PC prende 106 pessoas por fraudes no auxílio emergencial em Goiás

Polícia Civil de Goiás (PC) cumpriu durante esta semana vários mandados de prisão em aberto contra pessoas que receberam, com suposta irregularidade, o auxílio emergencial do Governo Federal concedido no período de enfrentamento à pandemia do Covid-19. A chamada Operação Voucher, em referência ao programa que ficou conhecido como “Coronavoucher”, mobilizou todas as delegacias regionais no Estado; 106 mandados de prisão foram cumpridos.

Segundo a PC, as pessoas presas na Operação Voucher são suspeitas de cometerem os crimes de falsidade ideológica, cuja pena é a reclusão de 1 a 5 anos; e estelionato, também sob pena de reclusão de 1 a 5 anos. A maior parte delas recebeu parcela de R$ 600, havendo casos em que os suspeitos receberam R$ 1.200 em uma única parcela – valor que seria destinado a mães solteiras. Mais da metade dos presos admitiu ter recebido a primeira parcela do auxílio emergencial.

As prisões foram efetuadas após a Controladoria-Geral da União (CGU) disponibilizar uma relação contendo o nome de 1.102 indivíduos que receberam o auxílio financeiro e possuíam mandado de prisão em aberto. Todas as declarações prestadas pelos detidos serão encaminhadas à Polícia Federal para a tomada das providências legais cabíveis.

A polícia reiterou que alguns dos alvos que receberam o benefício já estavam reclusos em cadeias públicas. Foram presas, até o momento, 106 pessoas, sendo que 32 delas já estavam presas quando receberam o benefício.

Total Page Visits: 3 - Today Page Visits: 1

Recommended For You

About the Author: Robson Charles