CPI da Saúde causa bate-boca entre governistas e oposição na Assembleia

Revogada nesta quinta-feira (9) pela mesa diretora, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde causou bate-boca entre governistas e oposição na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) nesta data. Autor da CPI, Humberto Teófilo (Patriota) criticou o líder do governo, Bruno Peixoto (União Brasil), que alegou vício de origem na criação da mesma.

Segundo Teófilo, Bruno sabia, “deixou instaurar e depois vem choramingar que está tudo nulo. Governo quer fazer que a CPI vire Pizza”. Ainda segundo ele, Peixoto faz teatro e engana os colegas.

Bruno Peixoto, por sua vez, reforçou que não sabia da CPI e a instauração teve os atos nulos por incoerência. Cada vez mais me impressiono com cara de pau, capacidade de mentir e produzir fake news. Vai a tribuna com mentiras. Dizendo que sabíamos da CPI. Gostaria que apresentasse a nós as assinaturas, não cópias…”

E mais: “Hoje, foi atuado de maneira certa, correta, respeitando o regimento. Mas vossa excelência não respeita o regimento. Vossa excelência não está em uma delegacia, mas no plenário. Caso vá chorar, está aqui o lenço.”

Teófilo retornou à tribuna para a tréplica. Ele mandou Bruno respeitar a Polícia Civil e o ambiente de trabalho. “Quando sobe aqui para desmoralizar o ambiente da trabalho da Polícia, você não está sendo um deputado digno. Então para com essas besteiras, que sobe e quer atacar a Polícia Civil… Esse aqui, policiais, é que está atacando o seu ambiente de trabalho… A polícia quer explicação porque está menosprezando esse ambiente de trabalho. Claro que não é delegacia, mas e daí? O que que tem uma delegacia?”

Bruno, então, voltou e disse não ter menosprezado a Polícia Civil. “Deputado Humberto Teófilo, vossa excelência tem sim, o mínimo, um pouco de inteligência. E compreendeu muito bem o que eu quis dizer. Que aqui não vai agir como delegado para investigar dentro da CPI.”

Sobre a revogação

Segundo o presidente da Alego, Lissauer Vieira (PSD), a composição não atendeu aos requisitos do regimento da Casa. Apesar das 14 assinaturas pela instauração, não houve consulta aos partidos que podem indicar membros conforme a proporcionalidade. O presidente, então, deu dez dias para as legendas fazerem as suas indicações.

Vale citar, a formação da CPI teve anúncio na quarta-feira (8) por Humberto Teófilo, autor do requerimento e que seria o relator. Nesta composição, que foi revogada, Hélio de Sousa (PSDB) presidiria, enquanto Paulo Trabalho (PL) seria o vice.

Da base, comporiam o grupo os deputados estaduais Dr. Antônio (União Brasil) e Wilde Cambão (PSD). Vale citar, o requerimento de Teófilo foi apresentado em 12 de abril, enquanto o ato de nomeação dos membros em 1º de junho. O intuito da CPI é apurar possíveis problemas em atendimentos em unidades de saúde de Goiás.

Assinaturas para instaurar a CPI

Assinaram favoráveis à abertura da CPI da Saúde os deputados Humberto Teófilo (Patriota), Helio de Sousa (PSDB), Cláudio Meirelles (PL), Antônio Gomide (PT), Lêda Borges (PSDB), Major Araújo (PL), Alysson Lima (PSB), Delegada Adriana Accorsi (PT), Gustavo Sebba (PSDB), Delegado Eduardo Prado (PL), Zé Carapô (Pros), Paulo Cezar Martins (PL), Sérgio Bravo (PSB) e Paulo Trabalho (PL).

 

Total Page Visits: 17 - Today Page Visits: 1

Recommended For You

About the Author: Robson Charles