PF prende suspeitos de vender produtos usados para deixar droga impura, em Goiás

Polícia Federal realizou uma operação, nesta quinta-feira (9), em que cumpriu 31 mandados judiciais contra um grupo que intermediava a compra e venda de produtos químicos em Goiás que outros traficantes misturavam, posteriormente, em drogas. Na casa de um dos investigados, a corporação encontrou uma mala com R$ 1 milhão e uma arma. Em outros locais, foram achados vários pacotes de dinheiro escondidos em malas e gavetas de roupas íntimas.

Ao todo, policiais cumpriram 14 mandados de prisão temporária e 17 mandados de busca e apreensão, nas cidades goianas de GoiâniaAparecida de GoiâniaBela Vista de Goiás e Acreúna. Mas também no estado do Pará, nas cidades de Rio Maria e São Félix do Xingu.

De acordo com os agentes federais, investigações constataram a existência de uma empresa de fachada, que adquiria produtos químicos controlados e repassava para um grupo de narcotráfico.

Insumos como fenacetina, cafeína, lidocaína, benzocaína e ácido bórico, que tem a comercialização no Brasil fiscalizada pela Polícia Federal, eram vendidos aos traficantes e utilizados no “batismo de cocaína”. É neste processo que produtos químicos são adicionados à cocaína pura com o objetivo de aumentar a quantidade da droga e, em consequência, elevar o lucro dos vendedores.

A Polícia Federal realizou uma operação, nesta quinta-feira (9), em que cumpriu 31 mandados judiciais contra um grupo que misturava produtos químicos em drogas, em Goiás. Na casa de um dos investigados, a corporação encontrou uma mala com R$ 1 milhão e uma arma. Em outros locais, foram achados vários pacotes de dinheiro escondidos em malas e gavetas de roupas íntimas.

Goiás: PF apreende R$ 1 milhão de grupo suspeito de misturar produtos químicos em drogas (Foto: Divulgação – PF)

Segundo a PF, os produtos químicos desviados possuem a forma de pó branco e causam efeito anestésico ou estimulante do sistema nervoso central. Em razão dessas características, esses insumos são misturados à cocaína pura, permitindo que o traficante aumente o volume da droga e, ao mesmo tempo, dê ao usuário a falsa sensação de que está adquirindo uma droga de “boa qualidade”.

Estima-se que em apenas 1 ano de atividade, a empresa fiscalizada adquiriu mais de 17 toneladas de produtos químicos destinado ao tráfico de drogas. De acordo com os federais, nem mesmo os cinco maiores laboratórios farmacêuticos do país realizam aquisições tão grandiosas em tão pouco tempo.

Além dos responsáveis pelo desvio de produtos químicos, a Polícia Federal também identificou os indivíduos que realizavam a lavagem de dinheiro do grupo criminoso e adquiriram os insumos. No total, 14 pessoas foram indiciadas pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

Total Page Visits: 22 - Today Page Visits: 1

Recommended For You

About the Author: Robson Charles