicada para crianças menores de nove meses de idade, gestantes, mulheres amamentando crianças com até 6 meses e pacientes com imunodepressão de qualquer natureza, com neoplasia (câncer), com HIV, em tratamento com drogas imunossupressoras (corticosteroides, quimioterapia, radioterapia, imunomoduladores) e submetidos a transplante de órgãos. Em caso de dúvida, é importante consultar o médico. Mulheres amamentando crianças com até 6 meses de idade e gestantes que são residentes das áreas de risco devem ser vacinadas, após avaliação do médico do pré natal.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/vacina-contra-febre-amarela-pode-ser-tomada-em-todas-ubs-em-sp-19032018

Morte de vereadora do Rio 'muito infelizmente reflete as estatísticas', diz diretor da ONU
Data: 15/03/2018

'No Brasil, um jovem afrodescendente é morto a cada 21 minutos', segundo o diretor do Centro de Informações da entidade no país

A morte da vereadora carioca Marielle Franco (PSOL-RJ), alvejada na noite desta quarta-feira após sair de um debate com mulheres negras no centro do Rio de Janeiro, é "definitivamente chocante", mas infelizmente não chega a surpreender quem acompanha as estatísticas de violência do Estado. Quem afirma é o italiano Maurizio Giuliano, diretor do Centro de Informações da Organização das Nações Unidas para o Brasil, com sede no Rio de Janeiro. "No Brasil, um jovem afrodescendente é morto a cada 21 minutos", disse Giuliano em entrevista à BBC Brasil, por telefone, na noite desta terça. "Apesar de chocante, e certamente chocar os seguidores de Marielle, muito infelizmente isso reflete as estatísticas." A morte a tiros da quinta vereadora mais votada do Rio de Janeiro, eleita em 2016 com 46.502 votos, gerou uma onda de comentários e condolências que incluiu esferas federais, estaduais e municipais. Em nota oficial, o Palácio do Planalto afirmou que acompanhará toda a apuração e que "o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, falou com o interventor federal no Estado, general Walter Braga Netto, e colocou a Polícia Federal à disposição para auxiliar em toda investigação". Já a Secretaria de Segurança Pública do Estado informou que "determinou à Divisão de Homicídios ampla investigação sobre os assassinatos da vereadora Marielle Franco e de Anderson Pedro Gomes (motorista da vereadora), além da tentativa de homicídio da assessora que a acompanhava". A Prefeitura do Rio de Janeiro decretou luto de três dias. "A honradez, bravura e espírito público dessa atuante vereadora serão sempre um exemplo", escreveu o prefeito da cidade, Marcelo Crivella, pelo Twitter. "Não vamos deixar que sua trajetória seja esquecida, não permitiremos que esse crime fique impune." O PSOL, por sua vez, disse que "uma mulher, negra, mãe e defensora da igualdade, nascida e criada na Maré, foi tombada" e pediu "imediata apuração dos fatos" diante de "tamanha brutalidade". Violência contra negros e negras Informações preliminares da Polícia Militar do Rio apontam que Marielle teria sido atingida por pelo menos quatro tiros na cabeça. A principal linha de investigação é a hipótese de execução. "Acreditamos que as autoridades brasileiras vão trazer à luz o que aconteceu e por quê. Mas, de forma ampla, em todo o mundo, nós estamos preocupados com os desafios e riscos que defensores dos direitos humanos enfrentam", disse o diretor da ONU à BBC Brasil. Giuliano é o representante oficial no Brasil do secretário-geral da ONU, António Guterres, por quem foi nomeado em abril do ano passado. Antes do Rio de Janeiro, o italiano passou por escritórios humanitários das Nações Unidas em países como Afeganistão, Paquistão, República Democrática do Congo, Sudão e Timor Leste. À BBC Brasil, o diretor lembrou que, com ou sem intervenção federal no Rio, a "violência no Rio de Janeiro infelizmente não é algo novo". "Seja antes ou durante o comando da segurança no Rio pelas Forças Armadas, os níveis de violência na cidade e especialmente nas favelas são extremamente altos. E as pessoas afrodescendentes são quem vive o pior disso", avaliou. Segundo o Atlas da Violência 2017, divulgado pelo Ipea e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, 71 a cada 100 vítimas de homicídios no Brasil são negras. Mulheres como Marielle Franco vêm ganhando protagonismo neste triste cenário: os assassinatos de mulheres negras cresceram 22%, entre 2005 e 2015, ao mesmo tempo em que a mortalidade de não-negras (brancas, amarelas e indígenas) caiu 7,4%. Críticas à violência nas favelas Marielle Franco cresceu no Complexo da Maré e morava na Tijuca, na Zona Norte do Rio. Formada em Sociologia pela PUC-Rio e mestre em Administração Pública pela Universidade Federal Fluminense (UFF), ela tinha como principal bandeira a defesa aos direitos humanos, com atenção especial a moradores de favelas, mulheres e afrodescendentes. Em 15 meses na Câmara de Vereadores, ela apresentou 16 projetos de lei. Dois deles foram aprovados como leis concretas: um sobre a regulação de mototáxis, importante meio de transporte em favelas, e outro sobre contratos da prefeitura com organizações sociais de saúde, alvos frequentes de investigações sobre corrupção. No final de fevereiro, Marielle se tornou relatora de uma comissão de vereadores que acompanha o trabalho de militares na intervenção federal na área de segurança do Rio. No último dia 10, ela criticou publicamente uma série de operações policiais na favela de Acari, região com altos índices de violência na cidade. "Precisamos gritar para que todos saibam o está acontecendo em Acari nesse momento. O 41° Batalhão da Polícia Militar do Rio de Janeiro está aterrorizando e violentando moradores de Acari. Nessa semana, dois jovens foram mortos e jogados em um valão. Hoje a polícia andou pelas ruas ameaçando os moradores. Acontece desde sempre e com a intervenção ficou ainda pior", escreveu a vereadora nas redes sociais. Marielle também era presidente da Comissão de Defesa da Mulher na Câmara carioca. Ela tinha 39 anos e deixa uma filha. BBC Brasil - Todos os direitos reservados - É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC

Link Notícia: https://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/morte-de-vereadora-do-rio-muito-infelizmente-reflete-as-estatisticas-diz-diretor-da-onu-15032018

PMs presos por extorquir traficantes em SP são investigados por chacina
Data: 15/03/2018

Polícia Civil de Taubaté (interior paulista) apura o envolvimento dos policiais no crime que matou três jovens em fevereiro do ano passado

Policiais militares presos na manhã desta quarta-feira (14), na região do Vale do Paraíba, são investigados pela Polícia Civil de Taubaté (130 km da cidade de São Paulo) de serem responsáveis pela chacina que vitimou três rapazes de 21, 24 e 25 anos, em fevereiro do ano passado. A operação em conjunto da Corregedoria da PM, Comando de Policiamento do Interior e Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) prendeu 20 policiais militares acusados de extorquir traficantes na região e outros quatro civis. No entanto, "alguns dos policiais militares" são investigados pelos homicídios dos jovens, conforme informa a SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo). Em nota, a pasta afirma que os policiais presos serão encaminhados para o Presídio Militar Romão Gomes e devem passar pela audiência de custódia na tarde desta quinta-feira (15), no TJM-SP (Tribunal de Justiça Militar do Estado de São Paulo), no centro da capital. Segundo o MP-SP (Ministério Público do Estado de São Paulo), as investigações contra os policiais começaram a partir da chacina do Parque Mauá, em Taubaté, e juntou "elementos suficientes que indicavam a existência de organização criminosa". Dos PMs presos, 19 estavam com mandados de prisão e um foi preso em flagrante por porte ilegal de armas e drogas. De acordo com a SSP-SP, a operação apreendeu 12 armas, 731 munições, nove simulacros, 41 celulares e drogas que foram encaminhadas para perícia em mandados cumpridos nas cidades de Taubaté, Pindamonhangaba, Guaratinguetá e Registro. A pasta ainda disse que "não compactua com desvios de conduta e todas as denúncias são rigorosamente investigadas pelas respectivas Corregedorias". "Após minuciosa apuração, se comprovada as irregularidades apontadas, os responsáveis podem ser penalizados na esfera civil e criminal", finalizou a nota.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/pms-presos-por-extorquir-traficantes-em-sp-sao-investigados-por-chacina-15032018

Confusão em baile funk deixa quase 80 feridos no Rio de Janeiro
Data: 12/03/2018

Confusão em baile funk deixa quase 80 feridos no Rio de Janeiro

Quase 80 pessoas ficaram feridas na madrugada deste domingo (11) durante uma confusão em um baile funk na comunidade de Vila Cruzeiro, na Penha, zona norte do Rio. Segundo um comunicado no perfil do baile em uma rede social, a confusão teve início quando uma frequentadora encostou num fio desencapado de uma das 16 equipes de som que participavam da festa. A descarga elétrica teria atingido várias pessoas que estavam no local, dando início ao pânico e correria. Em outra versão, um disparo de arma de fogo teria assustado os frequentadores e provocado a confusão. A direção do Hospital Estadual Getúlio Vargas informou que 76 pessoas foram atendidas na unidade a partir das 3h da manhã deste domingo, todas feridas durante a confusão no evento. Até a tarde deste domingo, quatro pacientes permaneciam internados, mas apresentavam quadro de saúde estável. Os comandos do 16º Batalhão da Polícia Militar, de Olaria, e da Unidade de Polícia Pacificadora da Vila Cruzeiro declararam que as unidades não foram acionadas para intervir no incidente. De acordo com a polícia, não houve operação ou ação policial no local na madrugada deste domingo. Pela manhã, o batalhão foi informado sobre um tumulto nas proximidades de uma estação do BRT na Avenida Brás de Pina, na Penha. A Polícia Civil informou que nenhuma das vítimas procurou a delegacia da área para registrar qualquer ocorrência.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/ric-mais/confusao-em-baile-funk-deixa-quase-80-feridos-no-rio-de-janeiro-11032018

Intervenção no Rio de Janeiro faz Alckmin reforçar tema da segurança
Data: 06/03/2018

Governador de São Paulo escolheu o tema para a campanha eleitoral de 2018 rumo ao Palácio do Planalto

A intervenção anunciada pelo presidente Michel Temer na segurança do Rio levou o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), a eleger o tema como foco de sua campanha ao Planalto. A medida antecipou um discurso que já estava pronto para a eleição - que tentará convencer o eleitor de que o tucano é o presidenciável mais experiente na área e possui dados relevantes a mostrar. A decisão de Temer também precipitou a produção de uma propaganda institucional do governo do Estado, que passou a ser veiculada no Sábado. "Eu vou puxar o debate da segurança pública. Esse é o problema no Brasil do Oiapoque ao Chuí. O combate ao crime é permanente", disse nesta segunda-feira (5) o tucano em Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte, durante palestra para empresários e políticos. O governador voltou a defender a criação de uma agência de inteligência para combater o tráfico de armas e de drogas nas fronteiras. Com este discurso, Alckmin procura disputar com Temer e o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), também pré-candidato, pelo protagonismo no tema da segurança pública. Apesar de o Estado reunir bons resultados nas estatísticas de crimes violentos - como a redução da taxa de homicídios em São Paulo à menor do País -, os números dos chamados crimes contra o patrimônio se mantêm numa taxa elevada e os salários dos policiais militares estão entre os mais baixos do país (mais informações nesta página), o que revela uma realidade menos positiva do que a que o governo procura veicular. Desde o ano passado, o tucano carrega com ele um quadro que compara as médias paulista e nacional referentes à taxa de assassinatos. Segundo a gestão Alckmin, ambas estavam na casa de 30 casos para cada grupo de 100 mil habitantes em 2003. Hoje, pelos dados do governo, o Estado registra 7,5 homicídios para cada 100 mil pessoas, enquanto o restante do País mantém o nível de 15 anos atrás. O entorno do governador paulista justifica a campanha na TV e no rádio como uma necessidade para "tranquilizar" a população do Estado sobre a realidade "diferente do Rio". A bandeira é vista ainda como uma boa estratégia para projetar o nome do governador paulista no Nordeste, onde a escalada da violência transformou Sergipe, Rio Grande do Norte e Alagoas nos Estados mais perigosos do País, com taxas de homicídios entre 55 e 64 para cada 100 mil habitantes. Diante da crise financeira pela qual passam praticamente todos os Estados e o governo federal, Alckmin estuda ampliar o poder dado hoje aos guardas municipais, responsáveis pela segurança do patrimônio das prefeituras, como parques e escolas. De acordo com o tucano, não só o governo federal deve ampliar sua participação na definição de políticas de segurança, mas também os municípios. Alckmin não usa o termo "polícia municipal", mas admite, caso eleito, dar poderes de polícia aos guardas - que podem fazer prisões em flagrante mas estão impedidos de participar de ações de patrulhamento ou investigação. O tema, porém, vai exigir um debate constitucional. Prévias Na terça-feira passada, Alckmin pediu o registro para as prévias do partido sobre o candidato a presidente, que não deve ocorrer com a desistência do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, da disputa interna.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/brasil/intervencao-no-rio-de-janeiro-faz-alckmin-reforcar-tema-da-seguranca-06032018

Assalto na pista de Viracopos rende US$ 5 milhões para ladrões, diz PF
Data: 06/03/2018

O órgão disse que carga foi carregada no aeroporto de Guarulhos, passou com escala em Campinas, e tinha como destino Zurique, na Suíça

A Polícia Federal informou que a quantia roubada na noite do último domingo (4) no Aeroporto de Viracopos, em Campinas, interior de São Paulo, foi de US$ 5 milhões — cerca de R$ 16 milhões. De acordo com a nota, a carga foi carregada no aeroporto de Guarulhos, passou com escala em Viracopos, e tinha como destino Zurique, na Suíça. O texto diz ainda que a PF instaurou inquérito policial para investigar o roubo e várias oitivas estão em andamento.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/assalto-na-pista-de-viracopos-rende-us-5-milhoes-para-ladroes-diz-pf-05032018

Exame sugere fator humano em infecção de macaco por febre amarela em SP
Data: 06/03/2018

Febre amarela deixou de ser surto e veio para ficar, diz governo de SP

Uma análise genética do vírus que infectou o macaco do Zoológico de São Paulo por febre amarela sugere participação do homem na transmissão da doença. A constatação foi apresentada durante seminário nesta segunda-feira (5) sobre a doença organizado pelo governo Geraldo Alckmin (PSDB) com autoridades e especialistas de São Paulo. A morte do animal, no fim de janeiro, levou ao fechamento do zoológico. Segundo Renato Souza, pesquisador do Instituto Adolfo Lutz, exame genético mostrou que o vírus que infectou o animal é mais parecido com os detectados na cidade de Piracaia, a 90 km da capital paulista, do que com os de outras cidades que fazem divisa com a cidade de São Paulo, como, por exemplo, Mairiporã. Segundo ele, o achado é um forte indício do fator humano no ciclo de transmissão. Nesse sentido, diz, há duas hipóteses para explicar o que aconteceu: 1) um animal doente foi levado por alguém para o zoológico; 2) uma pessoa infectada pelo vírus, mas assintomática, visitou o local, foi picada por um mosquito silvestre, e esse inseto infectou o bicho. Souza avalia que a segunda hipótese é a mais provável. O animal encontrado morto no fim de janeiro foi o único que morreu pela doença nos limites do zoológico. Era um animal de vida livre, não fazia parte do plantel da instituição.

Link Notícia: https://br.yahoo.com/noticias/2-exame-sugere-fator-humano-192700411.html

Saneago pode ter que restituir valores cobrados durante crise hídrica de 2017
Data: 06/03/2018

Ministério Público considera pagamentos como indevidos e classifica cobrança como prática indevida

A Saneago pode ter que restituir os valores cobrados de seus consumidores abastecidos pela Bacia do Meia Ponte, durante a crise hídrica do ano passado. A empresa foi acionada pela promotora de Justiça Maria Cristina de Miranda, que considerou indevidos o pagamentos e classificou a cobrança como abusiva. Para a promotora, a Saneago cobrou valores acima do que foi efetivamente consumido pelos usuários dos serviços públicos de água e esgoto e violou o direito à informação dos consumidores. Muitos cidadãos procuraram o Ministério Público de Goiás (MP-GO) relatando elevações nos valores das contas de água, mesmo quando a quantidade usada não passava por aumento. Conforme o MP, a Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos (AGR) constatou que, durante a crise hídrica de 2017, no canal de acesso ao poço de sucção, o nível estava muito abaixo do recomendado. Por esse motivo, a sucção aconteceu de forma mais rápida que o volume de água disponível, facilitando a entrada de ar na bomba, o que ocasionou contas altas aos consumidores, mesmo na ausência ou falha de fornecimento. No processo, a promotora solicita a restituição em dobro e corrigida dos valores cobrados. Além do reembolso, a promotora requereu a condenação da Saneago pelos danos morais coletivos causados, no valor de R$ 100 mil e a inserção de publicidade em suas contas, informando o procedimento para revisão da conta e possíveis falhas de fornecimento de água. O MP constatou que no segundo semestre de 2017 além das taxas abusivas, os consumidores passaram por momentos recorrentes de falta d’água. A Saneago informou, por meio de nota, que só vai se pronunciar depois que for notificada oficialmente.

Link Notícia: https://www.emaisgoias.com.br/saneago-pode-ter-que-restituir-valores-cobrados-durante-crise-hidrica-de-2017/

PF deflagra operação contra fraude e lavagem de dinheiro em SP e MG
Data: 01/03/2018

Operação Descarte cumpre 15 mandados de busca e apreensão em residências e empresas em cinco cidades brasileiras

A Polícia Federal e a Receita Federal deflagram a Operação Descarte na manhã desta quinta-feira (1). A ação visa desarticular um esquema criminoso de lavagem de dinheiro por meio do controle de uma rede de empresas de fachada. A PF cumpre 15 mandados de busca e apreensão em São Paulo e Minas Gerais. São nove mandados em São Paulo (SP), um em Santos (SP), um em Paulínia (SP), dois em Belo Horizonte (MG) e dois em Lamin (MG). As empresas participantes do esquema simulavam a venda de mercadorias ao cliente do "serviço" de lavagem, que então pagava por produtos inexistentes via transferências bancárias ou boletos (para dar aparência de legalidade à aquisição). O valor obtido pelas vendas eram transferidas para outras empresas de fachada e o dinheiro era encaminhado para o exterior ou para pessoas ligadas ao cliente inicial. Segundo a PF, a investigação revelou também que empresa concessionária de serviços públicos de limpeza no município de São Paulo, a maior cliente identificada, se valeu dos serviços ilícitos dessa rede profissionalizada de lavagem de dinheiro, tendo simulado a aquisição de detergentes, sacos de lixo, uniformes etc., entre os anos de 2012 e 2017. Em nota, explicam que "foram repassados mais de R$120 milhões para terceiros ainda não identificados. Uma das células do esquema criminoso remeteu ilegalmente parte dos valores para o exterior, em favor de funcionário público argentino e em conluio com operadores financeiros que vieram a ser presos posteriormente no âmbito da Operação Lava Jato. Além disso, o grupo adquiriu vários veículos de alto luxo, como Ferrari, Masserati e BMW, todos registrados em nome de interpostas pessoas ("laranjas")". Além do crime de lavagem de dinheiro, a PF e a Receita investigam evasão de divisas, sonegação tributária e associação criminosa. Prejuízo aos cofres públicos O prejuízo aos cofres públicos pelo não recolhimento dos tributos devidos pode chegar a centenas de milhões de reais. Auditores-Fiscais da Receita Federal já fiscalizaram empresas do grupo e seus clientes, já tendo constituído mais de R$ 200 milhões em créditos tributários. A organização como um todo emitiu mais de R$ 900 milhões em notas fiscais com indícios de fraude. A Operação Descarte teve origem em duas fiscalizações iniciadas separadamente no âmbito da Operação Lava-Jato, mas em que, ao longo dos trabalhos, os auditores-fiscais envolvidos verificaram que se tratavam de pontas diferentes do mesmo esquema. A primeira fiscalização foi realizada em empresa que havia feito pagamentos a duas organizações controladas por doleiro envolvido na Operação Lava Jato. O auditor-fiscal responsável verificou que a empresa em questão era controlada de fato por outra pessoa. O controlador real utilizou a empresa para adquirir diversos carros e bens de luxo. Essa empresa tinha movimentação financeira milionária e era de titularidade de um laranja que recebia R$ 2 mil por mês. A segunda fiscalização foi efetuada em empresas que realizam serviços de limpeza pública em municípios. Elas teriam se utilizado de empresa controlada por operador envolvido na Operação Lava Jato. No curso dos trabalhos, os auditores-fiscais identificaram outras práticas ilícitas: as empresas compraram mercadorias de várias outras empresas com indícios de inexistência real, no valor total de R$ 197 milhões entre 2012 e 2016. Combinando os esforços das duas fiscalizações, os auditores-fiscais confirmaram que várias das empresas investigadas faziam parte de uma rede de controle comum. Em regra, as empresas participantes da fraude supostamente vendiam uma mercadoria ao cliente do esquema, que pagava via transferência bancária ou boleto para dar aparência de legalidade à aquisição. Os valores recebidos eram transferidos para diversas outras empresas, que remetiam o dinheiro para o exterior ou faziam transferências para pessoas ligadas ao cliente do esquema. Assim, o cliente poderia reduzir os tributos a pagar utilizando-se de despesa ou custo fictício. A operação também tem como objetivo encontrar elementos a respeito do patrimônio em nome de interpostas pessoas dos organizadores do esquema, bem como verificar se parte desses valores eram destinados a agentes públicos.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/pf-deflagra-operacao-contra-fraude-e-lavagem-de-dinheiro-em-sp-e-mg-01032018

Rio já tem 47 mortes confirmadas por febre amarela
Data: 01/03/2018

Secretaria de Saúde confirmou 103 casos da doença em 21 cidades do Estado; Angra dos Reis registrou o maior número de mortes

A Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro confirmou nesta quarta-feira (28), novas mortes por febre amarela no estado. O Rio já soma 47 mortes e 103 casos confirmados da doença, em 21 municípios de várias regiões. O maior número de mortes foi registrado em Angra dos Reis, que soma 11, de um total de 21 casos. Em Teresópolis e Valença, foram seis mortes em cada município. Em Nova Friburgo e Cantagalo, foram três mortes (cada). Quatro municípios registraram duas mortes: Rio das Flores, Sumidouro, Engenheiro Paulo de Frontin e Trajano de Moraes. Também tiveram mortes as cidades de Miguel Pereira, Duas Barras, Vassouras, Paraíba do Sul, Carmo, Maricá, Mangaratiba, Piraí, Cachoeiras de Macacu e Rio Claro. Em dois lugares houve casos registrados, mas não mortes: Petrópolis e Paty do Alferes. Matança de macacos é tema de audiência pública na Alerj A Secretaria de Saúde ainda confirmou mortes de macacos com febre amarela nos municípios de Niterói, Barra Mansa, Angra, Valença, Miguel Pereira, Volta Redonda, Duas Barras, Paraty, Engenheiro Paulo de Frontin, Araruama e Seropédica. A Secretaria ressalta que os macacos não são responsáveis pela transmissão da febre amarela. A doença é transmitida por meio da picada de mosquitos.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/rio-ja-tem-47-mortes-confirmadas-por-febre-amarela-01032018

Polícia mata sete suspeitos de roubar caixas eletrônicos em SP
Data: 01/03/2018

Crime aconteceu em Valinhos, interior de São Paulo, por volta das 21h30 de quarta-feira (28). Segundo a PM, um suspeito conseguiu fugir

Sete suspeitos morreram após uma troca de tiros com a Polícia Militar, às 21h35, desta quarta-feira (28), na Estrada Municipal Dona Isabel Grafoso Ferrão, s/n, altura da Fazenda Santa Margharida, em Valinhos, interior de São Paulo. Quatro dos setes mortos já foram identificados pela Polícia Militar. São eles: Bruno Alves de Souza, Marcos Paulo Correia de Melo, Davirlan Tenório dos Santos e Ronaldo Antunes, todos possuem passagem pela Polícia. Policiais militares do Baep (Batalhão de Ações Especiais de Polícia) foram informados que no local havia uma quadrilha especializada em roubo a caixa eletrônicos na região. As viaturas foram até local e encontraram dois veículos, um com quatro integrantes e outro com três. A PM informou, em nota, que os policiais deram ordem de parada, mas os suspeitos não respeitaram e tentaram fugir. Houve troca de tiros e com o primeiro carro, quatro pessoas foram baleadas e mortas. O segundo veículo com três integrantes também tentou fugir, mas foram cercados. Os três ocupantes foram baleados e morreram no local. Com os suspeitos os policiais apreenderam diversos explosivos e armas, metralhadoras, pistolas, espingardas, colete balístico e bananas de dinamite. O Gate foi acionado e preserva o local. Nenhum policial foi ferido na ação. O DP da área é o 4º. Leia a nota da PM na íntegra: "A Polícia Militar informa que, por volta de 21H30 horas de quarta-feira (28), atendeu ocorrência de um grupo em atitude suspeita que poderia estar relacionado a roubos a bancos. A quadrilha, que estava armada e em dois carros, foi encontrada na Estrada Municipal Dona Isabel Fragoso Ferrão, em Valinhos, interior paulista. Os criminosos não atenderam a ordem de parada e atiraram contra os policiais, que revidaram. Um dos veículos seguiu em fuga até nova troca de tiros. Sete suspeitos foram atingidos e não resistiram. Um conseguiu fugir. A polícia apreendeu fuzis, metralhadoras, pistolas, colete balístico e explosivos. O Gate foi acionado para o local e o caso encaminhado ao plantão do 4º DP de Campinas, onde o boletim de ocorrência está sendo registrado".

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/policia-mata-sete-suspeitos-de-roubar-caixas-eletronicos-em-sp-01032018

Descarrilamento remete a falhas que vão desde as cotidianas a escândalos milionários
Data: 01/03/2018

O descarrilamento do trem ontem na Estação Arniqueiras, em Águas Claras

O metrô da capital apresentou uma falha a cada sete dias só neste ano, totalizando oito irregularidades no funcionamento. O descarrilamento do trem ontem na Estação Arniqueiras, em Águas Claras, evidenciou as diversas deficiências técnicas e mecânicas: defeitos que acontecem no dia a dia, bem como escândalos milionários envolvendo a antiga empresa de manutenção. Apesar dos transtornos, a Companhia do Metropolitano do DF ainda não calculou os prejuízos nem soube responder quando será feita a retirada total dos carros do trem que saiu dos trilhos. A principal suspeita é de que a uma falha nos freios foi a responsável pelo incidente, ocorrido por volta das 9h. O mesmo veículo havia sido recolhido para manutenção no dia anterior, segundo o Sindicato dos Metroviários. De acordo com o diretor de Operações e Manutenção, Carlos Alexandre da Cunha, o trem – de número 8 – apresentou a falha e, por prudência, o piloto solicitou que os passageiros evacuassem na estação Águas Claras. “Não havia nenhum usuário no momento em que o trem descarrilou. O motorista o esvaziou e estava fazendo uma manobra para voltar ao pátio de manutenção. Nesse ato é que ocorreu o descarrilamento”, explica. Ontem, profissionais de engenharia trabalhavam para adiantar o processo de retirada do trem. Por volta das 14h, um vagão foi removido. “Estava mais fácil, porque estava no trilho e não descarrilou. Os outros três serão içados com a ajuda de um ou dois guindastes. Então as equipes estão trabalhando para desconectar a parte elétrica”, diz. A partir das 16h, os passageiros conseguiam chegar até a Estação Arniqueiras e 11 ônibus foram disponibilizados para fazer o transbordo de todos os usuários até a Estação Águas Claras – o que não evitou os transtornos. As faixas exclusivas da Estrada Parque Taguatinga (EPTG), da Estrada Parque Núcleo Bandeirante (EPNB), da W3 Sul e Norte e do Setor Policial Sul ficaram liberadas até as 23h59. Falha prevista O incidente poderia ter sido evitado. É o que diz a diretora de comunicação do Sindicato dos Metroviários (SindMetrô), Renata Campos. “A gente bate na tecla de que os trens não passam por manutenção adequada. Terça-feira o mesmo trem foi recolhido por conta do freio. Quando não tem reparo, a gente pode prever que uma situação como essa pode acontecer a qualquer momento, e com mais consequências”, dispara. O sindicato não possui dados de quantas falhas o metrô apresentou no ano passado, mas garante que são corriqueiras. “Tem todos os dias. Só não é divulgado. Nosso equipamento é antigo, e o sucateamento acontece porque é inevitável. É impossível manter uma frota nova, sendo que a própria empresa adquire peças usadas”, critica. “Não adianta o governo querer ampliar antes de se preocupar com o que já tem. Tem que pensar muito, porque não é só aumentar, é pensar em segurança”, completa. Cerca de 160 mil pessoas passam diariamente pelas 24 estações. No entanto, a população que pega o transporte em Águas Claras foi a principal afetada. Quem chegou a uma das estações à tarde deu de cara com uma placa informando quais estavam com o funcionamento normalizado. Passageiro dá seus pulos A solução, para alguns passageiros, foi pegar ônibus ou dividir a conta de aplicativos de transporte com outros na mesma situação. O comerciante Messias Mares de Jesus, 36 anos, precisava chegar em Ceilândia, mas estava na estação Arniqueiras. Pelo menos estava de bicicleta. “Não sabia que tinha estragado. Se eu soubesse não teria almoçado, porque pedalar de barriga cheia é mais difícil. Mas é o jeito. Não consigo entrar de bicicleta no ônibus”, relata. O estudante Marcus Vinícius Soares, 23 anos, estava na estação Águas Claras e precisava retornar à Asa Sul, onde mora. “Uso metrô diariamente. Vai ser difícil voltar para casa, porque em Águas Claras não tem tantas opções de ônibus. Fui pego de surpresa”, lamenta. Já Maria de Jesus, Ricardo Aguiar, Gil Macedo e Lucilene Vieira não se conheciam, mas na hora do aperto resolveram dividir a conta do transporte particular até o Guará. “Ficou R$ 8 para cada. De lá vamos ter que pagar outra passagem até a estação Central e, de lá, pegar mais ônibus para chegar ao serviço”, critica a autônoma Lucilene Vieira. A estimativa da mulher é de que só ontem ela gastaria pelo menos R$ 20. “Quem vai pagar? Eu”, completa. A reclamação da autônoma é ainda em relação aos problemas que os usuários do metrô enfrentam diariamente. “Se pudesse dar nota para o metrô, eu daria sete, porque para algo ele serve. Mas é um trem lotado, que muitas vezes tem confusão, bagunça, demoram a resolver o problema, sujeira”, exemplifica. “O problema é que a população fica calada. Eles veem a placa e saem calados, sem reclamar com um funcionário. Melhor fechar todas”, acrescenta. Cartel Em dezembro passado, o Ministério Público do Distrito Federal moveu uma ação civil pública contra a empresa que prestava serviços de manutenção do sistema metroviário da capital. O argumento da Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público (Prodep) era de que a Siemens formou um cartel para fraudar a licitação para a contratação dos serviços, segundo investigação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Na época, o Ministério Público requereu um valor de quase R$ 240 milhões pelo atos ilícitos. Do montante, R$ 119 milhões foram por danos materiais – valor equivalente a 25% do total recebido pela Siemens ao longo dos seis anos de participação no Contrato nº 16/2007. O restante foi requerido para danos morais coletivos.

Link Notícia: http://www.jornaldebrasilia.com.br/cidades/descarrilamento-remete-falhas-que-vao-desde-cotidianas-escandalos-milionarios/

Volume de chuvas em fevereiro supera expectativas antes do fim do mês
Data: 27/02/2018

Faltam dois dias para o mês acabar, mas o acumulado de chuvas já ultrapassou a média em 21%. A partir de quarta-feira, porém, DF terá dias de sol

Fevereiro se encaminha para terminar como um dos meses mais chuvosos dos últimos anos no Distrito Federal. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) registrou, até a segunda-feira (26/2), volume acumulado em 263 milímetros em 26 dias. O valor está 21% acima do esperado para todo o mês. A tendência é que o índice aumente, porque há previsão de pancadas de chuva no DF nesta terça-feira (27/2). Apesar de janeiro ser considerado o mês mais úmido do DF, com média de 247,4mm, o volume total registrado pelo Inmet ficou abaixo das expectativas este ano. Além disso, fevereiro registrou mais chuva também no ano passado, quando o acumulado ficou em 258,4mm, 18,8% acima das expectativas. A chuva dá uma trégua a partir de quarta-feira (28/2), quando as temperaturas chegam a 31°C. Ainda assim, de acordo com o meteorologista Manoel Rangel, do Inmet, o tempo nublado e chuvoso continua até abril, entre dias úmidos e ensolarados que devem se revezar. "O volume vai diminuindo aos poucos, até chegar na estação seca", afirma. Alta dos reservatórios acompanha período chuvoso Fevereiro também vai terminar com o volume dos reservatórios acima das expectativas para o mês. Na medição de segunda-feira, o Descoberto marcava 55,9% da capacidade, 23,9 pontos percentuais a mais do que o esperado pela Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do DF (Adasa). A previsão era de que esse valor só fosse atingido em maio. O volume da barragem Santa Maria, por outro lado, cresce em ritmo mais lento. Ainda assim, a represa fechou a segunda-feira com 41,5% da capacidade, 5,5 pontos acima das expectativas. No entanto, a Adasa e a Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb) evitam falar em fim do racionamento. Nesta terça-feira, Taguatinga Norte e Estrutural ficam sem água. Confira a lista completa aqui.

Link Notícia: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2018/02/27/interna_cidadesdf,662467/fevereiro-um-dos-meses-mais-chuvosos-do-df.shtml

Problema causa atrasos e cancela voos em Guarulhos
Data: 27/02/2018

Complicação com o abastecimento de combustível das aeronaves gerou os transtornos no fim da noite desta segunda (26)

Diversos voos atrasaram e alguns foram cancelados na noite desta segunda-feira (26) no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo. Voos a partir das 23h foram afetados devido a um problema com o abastecimento de combustível por parte dos fornecedores. Segundo a assessoria de imprensa do aeroporto, somente a Transpetro pode responder por problemas relacionados ao abastecimento dos postos responsáveis no local. Ainda segundo informações da assessoria, 12 voos sofreram atrasos. A assessoria de imprensa da Gol informou que houve atraso em três voos, mas que os mesmos foram solucionados por volta da 00h30 desta terça-feira (27). Procurada pela reportagem, a Transpetro afirma que o problema com o abastecimento das aeronaves aconteceu por causa de um furto em um dos oleodutos da empresa, localizado em Guarulhos. Leia a nota oficial da Transpetro: "Na madrugada de domingo (25), a Transpetro constatou um furto de combustível em oleoduto no município de Guarulhos (SP). A intervenção criminosa causou interrupção temporária no abastecimento de combustível de aviação para o Aeroporto Internacional de Guarulhos. Equipes da companhia imediatamente foram mobilizadas e certificaram que não houve vazamento. O duto voltou a operar ainda na manhã de domingo e o abastecimento do aeroporto foi restabelecido. A companhia colabora com as investigações das autoridades e tem como maior preocupação a segurança das famílias, pois intervenções criminosas nos dutos podem trazer riscos para a comunidade. A participação dos moradores é muito importante. Eles podem entrar em contato com a companhia por meio do telefone 168 caso identifiquem qualquer movimentação suspeita na faixa de dutos ou em terrenos próximos ou queiram enviar dúvidas, reclamações ou sugestões. A ligação é grátis e o telefone funciona 24 horas por dia, sete dias por semana". Cancelamentos Além dos 12 voos atrasados, ao menos cinco foram cancelados. O voo com destino a Washington, nos Estados Unidos, da companhia United Airlines, foi cancelado porque a empresa não tinha certeza de quando a aeronave poderia decolar. A Latam divulgou uma nota sobre os cancelamentos de quatro voos. — A LATAM Airlines Brasil informa que, devido a uma restrição de abastecimento de combustível no aeroporto de Guarulhos na noite desta segunda-feira (26), quatro voos da companhia foram cancelados. A situação, contudo, já foi normalizada. A LATAM esclarece que está prestando assistência aos passageiros dos voos impactados.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/problema-causa-atrasos-e-cancela-voos-em-guarulhos-27022018

Meta de flagrante desvirtua ação da polícia em SP, dizem especialistas
Data: 27/02/2018

Encarceramento em massa, violação de direitos e flagrantes forjados também são apontados como problemas; Estado nega

O áudio de um delegado da Polícia Civil de São Paulo ameaçando "punir" os policiais de sua equipe com plantão no fim de semana, caso não apresentassem ao menos dois flagrantes para registro na delegacia, reacendeu a polêmica em torno da exigência de produtividade policial, estipulando metas que devem ser cumpridas pelos policiais. "Até o presente momento não apareceu nenhum flagrante aqui no 4º DP, da operação Decap. Se não tivermos dois flagrantes por equipe, estão todos escalados para a operação de sábado para domingo", disse o delegado do 4º DP (Consolação), Júlio Cesar dos Santos Geraldo, em áudio divulgado na quinta-feira (22). A atitude do delegado é motivada por um programa de Metas e Bonificação da Secretaria de Segurança Pública, que tem como objetivo premiar o esforço dos policiais por redução da criminalidade. Para atingir as metas, as polícias civil e militar teriam que desenvolver ações integradas — muitas delas incluem priorizar flagrantes que valem uma pontuação neste sistema de metas, que premia o esforço com recursos para as atividades e até bônus salarial. A prática é criticada por especialistas, que alegam que a exigência de produtividade contribui para o encarceramento em massa, a violação de direitos, que inclui até o risco de flagrantes forjados, e a fragilidade judicial das prisões realizadas. Os delegados da Polícia Civil, por meio do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo, também criticam a exigência de apresentar produtividade quantitativa. "É uma política totalmente equivocada, pois incentiva a produção de prisões com intuito de dar visibilidade e chamar a atenção às ações policiais, que desvirtua o trabalho de polícia judiciária, atribuição constitucional da Policia Civil, que é a investigação criminal", afirma Raquel Kobashi Gallinati, presidente do sindicato. A diretora do IBCCrim (Instituto Brasileiro de Ciências Criminais) e professora da Ufscar (Universidade Federal de São Carlos), Jacqueline Sinhoretto, afirma que a prática de exigir produtividade policial já foi estudada em diversos países e acabou se mostrando ineficiente. "Você trata tudo como dados quantitativos e deixa de ir atrás do que realmente deveria ser prioridade em segurança pública", afirma Jacqueline. "Você acaba gastando energia e recursos em um flagrante que muitas vezes é um pequeno delito ou uma pequena quantidade de drogas só porque você tem que apresentar um resultado, enquanto poderia estar investindo em uma investigação mais sofisticada e que poderia apresentar melhores resultados", afirma a professora e pesquisadora. A Secretaria de Segurança Pública, por outro lado, afirma que política de produtividade é eficiente. Na nota enviada ao R7 ao questionar o caso do áudio do delegado e a política de produtividade, a pasta faz questão de destacar "um aumento de 13% na quantidade de pessoas presas em flagrante e em 62% nas ocorrências de tráfico de drogas, que envolvem prisões e apreensões" em decorrência da política de produtividade. A informação divulgada pela pasta, por exemplo, em que exalta o aumento de prisões e apreensões de drogas, mostra como a política de produtividade acaba contribuindo para o encarceramento em massa, que segundo a pesquisadora do IBCCrim, resulta em pessoas que são presas sem necessidade, principalmente de faixas populacionais mais fragilizadas, como o pobre e o negro. "Este sistema prende muita gente e acaba resultando na superlotação carcerária, e muitas vezes por pessoas que foram presas sem necessidade", diz Jacqueline, que destaca ainda que em muitos casos, essas prisões por flagrantes acabam não sendo eficientes também pela fragilidade da investigação. "Você acaba prendendo um usuário como traficante e na hora de apresentar ao juiz, você tem somente os policiais como testemunhas e o juiz acaba liberando esta pessoa, pois existe uma fragilidade judicial", afirma. "A pontuação por uma produção que exige flagrantes faz com que crimes não sejam investigados, isto é fato", diz Raquel Gallinati. A pesquisadora e diretora do IBCCrim também enfatiza a crítica ao sistema, apontando que ele contribui para uma má gestão da política de segurança pública. "Não se pensa a segurança pública de um ponto de vista estratégico", afirma Jacqueline, explicando ainda que a prática do bônus por produtividade já vem sendo abandonada em muitos países, inclusive nos Estados Unidos, um dos primeiros a utilizar o sistema. A Secretaria de Segurança Pública, defende o sistema, afirmando que "para atingir as metas, as polícias têm que desenvolver planos de ações em conjunto e atuar de forma integrada. A bonificação é condicionada ao resultado em 104 áreas paulistas de atuação compartilhada (como batalhões, distritos policiais e equipes médico-legais e de perícias) e pode variar de acordo com o desempenho geral do Estado". A pasta também criticou a postura no caso do áudio do delegado citado no começo desta reportagem, afirmando que "não corresponde aos padrões da Polícia Civil".

Link Notícia: https://noticias.r7.com/sao-paulo/meta-de-flagrante-desvirtua-acao-da-policia-em-sp-dizem-especialistas-27022018

Carli Filho começa a ser julgado nove anos após mortes de jovens em Curitiba
Data: 27/02/2018

Representantes da comunidade decidem se o ex-deputado é ou não culpado pelas mortes de Gilmar Rafael Yared e Carlos Murilo de Almeida, no trânsito de Curitiba, em 2009.

Começa às 13h desta terça-feira (27) o júri popular do ex-deputado estadual do Paraná Luiz Fernando Ribas Carli Filho, acusado de matar dois jovens, de 20 e 26 anos, em uma batida de trânsito em Curitiba, em 2009. Carli Filho vai a júri popular: veja 12 datas para entender o caso VÍDEOS: saiba o que esperam os envolvidos no júri popular de Carli Filho O ex-parlamentar será julgado na 2ª Vara Privativa do Tribunal do Júri, em Curitiba, por representantes da comunidade — entre 25 pessoas previamente convocadas pela Justiça, sete serão sorteadas para sentenciar se Carli é ou não culpado pelas mortes de Gilmar Rafael Yared e Carlos Murilo de Almeida. O resultado sai ao final das exposições da promotoria e da defesa, quando os jurados se manifestam individualmente e em sigilo, escolhendo cédulas contendo as palavras “sim” e “não”, sendo a decisão computada pela maioria dos votos (respostas) às perguntas feitas pelo juiz. A expectativa é de que o julgamento termine na quarta-feira (27), conforme a Justiça. Cerca de 200 pessoas poderão assistir ao júri, liberadas por meio de senhas que foram distribuídas na sexta-feira (23). Acusação x defesa O Ministério Público do Paraná (MP-PR) sustenta a tese de que Carli Filho assumiu o risco de matar ao dirigir nas condições em que estava e, por isso, ofereceu denúncia por duplo homicídio com dolo eventual — crime pelo qual será julgado nestes dois dias. A defesa, contudo, argumenta que as mortes foram resultado de um mero acidente de trânsito, causado porque o veículo dos jovens cruzou a via preferencial. A batida Há quase nove anos, o Passat de Carli decolou pela Avenida Monsenhor Zanlorenzi, no bairro Mossunguê, e caiu sobre o Honda Fit em que estavam Gilmar Rafael Yared e Carlos Murilo de Almeida, matando ambos na hora. O então parlamentar dirigia em velocidade entre 161 km/h e 173 km/h, conforme apontaram laudos periciais feitos posteriormente, com a carteira de habilitação cassada — 130 pontos e 30 multas, sendo 23 por excesso de velocidade —, e alcoolizado (ele próprio confessou ter bebido e dirigido). Ele teve ferimentos graves na cabeça e ficou internado por quase um mês.

Link Notícia: https://g1.globo.com/pr/parana/noticia/carli-filho-comeca-a-ser-julgado-nove-anos-apos-mortes-de-jovens-em-curitiba.ghtml

Concurso da Secretaria de Estado de Educação abre 1.842 vagas no Sul de MG
Data: 27/02/2018

Oportunidades são para professores e especialistas em educação básica.

Um concurso divulgado pela Secretaria de Estado de Educação nesta segunda-feira (26) abriu 1.842 vagas para profissionais da educação no Sul de Minas. Destas vagas, 1.776 são para professores da educação básica de 12 disciplinas e 66 para especialistas. Para as vagas de especialistas, os servidores podem tabalhar como orientadores educacionais, supervisores ou coordenadores pedagógicos, com atuação na organização das escolas e no aprimoramento dos processos de ensino. As disciplinas com vagas disponíveis são Artes, Biologia, Educação Física, Filosofia, Física, Geografia, História, Inglês, Língua Portuguesa, Matemática, Química e Sociologia. Confira o número de vagas em cada disciplina Concurso Público - Secretaria de Educação Disciplina Vagas Artes 145 Biologia 109 Educação Física 73 Filosofia 118 Física 159 Geografia 140 História 121 Inglês 220 Língua Portuguesa 247 Matemática 233 Química 85 Sociologia 126 Fonte: Secretaria de Estado de Educação de MG O concurso será divido em duas etapas. Na primeira, os candidatos devem responder a 60 questões objetivas nas áreas de Língua Portuguesa, Matemática, conhecimentos didático-pedagógicos e conhecimentos específicos. Na segunda etapa acontece a avaliação de títulos. As provas serão aplicadas no dia 8 de abril. Os locais de prova estarão em todas as cidades-sede das Superintendências Regionais de Educação. Os interessados devem se inscrever pelo site da Fundação Mariana Rezende Costa (Fumarc) até às 23h59 do dia 8 de março. A taxa de inscrição é de R$ 70. Os candidatos devem conferir se os dados de inscrição foram recebidos e o pagamento processado no site da Fumarc, através da Lista das Inscrições Deferidas.

Link Notícia: https://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/concurso-da-secretaria-de-estado-de-educacao-abre-1842-vagas-no-sul-de-mg.ghtml

Prefeitura recorre contra decisão que aumentou passagem de ônibus
Data: 05/02/2018

Prefeitura recorre contra decisão que aumentou passagem de ônibus

A Prefeitura do Rio de Janeiro recorreu contra a decisão liminar do TJRJ (Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro) que reajustou as passagens de ônibus de R$ 3,40 para R$ 3,60. O aumento começou a vigorar na madrugada desta segunda-feira (5). A liminar foi concedida na última quarta-feira pela juíza Roseli Nalim, da 15ª Vara de Fazenda Pública, a pedido das empresas de ônibus do Rio de Janeiro. O prefeito Marcelo Crivella considerou que a decisão atropelou o processo de diálogo entre o município e as empresas, já que uma empresa privada havia sido contratada para fazer um estudo e definir o valor da passagem. — Recorremos porque atropelou o processo. Faltavam poucos dias para a gente fazer um acordo pacífico em uma controvérsia grande, e, de repente, a Justiça determinou. Fizemos um recurso para esperar a conclusão dos estudos —, disse. A tarifa dos ônibus do Rio de Janeiro foi reduzida duas vezes por decisões judiciais no ano passado. Em agosto, a desembargadora Mônica Sardas considerou abusivo o aumento determinado por decreto municipal de 2014 e reduziu a passagem de R$ 3,80 para R$ 3,60. Em novembro, nova decisão, dessa vez assinada pela juíza Luciana Losada Lopes, também considerou a tarifa abusiva e baixou para R$ 3,40, valor que era cobrado até ontem (4). Táxis O prefeito participou hoje da divulgação de um balanço do aplicativo Taxi.Rio, que está em funcionamento há 97 dias e pode ser usado para chamar táxis da cidade. O valor do transporte pode ser pago em dinheiro ou cartão. Segundo a Empresa Municipal de Informática, Iplanrio, o aplicativo registra mais de 240 mil corridas e 14 mil taxistas conveniados, dos cerca de 33 mil que são cadastrados na cidade. A prefeitura anunciou que os 300 taxistas mais bem avaliados do aplicativo terão direito a prestar serviço no sambódromo do Rio de Janeiro durante os desfiles das escolas de samba. Ao discursar para servidores da Iplanrio e taxistas, o prefeito disse que o aplicativo "defende a economia popular" ao estabelecer uma concorrência com outros serviços de transporte, mas pediu que os motoristas utilizem a ferramenta de oferecer descontos para tornar as corridas mais atrativas. — O desconto é um investimento. É uma maneira de a gente começar a trazer povo para o nosso sistema. Se hoje nos dá uma condição desfavorável, amanhã ele vai ser muito favorável. Todo começo precisa de investimento —, disse o prefeito, que afirmou estar em estudo a liberação das faixas exclusivas do BRT para táxis que estiverem atendendo a corridas do aplicativo.

Link Notícia: https://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/prefeitura-recorre-contra-decisao-que-aumentou-passagem-de-onibus-05022018

Jogadores do São Paulo alertam para equipe não oscilar mais
Data: 23/10/2017

Vitória sobre o Flamengo ajudou o Tricolor a respirar no Brasileirão

Apesar de satisfeitos com a vitória sobre o Flamengo por 2 a 0 pelo Campeonato Brasileiro, no jogo válido pela 30.ª rodada, os atletas do São Paulo alertaram para que o time não volte a oscilar na competição e consiga escapar de vez na zona de rebaixamento, começando a pensar nos próximos passos da equipe ainda em 2017. Confira a classificação do Campeonato Brasileiro Após de dizer que o time tinha que "apanhar mais para amadurecer", depois da derrota para o Fluminense, Hernanes destacou o equilíbrio apresentado no Pacaembu. "Mais do que a cobrança externa, é a nossa cobrança, a vergonha interior, fazer um jogo como esse e não conseguir dar sequência. Hoje foi um jogo mais equilibrado e mais constante na marcação", explicou o capitão Hernanes, autor de um dos gols da partida. "Essa cobrança não foi só contra o Fluminense, são todos os jogos fora de casa. A gente joga bem em casa e fora joga muito diferente, digo na questão de intensidade, de entrega. A gente tem se cobrado mais nisso", reforçou Sidão, que fez boas defesas na segunda etapa. Quem também destacou a maturidade do São Paulo para manter a vantagem de 2 a 0 conquistada ainda no primeiro tempo foi Petros. "Talvez seja a nossa principal deficiência no campeonato inteiro. Isso precisa ser corrigido. Mas temos que valorizar a vitória, porque é um dos grandes clássicos nacionais. O Flamengo é uma grande equipe, com jogadores a nível de seleção. A equipe jogou bem, soube segurar o resultado, soube não levar gol. Coisa que também acontecia constantemente na competição." O São Paulo volta a campo no próximo sábado, no clássico com o Santos. Sem nenhum jogador suspenso, a única dúvida para a partida será Maicosuel, que ficou de fora do duelo com o Flamengo depois de sentir um desconforto. Edson Arantes do Nascimento completa 77 anos nesta segunda-feira (23) e segue inabalável no posto de maior jogador de futebol de todos os tempos. Ao longo de mais de 20 anos de carreira, o Rei Pelé atingiu um número de gols, títulos e feitos históricos que dificilmente será igualado.

Link Notícia: http://esportes.r7.com/futebol/jogadores-do-sao-paulo-alertam-para-equipe-nao-oscilar-mais-22102017

Na luta contra o câncer, mulheres participam de desfile de moda em Macapá
Data: 18/10/2017

Ação faz parte das atividades da campanha Outubro Rosa, do Ijoma. Apresentação vai acontecer no sábado (21) num shopping na Zona Sul de Macapá.

Mulheres que estão combatendo ou se curaram do câncer de mama vão participar de um desfile de moda, num shopping da Zona Sul de Macapá, a partir das 17h de sábado (21). Elas subirão na passarela e se tornarão modelos, principalmente de superação, já que enfrentam o tipo de câncer que mais mata mulheres no Brasil. O evento faz parte da programação da campanha Outubro Rosa do Instituto do Câncer Joel Magalhães (Ijoma), e tem como objetivo proporcionar um dia diferente para aquelas que têm a doença ou que já passaram pelo longo tratamento. Ao todo, 10 mulheres participarão do desfile. A ação, que ocorre há pelo menos 12 anos, retorna após três anos ausente. O desfile é uma forma de estimular mulheres que passam pelo mesmo problema, acredita o presidente do Ijoma, padre Paulo Roberto. "Queremos resgatar a autoestima das mulheres e falar de câncer de uma forma lúdica e não como algo pesado", disse o padre. Ainda dentro da programação, todas as quartas do mês, no Ijoma, acontecem rodas de conversas, convivência, palestras, atendimentos com psicólogo, dermatologista e salão de beleza. Aos sábados são feitas atividades gratuitas com exercícios físicos, zumba, aula laboral, verificação de pressão arterial e outros serviços na quadra da igreja Jesus de Nazaré, no Centro. As ações encerram dia 29 com bingo beneficiente durante todo o dia, além de atrações culturais.

Link Notícia: https://g1.globo.com/ap/amapa/noticia/na-luta-contra-o-cancer-mulheres-participam-de-desfile-de-moda-em-macapa.ghtml

Empresário é detido dirigindo carro de luxo com documento adulterado no DF, diz PM
Data: 18/10/2017

Veículo não podia estar nas ruas por ter restrição judicial. Motorista alegou desconhecer fraude. Abordagem aconteceu no Recanto das Emas.

Um empresário de 23 anos foi detido na tarde desta terça-feira (17) depois de ser flagrado dirigindo um Camaro com o certificado de registro e licenciamento de veículo (CRLV) de 2017 fraudado no Distrito Federal. O veículo não podia rodar por ordem judicial e administrativa – pertence a uma empresa e estava impedido por ser alvo de uma disputa trabalhista. À Polícia Militar, o motorista alegou desconhecer a situação e afirmou ter comprado o carro de luxo por R$ 120 mil de um amigo. O preço de mercado do carro, ano 2011, é R$ 130 mil, segundo a tabela Fipe. A abordagem aconteceu na quadra 102 do Recanto das Emas. “Estava passando de viatura, visualizamos o veículo e paramos”, explicou o sargento Jorge Correira Franco. “[Chamou nossa atenção] Por se tratar de um carro caro rodando ali.” Franco disse que detalhes na documentação obrigatória do carro – como letras em negrito – chamaram atenção para a suposta adulteração. Uma consulta ao sistema permitiu comprovar a suspeita. Para o PM, um despachante pode ter ajudado o motorista a falsificar o documento de 2017 do carro. O carro foi apreendido e levado para o depósito do Detran no Gama. O empresário, que é dono de uma loja de som automotivo, foi encaminhado para a 27ª Delegacia de Polícia. A Polícia Civil disse que vai periciar o documento apreendido e que investiga o caso.

Link Notícia: https://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/empresario-e-preso-dirigindo-carro-de-luxo-com-crlv-adulterado-no-df-diz-pm.ghtml

Na BR 060, PRF encontra criança que fugia de casa
Data: 17/10/2017

A criança informou à PRF que fugiu de casa por causa do relacionamento ruim com o pai. Ele pretendia ir andando para Brasília

Uma criança de 12 anos de idade que fugiu de sua casa foi resgatada no final da manhã de hoje (9) pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), na BR 060, km 132, andando às margens da rodovia. O garoto que é morador da região noroeste de Goiânia, informou à PRF que saiu de sua casa na tarde deste domingo (8) e pretendia chegar até Brasília, onde reside uma tia dele. Segundo a criança, o relacionamento ruim com o pai fez com que ele tomasse a decisão de fugir de casa. O garoto, que estava viajando sem nenhum documento, sem dinheiro e nem mesmo uma única peça de roupa para trocar, parou em um recinto comercial próximo a Unidade Operacional do Parque Ecológico e pediu água a uma senhora. Ao ver a situação do menor, comunicou o fato à PRF que imediatamente resgatou a criança que aguarda no local a chegada Conselho Tutelar.

Link Notícia: https://www.emaisgoias.com.br/na-br-060-prf-encontra-crianca-que-fugia-de-casa/

Queda de avião em área residencial deixa três mortos em São José do Rio Preto
Data: 09/10/2017

Aeronave fazia manobra de aproximação para pousar no aeroporto; suspeita inicial da causa da queda é de pane seca

Três pessoas morreram na queda de um avião monomotor, no início da tarde desta segunda-feira, 9, em área residencial de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo. De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, as três vítimas estavam no interior da aeronave, que atingiu e destruiu parte de uma casa ao bater no solo. Ainda segundo os bombeiros, nenhum morador da casa, na rua Noruega, no Jardim Alto Rio Preto, ficou ferido. O bairro fica próximo do aeroporto de Rio Preto. Os bombeiros apuraram que a aeronave fazia manobra de aproximação para pousar no aeroporto, quando embicou em direção ao solo e caiu no quintal da residência. Os destroços se espalharam pelo local. Na casa atingida, estava apenas um cuidador de idoso, que não se feriu. O avião de prefixo PT-DDB, de fabricação americana, está com a matrícula regular junto à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A aeronave pertence ao Hotel Sakr e está em nome do proprietário, William Rayes Sakr. Segundo os bombeiros, ele pilotava o avião e faleceu na queda. As outras vítimas ainda não foram identificadas. O monomotor modelo Beech Air Craft, fabricado em 1960, decolou de Tangará da Serra (MT). A suspeita inicial da causa da queda é de pane seca, quando acaba o combustível. O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) foi informado do acidente e enviaria uma equipe para a apuração das causas. Segunda queda - O empresário William Sakr já havia sobrevivido à queda de um avião que ele mesmo pilotava, em 2011, também em Rio Preto. Na época, ele caiu com um Bonanza, próximo do aeroclube da cidade. Sakr, sua esposa e três filhos que estavam na aeronave tiveram apenas ferimentos leves.

Link Notícia: http://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,queda-de-aviao-em-area-residencial-deixa-tres-mortos-em-sao-jose-do-rio-preto,70002035460

Fogo no Congresso Nacional? Fumaça preta gera chamado aos bombeiros no DF
Data: 09/10/2017

Cenário deixou muita gente em alerta, mas não passou de uma simulação de incêndio na região da Esplanada dos Ministérios; no Twitter, caso virou piada

Uma simulação de incêndio que aconteceu na manhã desta segunda-feira (9) no Congresso Nacional , em Brasília, deixou muita gente aflita, preocupada e assustada. O treinamento, que ocorreu no prédio principal do Congresso, na região da Esplanada dos Ministérios chegou a gerar um chamado de ocorrência no sistema do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, por alerta de incêndio . Isso porque, apesar do fogo não ser real, havia fumaça. Uma fumaça preta que foi vista saindo do prédio foi produzida por máquinas de fumaça sintética e enganou muita gente. "No minimo estão queimando provas contra eles", afirmou um internauta. "A piada está pronta", escreveu outro. A simulação foi organizada pelos servidores da Câmara dos Deputados com os próprios bombeiros. Enquanto alguns cidadãos se preocupavam do lado de fora do prédio, o procedimento seguia tranquilamente dentro do Congresso. Todos os servidores tiveram que deixar o edifício em fila e com calma. Eles se concentraram no estacionamento do local, até o fim da simulação. Habemus papa? Alguns dos comentários gerados a partir das imagens que mostravam fogo no Congresso Nacional relacionaram a fumaça preta saindo do alto do edifício com a fumaça branca, liberada no Vaticano sempre que há um anúncio de um novo papa. "Habemus algo novo? Não... só as velhas práticas do balcão e um treinamento da brigada de incêndio", publicou o senador Alvaro Dias (Podemos/PR). "Quando sair fumaça branca, habemus congressum!", escreveu uma internauta no Twitter. "Habemus corruptos!", brincou outro. Treinamento Segundo os Bombeiros , o treinamento faz parte de uma ação para enfrentamento a situações de emergência. O plano é que, a partir desta semana, integrantes da Seção de Prevenção e Combate contra Incêndio (Seprin) e da Brigada Profissional visitem os andares do Anexo I para repassar as informações de preparação ao exercício. Quando isso acontecer, todos os servidores devem parar as atividades e se reunirem no corredor para receber as orientações. Na semana passada, uma simulação de incêndio semelhante aconteceu no Supremo Tribunal Federal (STF), porém não chegou a causar tanto alvoroço quanto o treinamento desta segunda.

Link Notícia: http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2017-10-09/incendio-congresso-nacional.html

Banco de Olhos de Sorocaba cria aplicativo para agilizar transplantes de córneas
Data: 27/09/2017

Pelo software, o paciente pode se cadastrar em lista de espera ou cancelar uma cirurgia pré-agendada, liberando o tecido para outra pessoa.

O Banco de Olhos de Sorocaba (BOS) criou um aplicativo para celulares com a intenção de agilizar os processos envolvendo os transplantes de córneas. Pelo software, o paciente pode, por exemplo, avisar sobre o não comparecimento em uma cirurgia pré-agendada e liberar o tecido para que o procedimento seja feito outra pessoa. No primeiro semestre deste ano, o BOS fez 42,2% dos transplantes de córnea do estado de São Paulo e 15,5% do total de cirurgias no Brasil. Ainda segundo informaçoes do hospital, 80% dos procedimentos são feitos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). No ano passado, 160 transplantes de córnea foram feitos por mês no hospital. Este ano, o número subiu para 220 cirurgias mensais. Como o tempo de armazenamento da córnea é de 14 dias, a agilidade nesse processo é fundamental para que não ocorram desperdícios. Além disso, pelo aplicativo, o paciente também consegue se cadastrar para a lista de espera e acompanhar a sua posição na fila. A dona de casa Jandira Freire está entre mais de mil pessoas que torcem para conseguir logo uma córnea na região de Sorocaba. Ela não consegue mais enxergar com o olho direito e isso a tem atrapalhado na hora de cozinhar para a família. "Eu vou colocar leite no copo, cai fora, as coisas coisas na panela, não enxergo com um olho. Tenho que mirar bem. É horrivel, só quem está assim sabe que é ruim". Sabendo da necessidade de milhares de pessoas, que o oftalmologista Nicolas Pereira alerta sobre a importância do cadastro como doador de córneas e que a pessoa comunique sobre o desejo à família para que eles saibam o que fazer após o falecimento. Chance de enxergar de novo Do medo de não ver mais nada, o historiador Eduardo Araújo foi para chance de enxergar tudo de novo. Ele teve uma infecção bacteriana causada pelas lentes de contato e correu o risco de ficar cego. Ele precisou sair do Rio de Janeiro, onde não tinha conseguido um doador do tecido, e viajou mais de 500 quilômetros para fazer a cirurgia no Banco de Olhos de Sorocaba. Hoje ele enxerga com a córnea de alguém que já morreu. "Foi incrível, eu não enxergava nada. Tinha sido desenganado, já tinha até aceitado essa possibilidade, apesar de desesperadora. E logo depois da cirurgia, eu já enxergava 2 metros e meio. Eu não só fui premiado por essa córnea maravilhosa, mas pelo doador que está me possibilitando recuperar a visão do olho esquerdo", finaliza.

Link Notícia: https://g1.globo.com/sao-paulo/sorocaba-jundiai/noticia/banco-de-olhos-de-sorocaba-cria-aplicativo-para-agilizar-transplantes-de-corneas.ghtml

Nas redes sociais, Marconi cumprimenta desembargador de Goiás por nomeação para ministro do TST
Data: 22/09/2017

Nossos votos de muito sucesso ao competente ministro Breno de Medeiros, afirmou Marconi.

Em postagem em suas redes sociais, o governador Marconi Perillo cumprimentou na manhã desta sexta-feira, dia 22, o presidente do Tribunal Regional do Trabalho de Goiás (TRT 18.ª Região), desembargador Breno de Medeiros, pela nomeação para ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST). “Mais um competente jurista de Goiás é merecidamente escolhido para integrar a alta Corte da Justiça do Brasil”, afirmou Marconi. “Nossos votos de muito sucesso ao competente ministro Breno de Medeiros”, afirmou Marconi, lembrando, que além dele, a procuradora-geral da República Raquel Dodge, a presidente Superior Tribunal de Justiça, ministra Laurita Vaz, e a conselheira do TST, ministra Delaíde Miranda, também de Goiás, integram as altas Cortes do Judiciário e do Ministério Público Federal do Brasil. Medeiros foi escolhido para a posição de ministro em listra tríplice pelo presidente Michel Temer, e sua nomeação será publicada nos próximos dias no Diário Oficial da União. Natural do Paraná, o novo ministro fez sua carreira no Judiciário de Goiás. Breno Medeiros é também membro do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) e representante do Colégio de Presidentes e Corregedores dos Tribunais Regionais do Trabalho no Comitê Nacional do Sistema de Processo Judicial Eletrônico da Justiça do Trabalho. Abaixo a postagem do governador na íntegra “Mais um competente jurista de Goiás é merecidamente escolhido para integrar a alta Corte da Justiça do Brasil: o presidente do Tribunal Regional do Trabalho de Goiás (TRT 18.ª Região), desembargador Breno de Medeiros, é nomeado ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST). Medeiros foi escolhido para o Pleno do TST em listra tríplice e vai integrar o time de juristas goianos com missões de destaque no Poder Judiciário e do Ministério Público nacionais, ao lado da procuradora-geral da República Raquel Dodge; a presidente Superior Tribunal de Justiça, ministra Laurita Vaz; e a conselheira do TST, ministra Delaíde Miranda. Nossos votos de muito sucesso ao competente ministro Breno de Medeiros.”

Link Notícia: http://www.goiasagora.go.gov.br/nas-redes-sociais-marconi-cumprimenta-desembargador-de-goias-por-nomeacao-para-ministro-do-tst/

Goiás na Frente assina convênio de R$ 5 milhões com Formosa, que ganha unidade da Rede Itego
Data: 22/09/2017

Os recursos do Goiás na Frente estão sendo repassados gratuitamente. Essa é uma ajuda do governo para todas as prefeituras goianas, apesar de não ser uma responsabilidade do governo do Estado, afirmou Marconi.

O governador Marconi Perillo esteve na manhã desta quinta-feira, 21, em Formosa, no Entorno do Distrito Federal, para assinar convênio do Goiás na Frente com a prefeitura e inaugurar a 18.ª unidade da Rede de Institutos Tecnológicos do Estado de Goiás (Rede Itego). Os atos administrativos foram realizados no prédio do Itego Carmen Dutra de Araújo, onde o governador e o prefeito Ernesto Roller, assinaram o convênio do programa, no valor de R$ 5 milhões – recursos do tesouro estadual que serão empregados pelo município em obras de infraestrutura urbana. “Os recursos do Goiás na Frente estão sendo repassados gratuitamente. Essa é uma ajuda do governo para todas as prefeituras goianas, apesar de não ser uma responsabilidade do governo do Estado”, afirmou Marconi. “Assim estamos trabalhando, e vamos continuar trabalhando muito, em parceria com todas as prefeituras, em prol dos municípios e suas famílias”, afirmou Marconi, que disse que o Governo do Estado tem o dever de fazer uma “gestão republicana, em parceria com todos, acima de diferenças partidárias”. O prefeito de Formosa, Ernesto Roller, relatou que, “recentemente, fui questionado se viria à inauguração do Itego”. “Eu disse que sim, porque o senhor, governador, me recebeu no Palácio das Esmeraldas de uma forma republicana”, prosseguiu. “É isso que nós e a população esperamos. Todos sabem que somos adversários políticos, mas temos um compromisso. O senhor me ligou, esses dias, preocupado em trazer o dinheiro do Goiás na Frente para ajudar o nosso município” disse Roller. “Eu, Formosa e o povo somos gratos ao senhor. Embates podem vir no futuro, mas sempre com a responsabilidade de um gestor público”, disse o prefeito. O novo Itego, que recebeu investimentos de R$ 1,1 milhão e vai oferecer 14 cursos profissionalizantes. O titular da Secretaria de Desenvolvimento (SED), Francisco Pontes, responsável pela implantação dos Itegos em Goiás, comentou que “os desafios” do mercado de trabalho “que se apresentam serão superados com força de vontade e trabalho, trazendo desenvolvimento para a nossa população”. Ele informou ainda que quatro mil pessoas serão capacitadas em Formosa até o final deste ano.

Link Notícia: http://www.goiasagora.go.gov.br/goias-na-frente-assina-convenio-de-r-5-milhoes-com-formosa-que-ganha-unidade-da-rede-itego/

Tremor de magnitude 3,2 é registrado entre Mutunópolis e Estrela do Norte
Data: 22/09/2017

Moradores contam que sentiram o sismo por volta das 5h30. Não há informação de danos materiais.

O observatório Sismológico da Universidade de Brasília (Obsis/UNB) registrou nesta quinta-feira (21) um tremor de magnitude 3,2 entre as cidades de Mutunópolis e Estrela do Norte, na região norte de Goiás. Moradores contaram ao G1 que sentiram o sismo por volta das 5h30, mas não há informação de danos. “Eu estava arrumando para ir para a escola quando tremeu. Foi rápido e forte, mas não ao ponto de me desequilibrar. Pareceu um trovão”, contou ao G1 o estudante João Victor Formazier D´Avila Santos, de 15 anos, que mora em Estrela do Norte. Moradora de Mutunópolis, a enfermeira Rosa Eli Soares dos Santos, de 38 anos, disse que acordou por causa do sismo. “Estava deitada, acordei com o barulho estranho. Levantei e sai para olhar se era chuva, mas não tinham nem nuvem. Fiquei com medo por não saber ao certo o que era", relatou. De acordo com o Obsis, no mesmo o local do epicentro do tremor, já foram registrados 11 tremores com magnitudes acima de 3.0 desde 2010.

Link Notícia: https://g1.globo.com/goias/noticia/tremor-de-magnitude-32-e-registrado-entre-estrela-do-norte-e-mutonopolis.ghtml

Três pessoas são mortas a tiros dentro de revendedora de carros, em Goiânia
Data: 20/09/2017

Segundo a Polícia Civil, uma das vítimas tinha envolvimento com tráfico de drogas e emprestava dinheiro a juros, o que pode ter ligação com o crime.

rês pessoas foram mortas a tiros na manhã desta quarta-feira (20) em uma revendedora de carros no setor Parque Oeste Industrial, em Goiânia. Segundo testemunhas, um automóvel parou dentro do local e três homens encapuzados desceram atirando. Em seguida, fugiram do local. De acordo com a Polícia Civil, duas das vitimas eram irmãos e administravam a loja. A terceira vítima, um funcionário, foi baleado, levado ao Hospital de Urgências de Goiânia, mas não resistiu aos ferimentos. Segundo o delegado Francisco Júnior, o provável alvo era José Olímpio de Carvalho Neto. “As informações preliminares passadas aqui no local é que ele teria envolvimento com o tráfico de drogas e também emprestaria dinheiro a juros. E isso pode ter ligação com o crime, mas ainda estamos no início das investigações”, relatou. Ele foi encontrado morto no banheiro, segundo a polícia, provavelmente tentando se esconder. O irmão dele, Cleiton Carvalho de Oliveira, foi assassinado na entrada da revenda. Já o funcionário, Diogo Cândido de Paula já chegou ao hospital sem vida.

Link Notícia: http://noticias.r7.com/brasil/nao-pensamos-em-privatizar-a-petrobras-diz-temer-em-ny-20092017