“Estamos entrando no olho do furacão”, diz prefeito de Aparecida sobre covid-19

“Estamos vivendo outro estágio da doença, diferente das cidades do Nordeste que tem voos internacionais e receberam o vírus antes e passaram pelo pico”, disse o prefeito Gustavo Mendanha (MDB) ao Mais Goiás na manhã desta quarta-feira (24). Para o chefe do executivo do município, a população precisa se dar conta da gravidade da situação: “estamos entrando no olho do furacão”. 

A preocupação de Mendanha se dá com a escalada de casos de contaminação pelo coronavírus em Aparecida nas últimas semanas. O número de pacientes diagnosticados com covid-19 saltou de 767, no dia 8 de junho, para 1.870 registrados no último boletim, divulgado na terça-feira (23). Um aumento de 143,8% em 15 dias. Somente no dia 13 de junho foram novos 100 casos.

O número de óbitos também mais que dobrou. Em 8 de junho havia 16 mortes provocadas pela doença, agora são 33.

Abertura

Mapa do escalonamento por macrozonas em Aparecida de Goiânia

Mapa do escalonamento por macrozonas em Aparecida de Goiânia (Foto: Divulgação)

Dia 8 de junho é justamente a data que entrou em vigor o novo modelo adotado pela prefeitura de Aparecida de Goiânia para flexibilização das atividades do comércio. Os gestores municipais estabeleceram 10 macrozonas municipais e permitiram abertura do comércio em diferentes dias da semana para as diferentes regiões. A ideia era que houvesse aumento no isolamento social, da média de 35%, registrada no período, para 50% recomendável pelas autoridades em saúde.

Esse escalonamento por macrozonas veio acompanhado de quatros cenários indicados pelas cores verde, amarela, laranja e vermelha para indicar os graus de ocupação de leitos no município. Em 15 dias, Aparecida foi do verde para o amarelo. Por isso, o prefeito Gustavo Mendanha resolveu fechar comércio aos domingos.

Fechamento

Segundo o prefeito, a entrada no cenário amarelo era esperada e ações foram projetadas para enfrentá-la. Ele aponta que há desrespeito da população em relação às medidas sanitárias. Por isso, a prefeitura vai enfatizar na orientação e esclarecimentos. “Infelizmente, a partir de agora, o número de óbitos tende a subir. As pessoas vão sentir a doença cada vez mais perto. Assim, vão passar a entender a guerra que nós estamos vivendo”, aponta.

Mendanha ainda diz que o transporte público é um ponto crucial de aglomeração, não somente em Aparecida, como em toda a região metropolitana de Goiânia, o que facilita o alastramento do coronavírus. Ele afirma que as distribuidoras de bebidas e festas particulares em casa se tornaram ponto de aglomeração. Segundo o prefeito a fiscalização vai atuar, mas é preciso que haja conscientização.

Leitos

Mendanha disse que Aparecida é uma das cidades que mais se preparou para a covid-19, com capacitação e aumento na capacidade de atendimento. Foram 63 novos leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) inaugurados somente para pacientes com infecção causada pelo coronavírus.

“Nenhum país de primeiro mundo estava preparado totalmente para uma pandemia. Mas vamos fazer o possível para salvar o maior número de vidas ”, salientou. “Infelizmente, pelo cenário de informação distorcida, as pessoas acham que não é uma doença séria, que  os números não são reais. Mas estamos indo agora para o olho do furacão”, alerta.

Total Page Visits: 4 - Today Page Visits: 2

Recommended For You

About the Author: Robson Charles