Polícia Militar intimida manifestantes contra Bolsonaro em Caldas Novas

A Polícia Militar (PM) intimidou pelo menos duas pessoas em protesto contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na última sexta-feira (28), em Caldas Novas, na região sul de Goiás. Dois manifestantes confeccionavam faixas com dizeres contra o presidente. O dono do ateliê de pintura chegou a ser colocado em um carro policial.

“Quem é o político por trás por disso?”, teria indagado um policial militar identificado como tenente Alexandre ao pintor, S.O., de 51 anos, que confeccionou as faixas. Os policias chegaram até ele após irem ao ateliê em que as faixas foram produzidas. Ao serem informados de que o autor não estaria no local, colocaram o dono do estabelecimento na viatura para que ele indicasse a casa do pintor.

Ao chegar na casa do pintor, os policias militares o indagaram sobre quem estava por trás do protesto e disseram que poderia ser preso pelos crimes de calúnia, injúria e difamação. A viatura ficou parada na frente da residência por pelo menos uma hora. Ele não quis se identificar com medo de represálias.

“Obrigado, Bolsonaro, pela alto do dólar, alta dos combustíveis e arroz custando 30 contos”, diz faixa afixada em Caldas Novas (Foto: Leitor Mais Goiás)

O protesto

A manifestação foi organizada pelo radialista Andreazza Joseph Gomes, de 37 anos, a partir de perguntas sugeridas pelos usuários em redes sociais. Ele selecionou as que considerou mais impactantes para serem afixadas no aeroporto durante de visita de Bolsonaro a Caldas Novas para inauguração de uma usina fotovoltaica.

Entre as frases selecionadas estão “Bolsonaro, o Brasil quer saber por que o Queiroz depositou 89 mil na conta da sua mulher” e “Obrigado, Bolsonaro, pela alta do dólar, alta dos combustíveis e o arroz custando 30 contos”.

Assim, S.O. disse que confeccionaria as faixas se ele comprasse o material. Com o material em mãos, o pintor foi até o ateliê de um amigo para fazer as faixas.

“Quando o policial foi na casa do pintor, pedi para falar com ele. Ele me disse que estava cumprindo ordens da Abin [Agência Brasileira de Inteligência] e da Polícia Federal. Não tinham mandados de busca, nem de prisão”, diz Andreazza.

Após a passagem de Bolsonaro, as faixas foram afixadas no aeroporto de Caldas Novas.

Confira a nota da PM sobre o caso:

A propósito da solicitação de nota, a Polícia Militar do Estado de Goiás informa o que se segue:
– A PMGO esclarece que não cerceou o direito à Livre Manifestação, na cidade de Caldas Novas,
durante a visita do presidente Jair Bolsonaro, conforme informação divulgada ao veículo de
comunicação em questão;
– A corporação informa que, na última sexta-feira, 28/08, foi feita uma denúncia de que
manifestantes colocariam faixas na parte interna do aeroporto da cidade, o que não é permitido
devido ao cumprimento das Normas de Segurança do local;
– A PMGO salienta que orientou os manifestantes que não colocassem faixas no local pretendido
(cabeceira da pista do aeroporto) por medida de segurança, uma vez que poderia provocar grave
acidente. Após a orientação, os próprios manifestantes retiraram o material do local.
– Por fim, a PMGO reconhece e apoia o direito da Livre Manifestação, mas destaca a necessidade
de obedecer os protocolos de segurança estabelecidos para garantir a proteção de toda população.

*[Matéria atualizada às 15h20 do dia 31/08/2020 para inserção de nota da PM]

Total Page Visits: 30 - Today Page Visits: 2

Recommended For You

About the Author: Robson Charles